conecte-se conosco


Mato Grosso

Bezerra pode ter o mandato cassado; Deputado é acusado de ter se aproveitado de entrega de títulos feita pelo Incra no P.A. Safra em Nova Xavantina

Publicado

O deputado federal Carlos Bezerra (MDB) pode ter seu mandato cassado pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) pelo suposto cometimento de crime eleitoral. O político é acusado de ter se aproveitado da entrega de títulos definitivos de propriedade feita pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), na cidade de Nova Xavantina, para promover sua candidatura em 2018.

A denúncia foi feita pela Procuradoria Regional Eleitoral (PRE) que afirma que no dia 2 de setembro de 2018, durante a solenidade de entrega do título de domínio do P.A. Safra, zona rural de Nova Xavantina, o prefeito João Batista Vaz (PSD), teria feito um discurso em que salientava que o registro das matrículas dos novos imóveis rurais seria gratuito e teria elogiado Bezerra, “vinculando o mandato parlamentar à obtenção daqueles títulos por aquelas pessoas e pedindo expressamente voto para Bezerra, sob o argumento de que deveriam ajudar quem os ajuda”, de acordo com a acusação.

Todo o ocorrido teria sido filmado por um dos presentes e o vídeo faz parte do processo, que pode resultar na cassação do mandato de Bezerra. A defesa do eterno cacique emedebista ainda tentou uma manobra protelatória arrolando novas testemunhas.

Veja Também:  Governo do Estado finaliza COT UFMT e entrega complexo para universidade no dia 28

O pedido de oitiva argumentava que a apresentação de novas testemunhas poderia complementar a elucidação dos fatos. O objetivo era ouvir Anísio Aparecido Mariano, Engenheiro Agrimensor responsável pela elaboração do georreferenciamento; Marcelino Ferreira da Paixão, Presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais e Gilvan Ribeiro Gomes, mas o juiz Bruno D’Oliveira Marques, do TRE, negou o recurso, alegando que isso teria que ser pedido no início do processo.

“O embargante sequer fundamentou a utilidade da produção dessa prova, bem como ainda o motivo por que não foi requerida na fase respectiva do rito próprio”, escreveu o magistrado em sua decisão.
Anteriormente, o juiz eleitoral Antônio Veloso Peleja Júnior já havia rejeitado um pedido para anular a prova, no caso o vídeo do evento em que o crime teria sido cometido, no último dia 6 de agosto, afirmando que se tratava de prova obtida de forma ilícita, mas esse pedido também foi negado.

OUTRA ACUSAÇÃO

Entre outras acusações, Bezerra também é acusado de fazer parte do grupo de 14 políticos que são investigados pelo Supremo Tribunal Federal (STF) na apuração sobre compra de votos por Eduardo Cunha (MDB) para ser eleito presidente da Câmara em 2015.

Veja Também:  Portal Transparência registra mais de 1,1 milhão de acessos em 2019

De acordo com a Procuradoria Geral da República (PGR), esse grupo teria recebido R$ 30 milhões no ano de 2014 para que Cunha fosse eleito “para fazer contraponto à então presidente Dilma Rousseff (PT)” e o dinheiro teria sido repassado por meio de doações oficiais, entregas em dinheiro vivo e emissão de notas fiscais frias, sem a prestação do serviço.

Fonte: Água Boa News

Comentários Facebook
publicidade

Mato Grosso

Polícia Civil cumpre mandados contra quadrilha de roubos e furtos de veículos de locadoras

Publicado

A Polícia Judiciária Civil, através da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (DERF) de Barra do Garças (509 km a Leste de Cuiabá), com o apoio operacional da Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO), deflagrou nesta quarta-feira (22.01) a Operação Localiza, que investiga uma associação criminosa responsável por subtrair, mediante fraude, veículos de propriedade de locadoras em todo o estado de Mato Grosso.

Na operação, as equipes da GCCO ficaram responsáveis por três ordens judiciais, expedidas pela comarca de Barra do Garças com base nas investigações da DERF do município, sendo cumpridos um mandado de prisão preventiva e dois de buscas e apreensões domiciliares em Cuiabá.

De acordo com o delegado da DERF Barra do Garças, Nélder Martins Pereira, responsável pelas investigações, somente no mês de julho de 2019 os integrantes da quadrilha roubaram uma pick-up Fiat Strada e um Volkswagen Voyage de uma empresa da cidade de Barra do Garças e, em seguida, fugiram para a capital mato-grossense.

Há também fortes indícios de atuação do grupo criminoso nas cidades de Nova Mutum, Jaciara, Sorriso e até também em Aragarças, estado de Goiás.

Veja Também:  Portal Transparência registra mais de 1,1 milhão de acessos em 2019

As investigações indicam que a quadrilha, em clara divisão de tarefas, simulava o roubo/furto de um veículo segurado (registrando boletim de ocorrência do sinistro) e acionava a empresa seguradora, solicitando, inclusive, um veículo reserva junto a uma empresa de locação.

“Geralmente, usando documentos pessoais e ‘cheques caução’ falsos, um integrante fazia, sem grandes dificuldades, a retirada/subtração do veículo locado. Dias depois, registravam o boletim de ocorrência de recuperação do veículo segurado e o transferiam a terceiro”, explicou o delegado.

As diligências continuam para localizar e prender outros suspeitos. As investigações prosseguem na DERF de Barra do Garças, sendo os investigados responsabilizados pelos crimes de furto mediante fraude e associação criminosa, sem prejuízo de apuração de outras infrações penais conexas.

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Mato Grosso

Polícia Civil prende homem que agrediu ex-companheira com chave de fenda em Várzea Grande

Publicado

Um homem acusado de agredir a namorada com golpes de chave de fenda teve o mandado de prisão cumprido pela Polícia Judiciária Civil nesta quarta-feira (22.01), em ação da Delegacia Especializada de Defesa da Mulher, Criança e Idoso de Várzea Grande (DEDMCI-VG) com apoio da Delegacia Especializada de Defesa da Mulher de Cáceres (228 km a Oeste de Cuiabá).

O suspeito conviveu cinco anos com a vítima e já havia a agredido anteriormente, no mês de dezembro de 2019. Assim que saiu da prisão, em janeiro, mesmo ciente das medidas protetivas, rompeu a tornezeleira eletrônica para praticar a nova agressão.

O crime ocorreu no dia 10 de janeiro em uma residência no bairro Parque do Lago, em Várzea Grande. O suspeito, pelo fato de não aceitar o fim do relacionamento, pulou o muro da casa em que a vítima estava e a agrediu com diversos golpes com chave de fenda, ferindo a vítima na barriga,  costas, nuca, tórax e rosto.

Enquanto a agredia, o suspeito xingava, ameaçava de morte e ao mesmo tempo pedia perdão à vítima. Após o crime, o agressor foi embora, porém, voltou a passar em frente à casa, apontado uma arma de fogo e dizendo que iria matar a vítima.

Veja Também:  Setasc faz o repasse de R$ 6,4 milhões do cofinanciamento para os municípios de MT

Diante da gravidade da situação e para evitar um futuro feminicídio, a delegada Mariel Antonini Dias representou pela prisão preventiva do suspeito, que foi deferida pela Justiça. A ordem judicial foi cumprida nesta quarta-feira (22), na cidade de Cáceres, com apoio da Delegacia Especializada de Defesa da Mulher do município.

“Para evitar consequências maiores, como um possível feminicídio, a Delegacia da Mulher de Várzea Grande atuou de maneira grave e eficaz, fazendo que o agressor retornasse à prisão”, disse a delegada.

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Mato Grosso

Veículos novos serão utilizados na regularização fundiária do interior

Publicado

Cinco novos veículos vão reforçar as ações de regularização fundiária executadas pelo Instituto de Terras de Mato Grosso (Intermat), e pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA). As caminhonetes locadas com recursos do Programa Terra a Limpo foram entregues na manhã desta quarta-feira (22.01), no Palácio Paiaguás. 

Conforme o presidente do Intermat, Francisco Serafim, os veículos são apenas uma parte do que o governo pretende investir para regularizar as áreas de domínio público, sejam elas federais, ou do Estado. 

“Com essa medida estamos dando condições para o trabalho. Estamos concedendo também combustível, óleo diesel, para as caminhonetes, e diárias para os técnicos do Incra realizarem este serviço. Estamos ajudando o cidadão mato-grossense do interior, já que um dos maiores problemas sociais do estado é a falta de regularização”, explica o presidente. 

Quatro caminhonetes entregues são do modelo Amarock, com tração 4×4, e uma delas do modelo Chevrolet S10, todas com manutenção preventiva e corretiva adequadas para trânsito em áreas de difícil acesso, como assentamentos e glebas rurais do interior do estado. O investimento na locação é de R$ 243 mil, em um contrato de 12 meses de atividade. 

Veja Também:  AGER-MT aplica multa de R$ 14,4 milhões à Energisa de Mato Grosso

“Mais que os veículos, são os custos e as diárias para os técnicos do Incra que deverão correr todo o estado de Mato Grosso, com o único objetivo de beneficiar as pessoas que estão há muitos anos aguardando a sua regularização e até hoje não conseguiram. Isso foi apenas o início. Queremos limpar a fila de espera de títulos, e deixar esta pauta zerada nesta gestão”, afirma o secretário-chefe da Casa Civil, Mauro Carvalho.

Representando a bancada federal, o deputado federal Nelson Barbudo, elogiou a destinação dos recursos para estruturar os órgãos responsáveis pela política fundiária. “Quero agradecer ao governador, e ao pessoal que trabalhou incansavelmente para obter esse recurso, estamos dando continuidade a um trabalho. A celeridade é o mais importante. Precisamos que este recurso ajude a dar rapidez a nossa tão sonhada reforma fundiária”.

Conforme o superintendente do Incra de Mato Grosso, Ivanildo Teixeira, são beneficiados pelos recursos do Terra a Limpo mais de 180 assentamentos do interior do estado. “É um recurso que chegou em boa hora, a frota do Incra é antiga, o que não nos possibilita andar grandes distâncias. Os veículos serão utilizados tanto para a fiscalização do georreferenciamento, bem como vistoria para titulação dos assentados”, conta.

Veja Também:  Adolescentes são apreendidos por tentativa de roubo de Cáceres

Terra a Limpo O programa prevê um investimento de R$72,9 milhões em Mato Grosso, com o objetivo central de promover a resolução de conflitos, e a segurança jurídica pela posse da terra, beneficiando famílias de agricultores de 87 municípios.

O programa foi instituído pelo Decreto nº 1.560, de 29 de junho de 2018, sob a coordenação central da Casa Civil, com a implementação da política fundiária no estado realizada pelo Intermat, em parceria de diversos órgãos estaduais.

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Nova Xavantina

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana