conecte-se conosco


Mato Grosso

CGE desenvolve ações de saúde mental e segurança no trabalho

Publicado

A Controladoria Geral do Estado (CGE) está desenvolvendo uma série de ações voltadas à promoção da saúde mental e segurança no trabalho dos servidores do órgão. As ações tiveram início com o lançamento Programa Viver com Qualidade, em novembro de 2018, e sua implementação foi efetivada com o ingresso, na Controladoria, de uma servidora com formação em Psicologia, em março de 2019.

A psicóloga Juliana Seixas explica que uma das bases do trabalho é a adoção do modelo ‘biopsicossocial’ para a ampla compreensão da qualidade de vida dos servidores, pois essa visão é pautada pelas necessidades dos fatores biológicos (como aspectos físicos, herdados e adquiridos, biotipo, metabolismo), psicológicos (personalidade, comportamento, crenças e motivações) e sociais (cultura, papeis na sociedade e grupos de interesses).

O trabalho envolve a realização de atendimentos individualizados, que podem ser iniciados por demanda espontânea do servidor em procurar o serviço; por demanda do setor de Gestão de Pessoas, de acompanhamento de servidores em situações de afastamento para tratamento de saúde ou, também, por encaminhamento dos gestores do servidor, quando verificada a possível necessidade. 

Os atendimentos individualizados são feitos de forma reservada e com sigilo absoluto. A proposta é que por meio do contato com a profissional, haja acolhimento ao servidor para compreender seu sofrimento e pensar nos encaminhamentos adequados, quanto à necessidade de indicar um tratamento médico ou com psicólogo clínico, por exemplo.  

Foco é o grupo

Apesar do acompanhamento aos casos individuais, o trabalho tem como foco o desenvolvimento do grupo, de uma melhora na interação e integração da equipe. Nesse sentido, a Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag) vai aplicar nos próximos dias, na CGE, uma pesquisa de diagnóstico organizacional. O levantamento vai avaliar os impactos das condições de trabalho e suas influências na saúde mental do servidor. O resultado vai nortear as ações a serem executadas, potencialmente em grupos. 

Veja Também:  Mato Grosso receberá comitiva da Bolívia para tratar do fornecimento de gás natural

“Vamos nos voltar a entender e a encontrar caminhos para situações como o absenteísmo (falta de assiduidade no trabalho), o presenteísmo (estar presente no ambiente de trabalho, mas, por vários motivos, o profissional não apresenta resultados efetivos) e a rotatividade em setores (por dificuldades de adaptação ou outras a serem verificadas). Precisamos estabelecer um pacto produtivo com o servidor, que envolve dar condições de trabalho e educar para a eficiência”, explica Juliana. 

Segundo ela, alguns comportamentos recorrentes dos servidores podem requerer maior atenção e análise em profundidade, diferente de um julgamento superficial que possa ser estabelecido. “Em alguns momentos, por exemplo, é natural ter uma vitalidade mais baixa, estar mais vagaroso. Porém, quando isso se repete muito, é preciso atenção. Em determinadas situações, uma depressão se manifesta com uma irritabilidade constante e não necessariamente com humor deprimido e com pouco interesse nas atividades. Cada pessoa tem uma subjetividade. Em psicologia, a gente trata cada paciente como um caso”, argumenta.

Nesse contexto, a psicóloga destacou o papel de cada líder de setor na gestão de pessoas. “Os líderes são também gestores de recursos humanos, porque lidam diretamente com as pessoas e com os desafios delas. A função interpessoal é o maior desafio do gestor, pois envolve mediar conflitos, por vezes motivar sem estar motivado, responder pela qualidade do trabalho de outras pessoas, avaliar pessoas e distribuir as tarefas, comunicar com cautela e neutralizar as diferenças.”

Na parte da saúde, está em andamento também o Programa de Promoção à Saúde, Prevenção e Controle das Doenças Crônicas não Transmissíveis (obesidade, hipertensão, diabetes), sob a orientação de servidor com formação em Educação Física, da Seplag. Além disso, em breve será implementado o Programa de Educação para Aposentadoria.

Veja Também:  Grupo Estadual de Combate aos Crimes de Homofobia participa de audiência pública sobre direitos LGBT

Segurança no trabalho

Na vertente da promoção da segurança no trabalho, as ações envolvem os encaminhamentos necessários em casos de acidentes (Preenchimento da Comunicação de Acidente e Agravos a Saúde do Servidor – CASS), diagnósticos de necessidades e soluções ergonômicas. “Precisamos ser mais preventivos do que reativos. Pensar e agir para evitar a ocorrência de acidentes e danos psicológicos aos servidores”, salienta a psicóloga.

Em reunião com a liderança do da CGE para apresentação das ações, o secretário-controlador geral do Estado, Emerson Hideki Hayashida, ressaltou a importância do trabalho. “Sempre gostei de entender o lado profissional de cada um, colocar em objetivo o que as pessoas têm de melhor. Temos de ter o cuidado de entender o porquê as pessoas estão ali, porque têm de fazer alguma coisa. Por isso, quero contar com o engajamento de todos os gestores da CGE e seus liderados para que possamos evoluir institucionalmente”, conclamou. 

Programa A3P 

As ações de promoção da saúde mental e segurança no trabalho foram motivadas por necessidades identificadas pela Comissão Gestora do Programa Agenda Ambiental na Administração Pública (Programa A3P), como parte do eixo de qualidade de vida.

Por isso, o coordenador da Comissão Gestora do Programa A3P na CGE, Marino Koch, explanou sobre as atividades em andamento e previstas em relação aos demais eixos da ação: uso racional dos recursos naturais e bens públicos, gerenciamento adequado dos resíduos sólidos, contratações públicas sustentáveis e construções sustentáveis.

“A ideia da realização de reuniões como esta é sensibilizar os gestores a incentivarem a adoção das práticas sustentáveis junto aos seus liderados já que os resultados dos trabalhos dependem do engajamento de todos os servidores e não somente da comissão formada para coordenar as atividades”, disse.

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook
publicidade

Mato Grosso

Sema realiza encontro com especialistas em Táxon da UFMT

Publicado

Servidores da Sema se reuniram com especialistas em Táxon da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) para discutirem sobre o levantamento de fauna em área de impacto de empreendimento e manejos de animais livres. O Táxon é a unidade utilizada na Biologia para ordenação e classificação dos seres vivos.

O encontro ocorreu na última semana e reuniu especialistas de diversas áreas como: Herpetofauna (estudo de répteis e anfíbios), Avifauna (conjunto de aves de uma região), Mastofauna (conjunto de Mamíferos existentes em uma região), Entomofauna (fauna constituída de insetos) e ecologia de comunidades aquáticas. 

A finalidade da reunião, que reuniu 16 especialistas e servidores, foi otimizar os procedimentos adotados pela Sema nas coordenadorias que fazem a autorização do licenciamento do manejo de fauna.

“A reunião é importante pois existem minúcias de cada Táxon que a gente tem que observar para que os relatórios emitidos pelas consultorias de empreendimentos estejam de acordo com os procedimentos da Sema. A Secretaria, enquanto órgão gestão, deve orientar empreendedores e empresas de consultorias a otimizar relatórios e o que observar em cada Táxon. Também é interessante para nos atualizarmos a respeito da metodologia e condutas de campo”, destaca a analista de Meio Ambiente Danny Moraes.

Veja Também:  Policiais do Comando Geral participam de palestra sobre instrução de local de crime

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Mato Grosso

Três pessoas são conduzidas para delegacia por caça e pesca ilegal

Publicado

Fiscais da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema-MT) apreenderam 10 cacharas, 8,5 quilos de carne de jacaré, 1,9 quilo de carne de ave silvestre da espécie mutum, uma cutia e 2 armas de fogo, em Porto Alegre do Norte MT. A ação foi realizada em parceria com policiais militares da 2° Companhia Ambiental Sul de Rondonópolis.

A operação ocorreu nesta segunda-feira (24.06) no lago do Bosaipo as margens do rio Tapirapé. As cacharas tinham medidas máximas de 57 cm, e segundo a lei de pesca do estado de Mato Grosso os peixes da espécie só podem ser capturados se tiverem entre 83 cm e 112 cm.

Três infratores foram autuados e conduzidos para Delegacia de Polícia Judiciária Civil do município e devem responder por crime ambiental, pesca e caça depredatória e porte ilegal de arma de fogo.

Os peixes e as carnes apreendidas foram entregues na delegacia de polícia civil, que ficou responsável pela doação. Os infratores receberam multa de R$ 27,3 mil.

Veja Também:  Mato Grosso registra 2.313 casos de estelionato entre janeiro e abril

Regras da pesca

Embora esteja fora do período de defeso da piracema estadual, os pescadores profissionais e amadores precisam seguir algumas regras determinadas pela Lei Estadual nº 9.096/2009, que estabelece a proibição para uso de apetrechos de pesca como: tarrafa, rede, espinhel, cercado, covo, pari, fisga, gancho, garateia pelo processo de lambada, substâncias explosivas ou tóxicas, equipamento sonoro, elétrico ou luminoso. As medidas mínimas dos peixes constam na carteira de pesca do Estado e algumas delas são: piraputanga (30 cm), curimbatá e piavuçu (38 cm), pacu (45 cm), barbado (60 cm), cachara (80 cm), pintado (85 cm) e jaú (95 cm).

Denúncias

O cidadão pode denunciar a pesca depredatória e outros crimes ambientais à Ouvidoria Setorial da Sema: 0800-65-3838/ou via WhatsApp no (65) 99281-4144. Outros telefones para informações e denúncias: (65) 3613-7394 (Setor Pesca), nas unidades regionais da Sema ou aplicativo MT Cidadão.

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Mato Grosso

Polícia Militar prendeu mais de 3.280 pessoas por crimes envolvendo drogas neste ano

Publicado

Nesta quarta-feira (26.06), dia mundial de combate às drogas, a Polícia Militar de Mato Grosso reforça o compromisso com a população no enfrentamento ao tráfico e uso de entorpecentes. Neste ano a Polícia Militar já prendeu mais de 3.280 pessoas por tráfico, uso ou posse de entorpecentes em Mato Grosso.

Em sua maioria, os presos são pessoas do sexo masculino, somando um total de 2.848 homens presos, e 439 mulheres, por envolvimento com o tráfico ou uso de drogas.

Os menores de idade ainda são os mais recrutados e aliciados por traficantes a se envolverem com os crimes relacionados a entorpecentes. No total, foram 693 jovens e adolescentes apreendidos. Foram 1.818,4 kg de drogas apreendidas por policiais militares, sendo 83% maconha, 12% pasta base de cocaína e 5% cocaína. 

Na região de fronteira, a PM também atua de forma ostensiva em busca daqueles que insistem em trazer entorpecentes para serem comercializados ou consumidos no estado. Em 109 ocorrências registradas nestes últimos meses, o Grupo Especial de Fronteira (Gefron), já apreendeu 2.848,25 kg de drogas, 106 veículos foram recuperados também nestas ações, a maioria dos veículos relacionados ao transporte de drogas. 

Veja Também:  Liga das Nações trouxe o melhor do vôlei mundial para Cuiabá

Ao longo de sua história, a PM vem atuando em duas frentes no combate às drogas: a preventiva com projetos sociais e educativos e a repressiva, por meio de ações energéticas de enfrentamento aos crimes de tráfico e uso ilícito de drogas. 

A Polícia Militar educa e conscientiza crianças, jovens e adultos a ficarem longe do mundo das drogas e da criminalidade com ações preventivas por meio de 36 projetos sociais espalhados em diversos municípios do estado, atendendo cerca de 3.500 pessoas através de iniciativas como o Programa Educacional de Resistência às Drogas (PROERD), os projetos  Jiu Jitsu e Escolinha de Futebol Rotam; Judô Bope, Lobo Guará, Guardiões do Futuro, PM Júnior, Águia do Tatame ; dentre outras ações sociais.

O maior programa público de prevenção às drogas, o PROERD, atua em Mato Grosso há 18 anos, e atende hoje 340 mil crianças. São ações educativas ministradas por policiais militares especializados, com conteúdos de prevenção ao uso de drogas e à criminalidade, os policiais que são instrutores nas salas de aula se tornam parceiros da comunidade escolar, promovendo segurança e contribuindo na formação dos estudantes. 

Veja Também:  Mato Grosso registra 2.313 casos de estelionato entre janeiro e abril

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Nova Xavantina

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana