conecte-se conosco


Saúde

Brasil fecha acordo para Reino Unido ajudar com R$ 75 milhões na saúde pública

Publicado

Luiz Henrique Mandetta
José Cruz/ABr

Ministro Luiz Henrique Mandetta anunciou parceria do Brasil com o Reino Unido para investimento na saúde pública


O governo do Reino Unido vai liberar até 14 milhões de libras esterlinas (cerca de R$ 75 milhões) para financiar o aprimoramento de ações de saúde pública no Brasil por meio do programa Saúde Melhor, de acordo com informações do Ministério da Saúde. O lançamento global ocorreu em Londres, nesta segunda-feira (24), e contou com a presença do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta.

Os recursos vão ser usados para o fortalecimento de áreas estratégicas da saúde pública , como a atenção primária à saúde, em até quatro anos. Os valores serão utilizados também na incorporação de tecnologias digitais e padrões internacionais de uso de dados, nos ciclos de pesquisa e a inovação para a incorporação de novas tecnologias.

Leia também: Quem é quem no Ministério da Saúde? Conheça os secretários de Mandetta

Segundo Mandetta , o sistema de saúde inglês tem historicamente um nível muito elevado de gestão e organização e a troca será importante para o Brasil.

Veja Também:  Como os produtos à base de Cannabis agem no organismo e como será a venda deles?

“Na Atenção primária, eles são muito fortes. Na parte de epidemiologia, em resistência a antibióticos, eles também são muito fortes”, afirmou o ministro. Mandetta citou ainda outras áreas em que a parceria será importante, como genética e hemoderivados. “Será muito importante essa troca de experiência e de saberes com o sistema de saúde do Reino Unido , no qual nosso SUS é inspirado, um sistema público e universal.”

Leia também: Mais Médicos é reforçado em mais de mil municípios

Além do Brasil, também serão beneficiados pelo fundo do governo britânico para saúde pública México, África do Sul, Malásia, Filipinas, Tailândia, Vietnã e Myanmar.

Fonte: IG Saúde
Comentários Facebook
publicidade

Saúde

Aprenda a fazer uma massagem facial que ajuda quem tem sinusite

Publicado

A sinusite é uma doença inflamatória que é bastante comum e pode provocar uma série de sintomas desagradáveis. Se você está nessa estatística e sente incômodo, nariz entupido ou não consegue se livrar da secreção nasal, saiba que uma massagem facial pode te ajudar. 

Leia mais: Criança com sinusite contrai bactéria grave e fica com os olhos inchados

Sinusite pode causar bastante incômodo arrow-options
shutterstock

Sinusite pode ser causa de secreção, nariz entupido e dor

 A inflamação gerada pela sinusite ocorre na mucosa dos seios da face, região ao redor do nariz, maçãs do rosto e olhos. Muitas vezes, é causada por conta das mudanças repentinas do clima, ou ainda em razão da poluição e superlotação de pessoas. Pode ser aguda, crônica ou recorrente.

Seja qual for seu caso, segundo o otorrinolaringologista Salomão Carui, “a prática da massagem facial é uma grande aliada de quem sente dor nos ossos da face ou está com muita obstrução nasal”. Isso porque ela ajuda a drenar a secreção nasal . Quando ela não é drenada, fica presa nas cavidades nasais e se torna meio de cultura para vírus, bactérias e fungos.

Leia mais: Nariz entupido? Saiba as causas, o que fazer e quando partir para a cirurgia

Veja Também:  Menina quase fica cega após ser atingida por objeto pontiagudo no olho direito

Como fazer a massagem facial em casa

De acordo com a massagista Renata França, é possível fazer a massagem facial e ter alívio dos sintomas da sinusite da sua própria casa. Veja o passo a passo indicado pela especialista: 

1. Passar um creme facial

A primeira dica da massagista é passar algum “creminho” facial, como um preparador para maquiagem ou hidratante. Isso facilita o deslizamento das mãos e dedos pelo rosto.

2. Realizar movimentos ascendentes no rosto

Esses movimentos, segundo Renata, são ascendentes porque vão do nariz em direção à orelha. Também são recomendados movimentos no pescoço, de cima para baixo.

3. Pressionar acima das “saboneteiras”

A próxima dica de Renata é pressionar três vezes com as pontas dos dedos acima das clavículas, mais conhecidas como “saboneteiras”.

4. Deslizar mãos para as laterais do maxilar 

A recomendação é passar um pouco mais de creme e deslizar as mãos para os lados, na área do maxilar. Depois disso é aconselhado passar as mãos no pescoço, de cima para baixo, como um “leve carinho”. O objetivo é levar a linfa do rosto para a clavícula.

Veja Também:  Aprenda a fazer uma massagem facial que ajuda quem tem sinusite

5. Pressionar ao redor da orelha

A indicação de Renata é pressionar três vezes com as mãos ao redor das orelhas, na parte do rosto (frontal).

6. Deslizar as mãos do queixo para a orelha

Para esse exercício, Renata indica puxar, com a mão espalmada, do queixo até a orelha. 

7. Repetir os movimentos ascendentes no rosto

8. Mover dedos nas olheiras em direção ao nariz

Passar os dedos das olheiras em direção ao nariz cerca de 6 ou 7 vezes, circulando a área orbicular.

9. “Pentear” a pele da testa para cima 

Esse movimento deve ser feito acima das sobrancelhas, com os dedos puxando a pele de baixo para cima, com uma certa pressão. Deve ser repetido, no mínimo, 8 vezes.

10. Última passada dos movimentos ascendentes no rosto 

Leia mais: Antibióticos são ineficazes para tratar sinusite comum, diz estudo

Todo esse processo dura em torno de 5 a 10 minutos. Ele é apenas uma alternativa para gerar um alívio nasal mais imediato, mas é recomendado que os portadores da sinusite procurem um médico para seguirem os tratamentos mais adequados para cada caso. 

Fonte: IG Saúde
Comentários Facebook
Continue lendo

Saúde

Pesquisadores sugerem que teste de colesterol seja feito a partir dos 25 anos

Publicado

Jovens a partir de 25 anos de idade precisam conhecer o nível de colesterol em seu sangue para que possam se prevenir contra ataques cardíacos e derrames mais tarde. Essa foi a conclusão de um estudo divulgado, na última quarta-feira (4), na revista médica britânica The Lancet .

Leia também: Entenda a diferença entre o colesterol bom e o colesterol ruim 

colesterol arrow-options
shutterstock

Entenda por que o colesterol deve ser testado a partir dos 25 anos, segundo especialistas

Os autores, que analisaram os dados de mais de 400.000 pessoas de 19 países ocidentais por um período muito longo —até 43 anos, em alguns casos— confirmam o vínculo entre uma taxa de colesterol excessivamente alta e o maior risco cardiovascular a longo prazo.

Mas também demonstram que esse risco aumentado é maior em pacientes relativamente jovens (menos de 45 anos) do que naqueles com mais de 60 anos.

Assim, as mulheres com menos de 45 anos com um nível de colesterol LDL (o “mau”) um pouco alto — entre 1,45 e 1,85 gramas por litro — que apresentam pelo menos dois fatores de risco para doenças cardiovasculares (como obesidade, diabetes, hipertensão ou tabagismo) têm 16% de chance de acidente cardiovascular antes dos 75 anos, de acordo com o estudo.

Veja Também:  Aprenda a fazer uma massagem facial que ajuda quem tem sinusite

Leia também: Como diminuir o colesterol? Especialistas explicam o que deve ser feito 

No caso de mulheres acima de 60 anos com o mesmo perfil, o risco é de 12%, de acordo com o estudo, publicado na Lancet . Nos homens com as mesmas características, as chances são de 29% e 21%.

Duração da exposição

“O que se sugere é que não é apenas o nível de colesterol, mas a duração da exposição a um colesterol alto que coloca a saúde em risco”, ressalta Paul Leeson, professor de medicina cardiovascular da Universidade de Oxford (Reino Unido), em um comentário independente sobre o estudo.

Com a ajuda de um modelo estatístico, os pesquisadores demonstram que, se metade da taxa de colesterol ruim for reduzida —com a ajuda, por exemplo, de medicamentos da família das estatinas—, o risco cardiovascular em mulheres com menos de 45 anos cairia para 4% e nos homens para 6%.

O colesterol HDL, descrito como “colesterol bom”, é constituído por lipoproteínas que transportam o excesso de colesterol para o fígado, impedindo assim seu acúmulo nos vasos sanguíneos.

Veja Também:  Menina quase fica cega após ser atingida por objeto pontiagudo no olho direito

O colesterol LDL é medido subtraindo a quantidade total de colesterol e a do colesterol HDL. Consiste em colesterol LDL (associado ao risco de aterosclerose, um endurecimento dos vasos sanguíneos devido à formação de ateromas) e triglicerídeos.

“Esses resultados consolidam a ideia de que o controle do nível de colesterol o mais rápido possível no decorrer da vida pode produzir melhores resultados do que esperar tratamento em uma idade avançada”, diz Leeson.

No entanto, antes de deduzir recomendações médicas, é necessário fazer mais pesquisas sobre como reduzir efetivamente o colesterol em pessoas relativamente jovens, especialmente sobre a relevância de fazer o tratamento continuamente por décadas, enfatiza.

Os dados atuais sobre as estatinas “não avaliam tratamentos há várias décadas; portanto, o risco de efeitos colaterais que modificam a relação benefício-risco não está claramente estabelecido”, estima Jennifer G. Robinson, professora do departamento de epidemiologia da Universidade de Iowa (Estados Unidos) em outro comentário independente sobre o estudo.

Leia também: 11 trocas simples que ajudam a reduzir o nível do colesterol

Vários autores do estudo declararam que receberam vários tipos de financiamento, como bolsas de pesquisa ou remuneração de diferentes laboratórios farmacêuticos.

Fonte: IG Saúde
Comentários Facebook
Continue lendo

Saúde

Desnutrição pode levar à morte; entenda a condição e saiba as principais causas

Publicado

Minha Saúde

A desnutrição é uma condição muito comum e que pode ser fatal. Por isso, ela deve ser diagnosticada rapidamente e tratada da forma adequada. Mas afinal, o que caracteriza esse distúrbio?

Leia também: Caso de jovem que perdeu movimento das pernas expõe riscos de dieta restritiva

desnutrição arrow-options
shutterstock

A desnutrição deve ser diagnosticada em tempo hábil para evitar complicações sérias e até mesmo a morte

A desnutrição é um estado físico de nutrição desequilibrada. Quando pensamos na doença, geralmente atribuímos à falta de calorias, proteínas ou outros nutrientes. Isso ocorre frequentemente em áreas do mundo sem acesso adequado a alimentos e água potável.

No entanto, também ocorre a supernutrição. Nesse caso, o problema é causado pelo excesso de calorias sem nutrientes. Essas pessoas geralmente não consumem alimentos nutritivos na quantidade suficiente, como frutas, verduras, grãos integrais, proteínas magras, feijão, laticínios com pouca gordura, nozes e sementes.

Isso pode resultar em deficiências de vitaminas, minerais ou proteínas. Nos Estados Unidos, isso é comumente observado. Há um paradoxo no país entre a fome e o excesso de peso, que ocorre principalmente em áreas de insegurança alimentar e empobrecimento.

Veja Também:  Conheça os sintomas da depressão, doença que afeta Bruna Marquezine

Leia também: Cinco sinais de que você está desidratado

A desnutrição em crianças, especialmente nas menores, pode levar a um crescimento atrofiado, atrasos no desenvolvimento e mais doenças, devido à má função imunológica.

Desnutrição pode ocorrer por diversos fatores

Também existem casos de desnutrição clínica, o que ocorre quando um paciente hospitalizado fica desnutrido. Há muitas razões pelas quais alguém no hospital pode não estar recebendo nutrição suficiente. Por exemplo, se o corpo requer mais nutrição do que o normal.

Ou quando o corpo não é capaz de absorver os nutrientes que ingerem. Por isso, alguns pacientes precisam receber nutrição através de um tubo inserido no estômago ou mesmo nutrição intravenosa, onde o trato digestivo é completamente contornado.

É importante que a desnutrição seja diagnosticada em tempo hábil. Quando um paciente hospitalizado fica desnutrido, seu tratamento médico e sua recuperação são afetados. Além disso, a desnutrição aumenta o risco de morte, o tempo de permanência e os custos com saúde. Sendo assim, o ideal é que os hospitais identifiquem o problema dentro de 24 horas após a admissão do paciente.

Veja Também:  Como os produtos à base de Cannabis agem no organismo e como será a venda deles?

A desnutrição também pode ser resultado de um distúrbio alimentar . A doença pode ser causada ainda por falência de órgãos, infecção grave ou trauma físico, como um ferimento na cabeça. A desnutrição ocorre frequentemente na população idosa, especialmente naqueles com demência ou doença de Alzheimer.

Leia também: Entenda o que é a fome oculta, como pode afetar seu filho e qual o tratamento

Além disso, a perda de dentes e outros problemas dentários, a perda de apetite e o declínio funcional são fatores que contribuem para a desnutrição entre as pessoas dessa faixa etária. Com informações da Academia de Nutrição e Dietética.

Fonte: IG Saúde
Comentários Facebook
Continue lendo

Nova Xavantina

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana