conecte-se conosco


Economia

Aberta a temporada de compras: veja cinco dicas do Google para a Black Friday

Publicado

source
evento do google sobre a Black Friday arrow-options
Luciana Aith/Google

Goolgle apresentou nesta terça-feira (8) os dados da pesquisa sobre a Black Friday 2019

O brasileiro está cada vez mais interessado e preparado para fazer suas compras de fim de ano na Black Friday . Uma pesquisa do Google, com 1.500 consumidores on-line mostrou que a intenção de compra está 58% maior em 2019 na comparação com o ano passado.

Isso significa, segundo o Google, mais 8 milhões de consumidores comprando em 2019 do que em 2018. Além disso, 69% deles já sabem em que categoria pretendem comprar, e estão aguardando a Black Friday para isso.

Número de compras em lojas físicas e online deve se igualar na Black Friday 2019

Os tipos de produtos e serviços que os consumidores pretendem adquirir na temporada de promoção em 2019 também está se expandindo.

Além dos tradicionais eletroeletrônicos, roupas e livros, algumas categorias mais que dobraram na intenção de compras do consumidor: veículos cresceu 300%, plano de celular 250%, alimentos 150%, imóveis 200% e cursos 133%.

Brechó é chique: moda chega ao mercado de luxo e vai ultrapassar fast fashion

Para que os vendedores on-line possam aproveitar ao máximo esse momento, o Google apresentou as cinco principais tendências para o varejo na edição deste ano da Black Friday.

José Melchert arrow-options
Luciana Aith/Google

José Melchert é diretor da indústria de varejo do Google Brasil e deu dicas sobre a Black Friday

1 – Venda em multicanais

Com o aumento da intenção de compras, é importante oferecer produtos em vários canais. “Quem ainda não tem seu próprio aplicativo de vendas , precisa correr˜, aconselha o diretor da indústria de varejo do Google Brasil, José Melchert.

Veja Também:  Norte e Nordeste ficam fora do ranking dos 10 estados mais competitivos do País

Atualmente, 42% dos consumidores on-line já acessam as plataformas de vendas via aplicativos, 34% via site mobile e 25% por meio de um site desktop, aponta a pesquisa feita pela empresa.

Com Amazon Prime, gigante norte-americana entra de vez no mercado brasileiro

2 – “Temporada” Black Friday

Segundo a pesquisa do Google, 76% dos consumidores consideram que a Black Friday vai além da quinta e sexta-feira tradicionais.

“Pense estratégias que inclua outros dias. Muitas já existem, como a black week e o black november . E, principalmente, se prepare para atender seu cliente por todo o período”, diz Melchert.

3 – On-line ou off-line não importa mais para o cliente

Na Black Friday de 2019, pela primeira vez, as vendas on-line irão se igualar às físicas. A pesquisa do Google mostra que, neste ano, 25% dos consumidores já pensam em fazer compras em ambos os modelos .

“O consumidor vai comprar onde for mais conveniente para ele. Não está preocupado se vai comprar on-line ou off-line, isso é uma questão para quem vende”, afirma o executivo do Google.

Segundo Melchert, é importante buscar parcerias para apresentar alternativas aos consumidores. “Se você é um pequeno e-commerce, pense em fazer parceria com alguma loja física, um shopping ou um hipermercado, para a Black Friday”, aponta.

4 – Retirar na loja é a bola da vez

A dica acima vale também para outra forte tendência para a Black Friday de 2019: a retirada na loja.

Veja Também:  Tente outra vez! Mega-Sena sorteia prêmio de R$ 3 milhões neste sábado

Segundo o Google, 4 em cada 10 clientes do comércio eletrônico consideram a opção muito importante na hora de escolher um varejista. Na Black Friday 2019, 24% deles afirma que pretendem retirar na lojas suas compras on-line.

5 – Torne sua marca conhecida

O consumidor on-line não se importa de experimentar novas lojas , mas evita marcas totalmente desconhecidas.

Se em 2018, 71% dos compradores adquiriram produtos em lojas diferentes , esse índice deve chegar a 84% neste ano. Porém, apenas 33% compraram em um loja virtual que nunca ouviram falar em 2018.

Por isso, segundo Melchert, é importante investir no fortalecimento da marca antes do início da temporada. Uma sugestão que ele dá é desenvolver estratégias de fidelização junto aos clientes do aplicativo da loja.

6 – Dica bônus – Lei de proteção de dados pessoais traz responsabilidade para e-commerces

Segundo o diretor de Comunicação Rafael Corrêa, a temporada Black Friday de 2019 não será impactada pela nova legislação de proteção de dados pessoais, já que a regulação entra em vigor em agosto de 2020. 

Algumas empresas, porém, segundo ele, já estão se adaptando às novas regras já em 2019. Ele aponta, entre os pontos de atenção para o ano que vem, a segurança dos dados dos clientes. Segundo a nova legislação, a empresa deve se resguardar para não haver o vazamento desses dados.

“Os varejistas devem ficar atentos, entre outras questões que a lei traz, na responsabilidade pelos dados que, quando o consumidor aceita as condições, ficam sobre o cuidado deles”, alerta Corrêa. 

Fonte: IG Economia
Comentários Facebook
publicidade

Economia

Governo teme proposta do PT sobre volta de aposentadoria para cargos de risco

Publicado

source
Paulo Paim arrow-options
Moreira Mariz/Agência Senado – 7.3.17

O senador petista Paulo Paim defende a volta das aposentadorias especiais por categorias de trabalhadores em caso de atividades de risco à saúde

Vencida a votação do texto final da reforma da Previdência na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) , o governo se prepara para enfrentar a batalha no plenário da Casa, onde os partidos da oposição vão apresentar destaques para retirar pontos da proposta, que podem reduzir o seus impacto fiscal.

Um deles, defendido pelo senador Paulo Paim (PT-RS), preocupa os técnicos da equipe econômica porque permitiria a volta das aposentadorias especiais por categorias de trabalhadores em caso de atividades de risco à saúde. Isso não é mais permitido desde 1995.

“A gente está trabalhando para que haja o menor número possível de alterações. Qualquer emenda que altere o texto preocupa a gente. Mas essa em especial deixa em aberto uma situação que já foi revertida em 1995. Ela é supressiva e permite voltar ao status quo anterior que, antigamente você tinha as categorias de periculosidade, por exemplo um engenheiro, podia se aposentar como periculoso, um jornalista”, disse o secretário especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, após a votação na CCJ.

Veja Também:  Governo prepara ‘pacotão’ de medidas pós-Previdência; confira temas aguardados

Ele destacou que a votação na comissão foi rápida porque havia acordo entre os líderes dos partidos e além disso, não cabia emendas de mérito, apenas de redação. Já no plenário, destacou Marinho, tudo pode acontecer, pois é possível que os destaques supressivos somem dez, conforme ocorreu na votação em primeiro turno. Nela, o governo foi derrotado na questão do abono salarial (Pis/Pasep), que foi retirado da reforma.

“O nosso trabalho agora é conversar com os líderes ligados ao nosso campo político que tem identidade com a pauta para que não apresente emendas porque já está de bom tom”, disse Marinho, acrescentando que o governo só vai apurar o impacto final da reforma depois da conclusão da votação.

Leia também: Não tenha o pedido de aposentadoria negado: veja os 5 erros mais comuns

O relator da reforma no Senado, Tasso Jereissati (PSDB-CE), disse que a expectativa é que o plenário preserve 99% do texto — o que resultaria em uma economia de R$ 800 bilhões em dez anos. Contudo, ele disse que não espera uma votação tranquila, sobretudo dos destaques:

Veja Também:  Dólar opera em alta nesta segunda, a R$ 4,13; Bolsa avança aos 104 mil pontos

“A questão da Previdência é muito sensível, mexe com a vida de todas as pessoas, e nunca é tranquilo. É sempre um tema que leva para o lado emocional, mas esperamos manter a economia fiscal intacta”.

Fonte: IG Economia
Comentários Facebook
Continue lendo

Economia

Vaticano vai falir? Líderes falam em “estratégia para desacreditar o Papa”

Publicado

source

IstoÉ Dinheiro

Papa Francisco arrow-options
Reprodução/Shutterstock

Vaticano à beira da falência? Líderes falam em “estratégia para desacreditar o Papa”

O Vaticano não está à beira da falência, como aponta um livro publicado esta semana, declararam nesta terça-feira o cardeal hondurenho Oscar Andrés Rodríguez Maradiaga e o responsável pelo patrimônio da Santa Sé, bispo Nunzio Galantino.

Leia também: “Para Deus, ninguém é estrangeiro”, afirma Papa em missa a migrantes

“Dizer que o Vaticano está em risco de falência é falso”, assegurou o cardeal, questionado sobre a tese que aparece em um livro publicado pelo jornalista italiano Gianluigi Nuzzi.

Rodríguez Maradiaga faz parte do grupo de seis cardeais que aconselham o papa Francisco nas reformas econômicas da Cúria, o governo central. “Parece-me que o que está em andamento é uma estratégia para desacreditar o papa”, disse o cardeal, em entrevista publicada nesta terça-feira pelo jornal italiano La Repubblica .

“Querem atacar o pontificado: primeiro retratando a igreja como uma instituição cheia de pedófilos e depois acusando-a de ser negligente com seu sistema econômico . Mas não é assim”, acrescentou o cardeal.

Veja Também:  ‘Raspadinha’ da Caixa é privatizada e vendida pelo valor mínimo pedido em leilão

O livro de Nuzzi, baseado na análise interna das contas do Vaticano , argumenta que o Vaticano está prestes a falir e que as reformas do papa para limpar suas contas são insuficientes.

O jornalista, conhecido por ser o autor de livros escandalosos sobre o Vaticano, incluindo “Via Crucis” e “Sua Santidade”, com as cartas vazadas pelo mordomo de Bento XVI , foi julgado e absolvido pelo Vaticano em 2016 por esses vazamentos.

Para o presidente da Administração do Patrimônio da Sé Apostólica, APSA, bispo Galantino, entrevistado pelo jornal católico italiano Avvenire, “não há colapso ou inadimplência” no Vaticano.

Leia também: Papa Francisco pergunta para Mourão: Pelé ou Maradona?

“É necessário revisar as despesas. E é isso que estamos fazendo. Posso provar isso com números”, disse o bispo, que acredita se tratar de uma “sabotagem obstinada” contra a linha do pontificado do papa Francisco.

Fonte: IG Economia
Comentários Facebook
Continue lendo

Economia

Bolsa renova recordes e dólar cai à espera da aprovação da nova Previdência

Publicado

source
Paulo Guedes e Jair Bolsonaro arrow-options
Marcos Corrêa/PR

Bolsa brasileiro renova recordes e dólar cai à espera da aprovação da reforma da Previdência

A Bolsa brasileira registra fortes ganhos nesta terça-feira (22), renovando as pontuações máximas intradiárias. O Ibovespa , principal índice da B3, avança 0,76%, aos 106.829 pontos. No câmbio, o dólar comercial registra queda de 1,37%, valendo R$ 4,072. O que explica este comportamento positivo no mercado brasileiro é a expectativa com a votação final da reforma da Previdência no Senado .

Leia também: Quem não vê crescimento, não entende de economia, diz Bolsonaro

Na leitura dos analistas, o otimismo do mercado tem a ver tanto com a aprovação da mudança no sistema de aposentadorias quanto na possibilidade de o Legislativo debater outros temas econômicos importantes.

Nesta segunda, a Bolsa brasileira bateu o seu recorde de fechamento, ao encerrar o dia acima dos 106 mil pontos. Mais uma vez, a reforma previdenciária foi determinante para o otimismo, que já fora visto em outros momentos da tramitação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC).

Veja Também:  Guia revela cargos e áreas em alta para 2020; salários podem atingir R$ 69 mil

“A consolidação da Previdência é importante. Com sua aprovação, será virada uma página e, com isso, haverá espaço no Legislativo para que outras pautas importantes, como as reformas tributária e administrativa, sejam debatidas e levadas adiante”, destaca Maurício Pedrosa, estrategista da gestora Áfira.

Leia também: Mesmo se aprovada hoje, reforma da Previdência continua em discussão; entenda

Aprovada na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, a reforma deve ser o grande tema do plenário da Casa nesta terça, e as expectativas do governo em relação ao sucesso da votação são as melhores possíveis, o que ajuda a explicar a empolgação do mercado com a aprovação.

Fonte: IG Economia
Comentários Facebook
Continue lendo

Nova Xavantina

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana