conecte-se conosco


Política Nacional

À bancada evangélica, Bolsonaro fala em “trazer a população para o nosso lado”

Publicado

Bolsonaro arrow-options
Charles Sholl/Brazil Photo Press/Agencia O Globo

À bancada evangélica, Bolsonaro fala em para “trazer a população pro nosso lado”

Em fala durante café da manhã com parlamentares da bancada evangélica do Congresso nesta quinta-feira, no Palácio do Planalto, o presidente Jair Bolsonaro listou propostas e ações de seu governo e disse aos deputados federais e senadores que eles têm “ideias maravilhosas” que poderiam virar decretos, projetos de lei ou serem incluídas em medidas provisórias. 

Leia também: “Faltou experiência e maturidade”, diz presidente do PDT sobre Tabata Amaral

“Essas pequenas medidas têm um alcance enorme no Brasil e trazem a população para o nosso lado”, declarou Bolsonaro .

 No seu pronunciamento, divulgado em parte pela Presidência, ele reclama da necessidade de obter novas certidões de óbito e nascimento e diz que está “incluindo isso lá” no relatório da medida provisória (MP) da liberdade econômica, aprovado em comissão do Congresso na manhã de hoje. Segundo Bolsonaro, a medida “vai facilitar a vida de muita gente”. 

“Com toda a certeza os senhores têm dezenas, centenas de situações que a gente pode ajudar o povo brasileiro, como por exemplo a carteira de motorista passar de cinco para dez anos. Acabamos de ir ao Contran [Conselho Nacional de Trânsito] aqui… a obrigatoriedade do simulador, menos R$ 300 reais para fazer a carteira de motorista”, apontou, fazendo referência ao projeto de lei que enviou à Câmara no mês passado. 

Veja Também:  Câmara aprova pacote anticrime sem as principais propostas de Moro

Ele ressaltou ainda que a proposição prevê que o médico que assina o atestado de saúde para renovar ou tirar a carteira de motorista “pode ser um irmão de vocês” ou um médico do Hospital Central do Exército, com “custo zero”.  

“Estou tendo pressões enormes porque resolvi dar um ponto final na “multagem” eletrônica. O pessoal sabe para que funciona isso, né? Infelizmente não é para salvar vidas, a intenção é exatamente outra”, disse Bolsonaro.

O presidente falou ainda sobre um plano pelo qual já demonstrou predileção diversas vezes, o de acabar com a Estação Ecológica de Angra dos Reis, no Rio de Janeiro, para transformar o local em um polo de turismo. Ele disse ainda que tem conversado com governadores para “desmarcar muita coisa” feita no passado.

Leia também: Glenn Greenwald vai ao Senado explicar vazamentos de Moro e Lava Jato; acompanhe

“Por exemplo: vale para todos os Estados… Rio de Janeiro. A gente quer fazer ali, pretende com dinheiro de fora, transformar a baía de Angra numa Cancún, mas o decreto que demarcou a Estação Ecológica só pode ser derrubado por uma lei. Eu conversei com o Caiado nesse sentido, com o governador do Pará também… estamos conversando com vários governadores no sentido de nós nos unirmos e desmarcar muita coisa por decreto no passado para poder fazer com que o Estado possa prosseguir”, explicou.

Veja Também:  Lava Jato seguirá luta em busca de direitos humanos e Justiça, diz Dallagnol

Finalizando sua fala aos parlamentares, ele comentou um episódio de março deste ano no qual disse ter ligado para o presidente do Banco do Brasil, Rubem Novaes, para acabar com a necessidade de “formação em ideologia de gênero” para ingressar em um concurso público — que nunca existiu.

Na verdade, no entanto, o banco havia tornado obrigatório um curso de diversidade e de prevenção e combate ao assédio moral e sexual, que fazia parte do processo interno de formação e promoção de funcionários. Na ocasião, Bolsonaro usou suas redes sociais para informar que havia ordenado à cúpula do Banco do Brasil que abolisse a formação e chegou a aconselhar os postulantes a cargos na instituição que procurassem a Justiça.

“Tinha um concurso lá pra uma coisa simples, né?, que pra você se inscrever se tinha que ter uma formação em ideologia de gênero. Liguei para o presidente, ‘acaba com esse negócio’. Acabou. Os caras vão conduzindo de modo que só aqueles que interessam pra esquerda possam entrar nesse serviço”, declarou Bolsonaro , nesta quinta. 

Fonte: IG Política
Comentários Facebook
publicidade

Política Nacional

Ao lado de Crivella, Bolsonaro faz discurso que exalta Deus e militares

Publicado

source
jair bolsonaro arrow-options
Marcos Corrêa/PR

Presidente Jair Bolsonaro

Ao lado do prefeito do Rio, Marcello Crivela, o presidente Jair Bolsonaro participou neste sábado da formatura de 205 aspirantes da Marinha. Em discurso que durou menos de três minutos, disse que o país está mudando para melhor.

Leia também: “Não gosto muito do que fazem o governo Bolsonaro e os filhos”, afirma Amoêdo

“Hoje, temos um governo que valoriza a família, honra os militares e adora a Deus”, afirmou o presidente.

Na semana passada, Bolsonaro já havia participado da formatura de cadetes do Exército na Academia Militar das Agulhas Negras (Aman), em Resende. No discurso do último sábado e de hoje, o presidente afirmou que os brasileiros não descansarão enquanto outras nações “não gozarem de democracia e liberdade”

De olho na reeleição, Crivella tem tentado uma aproximação com o presidente, tendo, inclusive, se oferecido para a coleta de assinaturas nas igrejas para a criação do Aliança pelo Brasil.

Leia também: Radicais, Lula e Bolsonaro enfrentam dificuldades em fazer candidatos a prefeito

Veja Também:  Votação da prisão em 2ª instância é pautada para próxima semana na CCJ do Senado

Já o governador Wilson Witzel , com quem Bolsonaro tem tido divergências, não esteve no evento. Há duas semanas, o prefeito já tinha participado de um evento militar ao lado de Bolsonaro

Após o evento, o presidente participou de um coquetel e não falou com a imprensa. Em seguida, volta a Brasília.

Fonte: IG Política
Comentários Facebook
Continue lendo

Política Nacional

Câmara manda recado aplicando nova derrota a Moro

Publicado

source

IstoÉ

Homem sério arrow-options
Fabio Rodrigues Pozzebom/ Agência Brasil

Moro

Descartando as medidas mais polêmicas e inconstitucionais, a Câmara dos Deputados aprovou na quarta-feira 4 o pacote anticrime apresentado há dez meses pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro. A aprovação está longe de ser uma vitória do ministro: o pacote, que era a sua principal bandeira à frente do Ministério, ganhou a anuência dos parlamentares mas tornou-se anêmico e desidratado. Proposta por Jair Bolsonaro ainda em campanha, a ampliação da figura jurídica do excludente de ilicitude foi endossada pelo ex-magistrado, ainda que inconstitucional. Pode-se dizer que dava à polícia e a militares a licença para assassinar. Os argumentos trombavam de frente com o Estado de Direito: se o policial se sentisse em situação de medo ou de descontrole emocional poderia matar sem ser punido – tratava-se de uma excrescência que aumentava a miríade de teses de defesa até para crimes passionais. Também foi retirada a prisão após sentença penal condenatória em segunda instância (o Congresso votará esse tema separadamente, como cabe ao poder legiferante em se tratando de questão que altera a Constituição e não pode ser instituída por um pacote anticrime). Foi aprovada uma boa medida: passa a existir o juiz de garantia. Ou seja: o magistrado que acompanha o processo não mais será o mesmo que sentencia.

Assembleia
Socos e mordidas

homem de guarda alta arrow-options
Reprodução

Deputado Mamãe Falei


Acredite se quiser, mas a pose do deputado Arthur do Val (foto) aconteceu durante uma sessão da Assembleia Legislativa de São Paulo para discutir a Reforma da Previdência do estado. Ele chamou os servidores e correligionários que protestaram durante sua fala de “bando de vagabundos” em um discurso inflamado, que foi interrompido quando manifestantes invadiram a tribuna para agredi-lo. A deputada Janaína Pascoal afirmou, após a confusão, que colegas foram agredidos e mordidos. Uma barbárie.

Veja Também:  Bolsonaro diz não ser ‘autoritário’ por não tomar decisões sozinho

Leia também: 

Saúde
Aprovada a venda de remédios à base de Cannabis

planta maconha arrow-options
Pixabay/Creative Commons

Senado acatou ação, mas reduziu artigos


A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou novas regras para medicamentos à base de Cannabis, permitindo que empresas sejam liberadas para vender esses compostos em farmácias. A previsão da Anvisa é de que alguns produtos já estejam disponíveis no primeiro semestre de 2020. Estima-se que 13 milhões de pacientes serão atendidos com a liberação. Entre as enfermidades que se beneficiarão desses medicamentos, estão problemas neurológicos, como autismo e epilepsia, além da insõnia e da ansiedade. Apesar disso, os medicamentos não devem ter preços populares, visto que o plantio de Cannabis ainda é proibido, exigindo que a indústria farmacêutica e laboratórios importem a matéria prima para fabricação dos remédios.

Futebol
O poder popular

pessoas segurando bandeiras arrow-options
Diego Dacal/Flickr

Torcida do vasco

Os cartolas do futebol tiveram mais uma prova de que são as massas que fazem o esporte ser grande. O Vasco da Gama realizou uma promoção que corta o preço da associação para sócios-torcedores pela metade — e com planos de 12 reais por mês. o clube ultrapassou assim a marca de 150 mil sócios, 120 mil a mais do que tinha antes de reduzir os preços. O vasco passou a ser o clube com o maior número de sócios-torcedores do País. Os que tentam elitizar o futebol só têm a perder.

Veja Também:  Deputada do PSL parabeniza Augusto Nunes por agressão a Glenn Greenwald

Legislativo
Jair e Michelle precisam conversar

O presidente Jair Bolsonaro enviou à Câmara na terça-feira 3, Dia Internacional das Pessoas com Deficiência, um projeto que permite às empresas substituirem a cota de empregados deficientes pelo pagamento mensal de dois salários mínimos à União. Dessa forma, a política inclusiva praticamente deixaria de existir. Na posse de Bolsonaro, a primeira-dama, Michelle, fez um discurso em libras, sinalizando a intenção de preservar os direitos dessa faixa da população. Provavelmente ela deve estar decepcionada com o marido.

mulher falando arrow-options
Marcelo Camargo/Agência Brasil – 1.1.19

Michelle Bolsonaro durante seu discurso, em libras, no parlatório do Planalto


TURISMO
Um longo caminho para o Brasil

Levantamento do Euromonitor Internacional revelou que o destino brasileiro que mais recebeu turistas em 2019 foi o Rio de Janeiro, com 2.3 milhões de visitantes. A cidade ocupou apenas a 103ª posição no ranking, registrando queda de 5,8% no número de chegadas no ano. O governo fala bastante em impulsionar o turismo, mas ainda está muito distante das cidades com mais visitantes, que são:

1 – Hong Kong (China)
26.7 milhões

2 – Bangcoc (Tailândia)
25.8 milhões

3 – Macau (China)
20.6 milhões

4 – Singapura (Singapura)
19.7 milhões

5 – Londres (Inglaterra)
19.5 milhões

Fonte: IG Política
Comentários Facebook
Continue lendo

Política Nacional

“Não gosto muito do que fazem o governo Bolsonaro e os filhos”, afirma Amoêdo

Publicado

source
homem de terno arrow-options
Marcello Casal Jr/Agência Brasil

João Amoêdo, presidente do Novo

O político e criador do Partido Novo, João Amoêdo, classificou como um “teste de limites” o que é feito pelo presidente Jair Bolsonaro e pelos seus filhos nas redes sociais. Em entrevista à coluna Radar, do jornal Folha de S.Paulo , ele comentou sobre Imposto de Renda, os posicionamentos atuais do governo e até mesmo sobre Guedes.

“Não gosto muito do que fazem o governo Bolsonaro e os filhos deles, de testar limites. Fala algo, vê a reação, volta atrás”, afirmou Amoêdo. Também ativo nas redes, o representante do Novo contou que aposta em indicação de fontes dos dados apontados nas redes como uma forma de passar mais credibilidade ao seu público.

Leia também: “Salles não faz parte da equipe do Novo”, diz Amoêdo após ‘sumiço’ de ministro

Amoêdo considerou a fala de Guedes sobre o AI-5 como um erro e falou que a carga tributária brasileira já é muito elevada. Ele disse, ainda, que Bolsonaro não está “acostumado às instituições” e por isso as ataca constantemente.

Veja Também:  Câmara aprova pacote anticrime sem as principais propostas de Moro

Fonte: IG Política
Comentários Facebook
Continue lendo

Nova Xavantina

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana