conecte-se conosco


Economia

Casa própria mais barata: Caixa corta juros do financiamento imobiliário

Publicado

source
Casa própria arrow-options
Fernando Frazão/Agência Brasil – 8.4.16

Novas taxas de juros da Caixa serão válidas para financiamento imobiliário que não usam a inflação para correção

A Caixa Econômica Federal anunciou, nesta terça-feira (8), corte de até 1 ponto percentual  nos juros do financiamento imobiliário . Com isso, a taxa mínima para quem é cliente do banco cairá de 8,5% ao ano para 7,5% ao ano mais a Taxa Referencial (TR). A máxima baixará de 9,75% ao ano para  9,50% ao ano, mais a TR.

Leia também: Feirões para renegociar dívidas estão abertos: veja dicas de como aproveitar

A medida entrará em vigor na próxima segunda-feira (11) e valerá para novos contratos. Serão beneficiados contratos enquadrados no Sistema Financeiro da Habitação (SFH), com recursos da poupança para imóveis até R$ 1,5 milhão, e no Sistema Financeiro Imobiliário (SFI) – dentro do modelo tradicional, corrigido pela TR, atualmente zerada.

A menor tarifa valem para linhas de crédito do Sistema Financeiro de Habitação (SFH), voltado para os financiamentos de imóveis de menor valor e tem parte das unidades financiadas com recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), e para o Sistema Financeiro Imobiliário (SFI), destinado a imóveis mais caros, sem cobertura do FGTS .

Veja Também:  De costas para o Brasil

Em agosto, o banco lançou uma nova modalidade indexada à inflação. Por ela, a taxa mínima é de 2,95% ao ano e a máxima, de 4,95%, mais o índice de preços. Sendo assim, as linhas de financiamento que usam a inflação para correção não se enquadram nas novas taxas.

A Caixa é a terceira instituição financeira que diminui as taxas do financiamento habitacional em menos de um mês. Antes, o Itaú cortou de 8,1% mais TR a taxa de juros mínima para a casa própria para 7,45% mais TR. O Bradesco fez a mesma coisa, saindo de 8,20% para 7,30%.

Fonte: IG Economia
Comentários Facebook
publicidade

Economia

Governo teme proposta do PT sobre volta de aposentadoria para cargos de risco

Publicado

source
Paulo Paim arrow-options
Moreira Mariz/Agência Senado – 7.3.17

O senador petista Paulo Paim defende a volta das aposentadorias especiais por categorias de trabalhadores em caso de atividades de risco à saúde

Vencida a votação do texto final da reforma da Previdência na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) , o governo se prepara para enfrentar a batalha no plenário da Casa, onde os partidos da oposição vão apresentar destaques para retirar pontos da proposta, que podem reduzir o seus impacto fiscal.

Um deles, defendido pelo senador Paulo Paim (PT-RS), preocupa os técnicos da equipe econômica porque permitiria a volta das aposentadorias especiais por categorias de trabalhadores em caso de atividades de risco à saúde. Isso não é mais permitido desde 1995.

“A gente está trabalhando para que haja o menor número possível de alterações. Qualquer emenda que altere o texto preocupa a gente. Mas essa em especial deixa em aberto uma situação que já foi revertida em 1995. Ela é supressiva e permite voltar ao status quo anterior que, antigamente você tinha as categorias de periculosidade, por exemplo um engenheiro, podia se aposentar como periculoso, um jornalista”, disse o secretário especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, após a votação na CCJ.

Veja Também:  Café mantém alta no preço nesta segunda-feira

Ele destacou que a votação na comissão foi rápida porque havia acordo entre os líderes dos partidos e além disso, não cabia emendas de mérito, apenas de redação. Já no plenário, destacou Marinho, tudo pode acontecer, pois é possível que os destaques supressivos somem dez, conforme ocorreu na votação em primeiro turno. Nela, o governo foi derrotado na questão do abono salarial (Pis/Pasep), que foi retirado da reforma.

“O nosso trabalho agora é conversar com os líderes ligados ao nosso campo político que tem identidade com a pauta para que não apresente emendas porque já está de bom tom”, disse Marinho, acrescentando que o governo só vai apurar o impacto final da reforma depois da conclusão da votação.

Leia também: Não tenha o pedido de aposentadoria negado: veja os 5 erros mais comuns

O relator da reforma no Senado, Tasso Jereissati (PSDB-CE), disse que a expectativa é que o plenário preserve 99% do texto — o que resultaria em uma economia de R$ 800 bilhões em dez anos. Contudo, ele disse que não espera uma votação tranquila, sobretudo dos destaques:

Veja Também:  Quer FGTS em conta de outro banco? Caixa cobra taxa, mas Congresso questiona

“A questão da Previdência é muito sensível, mexe com a vida de todas as pessoas, e nunca é tranquilo. É sempre um tema que leva para o lado emocional, mas esperamos manter a economia fiscal intacta”.

Fonte: IG Economia
Comentários Facebook
Continue lendo

Economia

Vaticano vai falir? Líderes falam em “estratégia para desacreditar o Papa”

Publicado

source

IstoÉ Dinheiro

Papa Francisco arrow-options
Reprodução/Shutterstock

Vaticano à beira da falência? Líderes falam em “estratégia para desacreditar o Papa”

O Vaticano não está à beira da falência, como aponta um livro publicado esta semana, declararam nesta terça-feira o cardeal hondurenho Oscar Andrés Rodríguez Maradiaga e o responsável pelo patrimônio da Santa Sé, bispo Nunzio Galantino.

Leia também: “Para Deus, ninguém é estrangeiro”, afirma Papa em missa a migrantes

“Dizer que o Vaticano está em risco de falência é falso”, assegurou o cardeal, questionado sobre a tese que aparece em um livro publicado pelo jornalista italiano Gianluigi Nuzzi.

Rodríguez Maradiaga faz parte do grupo de seis cardeais que aconselham o papa Francisco nas reformas econômicas da Cúria, o governo central. “Parece-me que o que está em andamento é uma estratégia para desacreditar o papa”, disse o cardeal, em entrevista publicada nesta terça-feira pelo jornal italiano La Repubblica .

“Querem atacar o pontificado: primeiro retratando a igreja como uma instituição cheia de pedófilos e depois acusando-a de ser negligente com seu sistema econômico . Mas não é assim”, acrescentou o cardeal.

Veja Também:  Quer FGTS em conta de outro banco? Caixa cobra taxa, mas Congresso questiona

O livro de Nuzzi, baseado na análise interna das contas do Vaticano , argumenta que o Vaticano está prestes a falir e que as reformas do papa para limpar suas contas são insuficientes.

O jornalista, conhecido por ser o autor de livros escandalosos sobre o Vaticano, incluindo “Via Crucis” e “Sua Santidade”, com as cartas vazadas pelo mordomo de Bento XVI , foi julgado e absolvido pelo Vaticano em 2016 por esses vazamentos.

Para o presidente da Administração do Patrimônio da Sé Apostólica, APSA, bispo Galantino, entrevistado pelo jornal católico italiano Avvenire, “não há colapso ou inadimplência” no Vaticano.

Leia também: Papa Francisco pergunta para Mourão: Pelé ou Maradona?

“É necessário revisar as despesas. E é isso que estamos fazendo. Posso provar isso com números”, disse o bispo, que acredita se tratar de uma “sabotagem obstinada” contra a linha do pontificado do papa Francisco.

Fonte: IG Economia
Comentários Facebook
Continue lendo

Economia

Bolsa renova recordes e dólar cai à espera da aprovação da nova Previdência

Publicado

source
Paulo Guedes e Jair Bolsonaro arrow-options
Marcos Corrêa/PR

Bolsa brasileiro renova recordes e dólar cai à espera da aprovação da reforma da Previdência

A Bolsa brasileira registra fortes ganhos nesta terça-feira (22), renovando as pontuações máximas intradiárias. O Ibovespa , principal índice da B3, avança 0,76%, aos 106.829 pontos. No câmbio, o dólar comercial registra queda de 1,37%, valendo R$ 4,072. O que explica este comportamento positivo no mercado brasileiro é a expectativa com a votação final da reforma da Previdência no Senado .

Leia também: Quem não vê crescimento, não entende de economia, diz Bolsonaro

Na leitura dos analistas, o otimismo do mercado tem a ver tanto com a aprovação da mudança no sistema de aposentadorias quanto na possibilidade de o Legislativo debater outros temas econômicos importantes.

Nesta segunda, a Bolsa brasileira bateu o seu recorde de fechamento, ao encerrar o dia acima dos 106 mil pontos. Mais uma vez, a reforma previdenciária foi determinante para o otimismo, que já fora visto em outros momentos da tramitação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC).

Veja Também:  De costas para o Brasil

“A consolidação da Previdência é importante. Com sua aprovação, será virada uma página e, com isso, haverá espaço no Legislativo para que outras pautas importantes, como as reformas tributária e administrativa, sejam debatidas e levadas adiante”, destaca Maurício Pedrosa, estrategista da gestora Áfira.

Leia também: Mesmo se aprovada hoje, reforma da Previdência continua em discussão; entenda

Aprovada na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, a reforma deve ser o grande tema do plenário da Casa nesta terça, e as expectativas do governo em relação ao sucesso da votação são as melhores possíveis, o que ajuda a explicar a empolgação do mercado com a aprovação.

Fonte: IG Economia
Comentários Facebook
Continue lendo

Nova Xavantina

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana