conecte-se conosco


Nacional

Bolsonaro abandona entrevista ao ser perguntado sobre mensagens de Moro

Publicado

João Doria e Jair Bolsonaro
Alan Santos/PR – 11.6.19

Bolsonaro participou de evento em São Paulo ao lado de João Doria, governador do estado, e não gostou quando foi questionado sobre conversas vazadas de Moro

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) interrompeu uma entrevista coletiva nesta terça-feira (11), na capital paulista, ao ser questionado sobre o vazamento de diálogos privados atribuídos aos ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro , e ao procurador Deltan Dallagnol , coordenador da Operação Lava Jato em Curitiba.

Depois de um encontro com o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), e o ministro da Economia, Paulo Guedes, no aeroporto de Congonhas, Bolsonaro conversou com jornalistas sobre o andamento da proposta de reforma da Previdência.

Leia também: Maia desencorajou centrão a embarcar em uma CPI contra Sergio Moro

Depois de responder algumas perguntas sobre o tema, o presidente foi questionado sobre o vazamento das conversas, que ocorreram quando Moro ainda era juiz em Curitiba.

Irritado, Bolsonaro apenas respondeu: “Está encerrada a entrevista”, e deixou a sala de autoridades onde concedia a entrevista e seguiu com sua comitiva para a sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), onde terá um encontro com integrantes da entidade.

Veja Também:  Após incêndio, Ponte do Jaguaré é parcialmente reaberta nesta terça-feira

Assista ao momento abaixo:


Comentários Facebook
publicidade

Nacional

Mototaxista diz que viu neta de Flordelis jogar celular do pastor no mar

Publicado

Flordelis
LUCIANO BELFORD/O DIA

Flordelis chorou durante entrevista


Um mototaxista contou aos investigadores da Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo (DHNSG), na tarde desta quarta-feira (26), que levou uma das netas da deputada federal Flordelis até o mar de Piratininga, na Região Oceânica de Niterói, cerca de 10 km da casa onde aconteceu o assassinato do pastor Anderson do Carmo. O homem afirmou que no local, ele viu a neta da cantora gospel atirando no mar um celular.

Leia também: Advogado de filho de Flordelis diz que arma pode ter sido plantada por policiais

A neta, que já depôs na especializada, nega que tenha atirado o celular no mar. Ela contou aos agentes que foi até o local para relaxar. O fato teria acontecido no mesmo dia da busca e apreensão da polícia na casa de Flordelis ,  na última terça-feira (18).

Nesta busca e apreensão, os agentes da DHNSG apreenderam cerca de 40 celulares, alguns documentos. Entre eles, papéis que estavam sendo queimados em uma fogueira.
A Polícia Civil investiga se o celular que a neta jogou no mar pertencia a Flavio dos Santos, filho de Flordelis, que está preso suspeito de participação na morte .

Veja Também:  Juízes fazem moção de apoio a Moro, que corre risco de ser expulso de associação

Leia também: Celular do marido de Flordelis foi usado horas após sua morte, diz investigação

A Polícia Civil descobriu que o celular do pastor Anderson do Carmo foi usado horas depois dele ser assassinado dentro de casa, em Niterói. O marido da deputada federal Flordelis foi morto durante a madrugada e o aparelho enviou mensagens para grupos de amigos entre 9h e 10h da manhã. O telefone até hoje não foi encontrado.

Comentários Facebook
Continue lendo

Nacional

Bolsonaro pede “punição severa” a militar preso com cocaína em voo

Publicado

Comitiva Bolsonaro
Alan Santos/PR

Militar que foi preso com 39 kg de cocaína em bagagem estava na comitiva oficial de Bolsonaro ao G-20

O presidente Jair Bolsonaro disse na tarde desta quarta-feira que exigiu “investigação imediata e punição severa” ao militar da Aeronáutica preso com 39 quilos de cocaína em um voo que transportava a equipe que dava apoio à comitiva presidencial. Nas redes sociais, o presidente afirmou que o episódio é inaceitável.

Leia também: Celso de Mello cutuca o governo e cita caso de sargento preso com drogas

 “Apesar de não ter relação com minha equipe, o episódio de ontem, ocorrido na Espanha, é inaceitável. Exigi investigação imediata e punição severa ao responsável pelo material entorpecente encontrado no avião da FAB. Não toleraremos tamanho desrespeito ao nosso país!”, escreveu Bolsonaro .

O militar flagrado com cocaína em sua mala, em sevilha, na Espanha, foi identificado como o segundo-sargento da Aeronáutica Manoel Silva Rodrigues, o  militar já fez outras viagens no escalão avançado da Presidência da República  .

Veja Também:  Moro desiste de ir à audiência na Câmara para falar sobre mensagens vazadas

O militar era comissário do voo que levou à Espanha a equipe do escalão avançado de transporte de apoio à comitiva do presidente Jair Bolsonaro, que embarcou rumo ao Japão na noite de terça-feira para reunião do G20.

A comitiva de apoio à equipe presidencial fez escala em Sevilha antes de seguir para o Japão, onde o chefe do Planalto participará da cúpula de líderes do G20. O avião presidencial faria escala na mesma cidade espanhola antes de seguir para o Japão, mas, após a prisão do militar, seguiu para Portugal.

Apresentado em um tribunal nesta quarta-feira, Silva Rodrigues foi colocado em detenção provisória. Na noite desta terça-feira, Bolsonaro disse, nas redes sociais, que determinou que o Ministério da Defesa colabore com as investigações da Polícia da Espanha.

O presidente em exercício Hamilton   Mourão   já havia afirmado em entrevista à Rádio Gaúcha, que o militar “vai ter uma punição bem pesada” . Mourão afirmou que as Forças Armadas não estão imunes ao “flagelo da droga” e esta não é a primeira ocorrência do tipo na Marinha, no Exército ou na Aeronáutica.

Veja Também:  Altas temperaturas deixam cidades da Europa em alerta vermelho

Leia também: Carlos Bolsonaro ataca Doria nas redes sociais: “Isentão ensaboado”

“Agora a legislação vai cumprir o seu papel, e esse elemento vai ser julgado por tráfico internacional de drogas e vai ter uma punição bem pesada”, declarou Mourão. “Agora o mais importante é ver as conexões que ele poderia ter, porque uma atitude dessa natureza não brotou da cabeça dele. Com certeza existem conexões nisso aí”, concluiu o vice de Bolsonaro .

Comentários Facebook
Continue lendo

Nacional

Lava Jato pede ao TRF-4 aumento da pena de Lula no caso do sítio de Atibaia

Publicado

Atibaia
Reprodução/Google Maps

Sítio de Atibaia atribuído pela Lava Jato a Lula pertence oficialmente a Fernando Bittar, amigo da família do petista

A Procuradoria Geral da República da 4ª Região apresentou parecer ao Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) em que recomenda o aumento da pena do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na ação referente ao sítio de Atibaia. A 13ª Vara Federal de Curitiba condenou o ex-presidente a 12 anos e 11 meses de prisão, por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Não há data para o julgamento pelo TRF-4.

Leia também: TSE autoriza inquérito de caixa dois contra senador Jaques Wagner

Em primeira instância, Lula não havia sido condenado por corrupção na reforma do sítio realizada pelo pecuarista José Carlos Bumlai. A Procuradoria entende que ele deve ser condenado, pois embora possa não ter tomado conhecimento do pedido para que as reformas fossem feitas, quando tomou conhecimento delas deveria ter providenciado o pagamento.

O procurador Maurício Gotardo Gerum pediu ainda que sejam aumentados os agravantes, que dizem respeito à culpabilidade do réu e a conduta social, que querem que seja considerada negativa. Na avaliação de Gerum, a juíza de primeira instância entendeu que houve favorecimento indireto da Odebrecht e da OAS, que também fizeram reformas no sítio.

Veja Também:  Jovem leva 23 perfurações pelo corpo após separação e fica em coma induzido

“Inequivocamente, o réu Luiz Inácio era tido como o “chefe” no grupo que praticou os crimes em questão. Mas a partir de sua liderança, utilizava o cargo de Presidente da República para definir nomes e orientar a composição da Diretoria da Petrobras, tudo com o claro objetivo de sustentar o esquema criminoso que, ao fim e ao cabo, acabou lhe servindo para as reformas ilícitas no sítio de Atibaia. Assim, não há como se desvincular os benefícios ilícitos que lhe foram granjeados nas reformas no sítio dos atos concretos que limitavam as nomeações do alto escalão da Petrobras a pessoas comprometidas com o esquema de desvio de recursos públicos”, escreveu o procurador.

Leia também: Celso de Mello cutuca o governo e cita caso de sargento preso com drogas

As alegações finais, que já foram entregues pela defesa de Lula, e o parecer da Procuradoria serão avaliados pelo relator da 8ª Turma do TRF-4, responsável pelos casos da Lava-Jato.

Comentários Facebook
Continue lendo

Nova Xavantina

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana