conecte-se conosco


Economia

Dólar segue trajetória de alta após frustrações com pré-sal e opera a R$ 4,13

Publicado

source
dolar arrow-options
Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Dólar segue tendência de alta e opera a R$ 4,13 nesta sexta-feira (8)

O dólar comercial volta a subir nesta sexta-feira (8), após resultados fracos dos leilões de petróleo desta semana. Às 10h30, a modea americana subia 0,88%, a R$ 4,136. O Ibovespa, principal indicador da Bolsa brasileira, recua 1,17%, chegando a 108.297 pontos.

Leia também: Governo realiza novo leilão do pré-sal e arrecadação volta a decepcionar; veja

Na véspera, o dólar subiu 0,25% ante o real e terminou o dia cotado a R$ 4,09. A valorização foi incluenciada pela frustração dos investidores em relação à participação de empresas estrangeiras nos leilões do pré-sal. Na quarta-feira, a moeda norte-americana fechou com a maior alta em sete meses, de 2,22%.

Especialistas avaliam que a pressão por recursos levou o governo a cometer um erro estratégico no calendário de leilões , o que teria contribuído para o encalhe das áreas.

Leia também: Novos servidores não terão estabilidade automática, assegura Guedes

No megaleilão de quarta, a arrecadação foi de R$ 69,9 bilhões, ante os mais de R$ 106 bilhões esperados. Na quinta, mesmo com expectativas menores, a frustração voltou: expectativa de R$ 7,8 bilhões, realidade de R$ 5,5 bilhões.

Veja Também:  Veja como garantir frete grátis para suas compras na Black Friday

Fonte: IG Economia
Comentários Facebook
publicidade

Economia

Rodrigo Maia lança ‘agenda legislativa’ para combater pobreza e desigualdades

Publicado

source
Rodrigo Maia arrow-options
Câmara dos deputados/Divulgação

Rodrigo Maia apresenta agenda para desenvolvimento social e cria grupo de parlamentares

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), anunciou nesta terça-feira (19) uma agenda legislativa para o desenvolvimento social , com o objetivo de propor uma série de propostas voltadas ao combate à pobreza e à redução das desigualdades.

Maia designou um grupo de parlamentares, que vai ser coordenado pela deputada Tábata Amaral (PDT-SP) , para apresentar um pacote de medidas legislativas, a fim de equilibrar as ações de recuperação econômica e fiscal do Estado com a necessidade de uma pauta consistente de proteção social.

Rodrigo Maia fala em votar reforma tributária em março de 2020

A agenda de desenvolvimento social terá cinco eixos principais:

  • garantia de renda;
  • inclusão produtiva;
  • rede de proteção ao trabalhador;
  • incentivo à governança responsável com uma Lei de Responsabilidade Social;
  • promoção do acesso à água e ao saneamento.

Rodrigo Maia destacou que as reformas econômicas no País precisam ter um viés social para que haja mais contribuição dos que possuem mais renda. Segundo ele, a Câmara já deve dar inícios aos debates sobre o tema com a criação de comissões especiais.

“O Brasil, ao longo dos últimos 30 anos, construiu um Estado que concentra a renda na mão de poucos, em detrimento da maioria da sociedade”, afirmou o presidente.

Veja Também:  Rodrigo Maia lança ‘agenda legislativa’ para combater pobreza e desigualdades

Governo prepara ‘pacotão’ de medidas pós-Previdência; confira temas aguardados

“Que comecemos hoje a discutir os projetos e mostrar que nossa agenda vai além das reformas econômicas para que possamos ter um País com igualdade de oportunidades”, declarou Maia.

Bolsa Família e primeira infância

Tábata Amaral arrow-options
Divulgação

Deputada Tábata Amaral vai coordenar grupo que irá elaborar agenda de desenvolvimento social

A prioridade do grupo será trabalhar alternativas de garantia de renda . Uma Proposta de Emenda Constitucional (PEC) deve ser elaborada para alterar o artigo 203 da Constituição Federal.

O objetivo seria assegurar a transferência de renda a famílias em situação de pobreza e de extrema pobreza. Uma das ideias é tornar programas de transferência de renda, como o Bolsa Família , constitucionais. A proposta visa, ainda, garantir o crescimento real (acima da inflação) dos repasses do programa.

Servidores públicos na mira do governo: entenda a reforma administrativa

Também será apresentado um projeto de lei para criar um benefício específico voltado à primeira infância.   O foco serão os primeiros cinco anos de vida, fase decisiva para o desenvolvimento cerebral. Esse incentivo incluirá 3,2 milhões de crianças.

Veja Também:  Não perca dinheiro: com juros baixos, poupança pode render menos que inflação

Tábata Amaral afirmou que cabe à Câmara dar respostas para a sociedade sobre o combate à pobreza e à desigualdade no País.

“O pouco que reduzimos de desigualdade foi revertido com a crise econômica e, diante disso, fica um sentimento desta Casa de que um ajuste fiscal e as reformas econômicas não podem vir sozinhos. Temos de encampar uma agenda de desenvolvimento social ”, disse a parlamentar.

“O Brasil é um dos países mais desiguais do mundo e isso só está piorando. Cabe à Câmara dar uma resposta para a extrema pobreza, para a pobreza multidimensional e para a desigualdade”, acrescentou Amaral.

Lei de Responsabilidade Social

Para o deputado Felipe Rigoni (PSB-ES), o resultado do ajuste fiscal feito pelo País vai permitir que se possa combater de forma mais efetiva a desigualdade de oportunidades. Segundo ele, a Lei de Responsabilidade Social vai ser um instrumento importantíssimo para reduzir as disparidades no Brasil.

“Há 20 anos, fizemos a Lei de Responsabilidade Fiscal, e agora estamos tentando ver como a gente tira as pessoas que estão em estado de vulnerabilidade . Em vez de punir, vamos premiar os municípios e os estados que conseguirem tirar de forma integral e perene pessoas que estão nessa situação”, comentou Rigoni.

Outros parlamentares também participaram do evento , como os deputados Pedro Cunha Lima (PSDB-PB), Raul Henry (MDB-PE), João H. Campos (PSB-PE) e o senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE).

Fonte: IG Economia
Comentários Facebook
Continue lendo

Economia

Mais de 800 mil pessoas já aderiram ao saque-aniversário do FGTS: vale a pena?

Publicado

source
agência caixa fgts arrow-options
Gabriel Guedes/Brasil Econômico

Mais de 800 mil brasileiros já aderiram ao saque-aniversário do FGTS, segundo o Ministério da Economia

O Ministério da Economia informou nesta terça-feira (19) que mais de 823 mil pessoas aderiram ao chamado saque-aniversário do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). A nova modalidade, criada neste ano pelo governo federal, permitirá que os trabalhadores retirem, anualmente, parte do dinheiro que têm em suas contas vinculadas.

Leia também: Saque do FGTS aumentou para R$ 998: saiba quando você poderá tirar o dinheiro

Em contrapartida, eles abrirão mão do direito de sacar todo o saldo do FGTS em caso de demissão sem justa causa. Essa retirada ano a ano será permitida a partir de abril de 2020, mas os interessados já podem aderir.

A migração para o novo modelo começou no dia 1º de outubro e é opcional. Os trabalhadores que já optaram pelo regime movimentam, juntos, mais de 2,9 milhões de contas. Esse número representa cerca de 1% das 272 milhões de contas do FGTS com saldos disponíveis hoje, segundo o balanço oficial mais recente, do fim de 2018.

Os dados foram apresentados durante um evento em comemoração aos 27 anos da Secretaria de Política Econômica (SPE), responsável por formular a Medida Provisória que criou as novas regras do FGTS.

“Esse sistema é tão bom, que os trabalhadores estão migrando agora. Eles estão migrando no volume de 15 mil [adesões] ao dia”, disse o secretário de Política Econômica, Adolfo Sachsida.

Segundo Sachsida, os dados foram repassados ao Ministério da Economia na noite de segunda-feira (18). De acordo com o balanço, os trabalhadores que optaram pelo saque-aniversário sacarão, no ano que vem, R$ 1,1 bilhão de suas contas.

Como a nova legislação também permite que os cotistas usem o saque-aniversário como garantia para obter empréstimos, o secretário frisou que o valor deve ajudar a impulsionar o mercado de crédito. “Esse valor já é metade do [saldo] do crédito consignado privado”, pontuou.

Veja Também:  Nova greve? Tratados como “trouxas”, caminhoneiros voltam a ameaçar paralisação

Dados detalhados da Caixa Econômica Federal mostram que a adesão à nova modalidade foi maior entre os que têm saldo de R$ 1 mil a R$ 5 mil. Nessa faixa, 265.500 trabalhadores que movimentam cerca de um milhão de contas optaram pelo novo sistema. A menor adesão foi entre os que têm entre R$ 15 mil e R$ 20 mil nas contas: foram 27 mil adesões até agora, com 89.600 contas afetadas.

Após apresentar os dados, o secretário fez um aceno ao Legislativo e agradeceu ao deputado federal Hugo Motta (Republicanos-PB), que foi relator da MP do FGTS: “O senhor melhorou o nosso FGTS. O saque-aniversário nem começou. O primeiro pagamento é em abril de 2020. Não tenho vergonha nenhuma de dizer que, graças ao senhor, nossa medida saiu melhor. É um exemplo que Legislativo e Executivo trabalhando juntos é bom para o país”, disse Sachsida.

Como fazer a adesão

A opção por sacar parte do FGTS no mês de aniversário é diferente do saque imediato , cuja liberação já começou e teve alterações durante a tramitação da MP no Congresso, com o valor limite saltando de R$ 500 para R$ 998.

Para fazer a opção pelo saque-aniversário, é preciso comunicar a Caixa Econômica Federal pelo App FGTS ou pelo site da Caixa ( www.caixa.gov.br ). A liberação do saque-aniversário começará em abril do ano que vem e, neste caso, o trabalhador abrirá mão de retirar todo o saldo em caso de demissão sem justa causa.

O trabalhador poderá consultar o saldo das suas contas vinculadas pelo App FGTS, pelo site www.caixa.gov.br/extrato-fgts e pelo internet banking, no caso de ser cliente do banco.

Ao solicitar sua opção pelo saque-aniversário em uma agência da Caixa, o beneficiário será informado pelo atendente do banco sobre o valor de seu saldo do FGTS , antes do registro efetivo da opção.

A opção pelo saque-aniversário cadastrada nos sistemas da Caixa até dezembro de 2019 surtirá efeito a partir do dia 1º de janeiro de 2020. Dessa data em diante, a opção registrada pelo trabalhador passará a ter efeito imediato.

Veja Também:  BC propõe renegociar dívidas de quem fizer curso de educação financeira

Pagamento

Em 2020, o pagamento do saque-aniversário obedecerá ao calendário estabelecido pela MP 889/2019:

  • Nascidos em janeiro e fevereiro – Saque de abril a junho de 2020;
  • Nascidos em março e abrl – Saque de maio e julho de 2020;
  • Nascidos em maio e junho – Saque de junho a agosto de 2020;
  • Nascidos em julho – Saque de julho a setembro de 2020;
  • Nascidos em agosto – Saque de agosto a outubro de 2020;
  • Nascidos em setembro – Saque de setembro a novembro de 2020;
  • Nascidos em outubro – Saque de outubro a dezembro de 2020;
  • Nascidos em novembro – Saque de novembro de 2020 a janeiro de 2021; e
  • Nascidos em dezembro – Saque de dezembro de 2020 a fevereiro de 2021.

A partir de 2021, a liberação ocorrerá no mês de aniversário do trabalhador. Ao optar pelo saque-aniversário, o interessado deverá escolher a data em que deseja que o valor seja liberado: no 1º ou no 10º dia do mês de seu aniversário.

A diferença é que, ao optar pelo 10º dia, a base de cálculo do valor a receber será acrescida de juros e atualização monetária do mês de saque.

Os valores ficarão disponíveis para saque por um período de três meses, a contar do primeiro dia útil do mês de nascimento. Por exemplo: se a data de aniversário for o dia 10 de março, o trabalhador terá de 1º de março até o último dia útil de maio para efetuar o saque. Caso não retire o recurso, este voltará automaticamente para sua conta no FGTS.

Desistência

Em caso de arrependimento, o trabalhador poderá retornar ao saque-rescisão (modalidade antiga, que permite retirar todo o fundo em caso de demissão sem justa causa). A migração, porém, só ocorrerá dois anos após a data da adesão ao saque-aniversário.

Leia também: O que fazer com o dinheiro do FGTS: pagar dívida, deixar parado ou gastar?

Assim, se aderir, ele poderá retornar ao saque-rescisão em 1º de outubro de 2021 e terá direito aos valores depositados na conta de FGTS a partir do fim do período de carência da migração.

Fonte: IG Economia
Comentários Facebook
Continue lendo

Economia

Vai dar para viajar? Dólar turismo é vendido por até R$ 4,44 em casas de câmbio

Publicado

source
notas de dólar arrow-options
Pixabay/Reprodução

Dólar turismo chega a R$ 4,44, maior valor desde o plano real

Após fechar em alta de 0,32% na segunda-feira (dia 18), cotado a R$ 4,206, o dólar em espécie já está sendo vendido a até R$ 4,44 nas casas de câmbio do Rio de Janeiro . Já o euro chega a custar até R$ 4,92 . Para quem vai viajar, especialistas recomendam comprar a moeda aos poucos.

Dólar bate o maior recorde da história e fecha o dia cotado em R$ 4,20

Segundo levantamento feito pela reportagem, a cotação do dólar turismo varia entre R$ 4,41 e R$ 4,44 nesta terça-feira. O valor já inclui o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) , que é de 1,1%.

Para o professor de Finanças do Ibmec RJ e economista da Órama, Alexandre Espírito Santo, essa alta foi causada por uma combinação de fatores , principalmente externos. Segundo ele, existe um efeito sazonal , que normalmente faz com que a moeda fique mais cara no fim do ano, em função do aumento da demanda.

Veja Também:  BC propõe renegociar dívidas de quem fizer curso de educação financeira

Além disso, a guerra comercial entre Estados Unidos e China, somada à instabilidade política na América Latina, também colaboraram para a alta do dólar.

Bilionários perdem US$ 388 bilhões no mundo, mas ganham US$ 3 bilhões no Brasil

“O Banco Central faria hoje uma operação de venda de dólares, mas cancelou em função do feriado de amanhã, o que manteve a pressão sobre a cotação. Para quem vai viajar, a recomendação é comprar cerca de 30% do valor necessário neste momento, e deixar o resto para depois”, explica Espírito Santo.

Fernando Bergallo, diretor de Câmbio da FB Capital, também recomenda que o consumidor compre a moeda aos poucos.

“Nossa orientação é que o consumidor faça uma taxa média, ou seja, não tente eleger uma única data como um eventual melhor momento para comprar. Ele pode comprar a metade agora, por exemplo, e na semana seguinte comprar o resto, pagando mais ou menos”, afirma Bergallo.

“Embora o dólar esteja alto, existe sempre a possibilidade de subir, então é importante comprar uma parte neste momento”, aconselha o especialista.

Veja Também:  Pagamento de abono do PIS/Pasep é liberado: veja quem tem direito

Cartão pré-pago não compensa

No cartão pré-pago , o preço do dólar turismo varia entre R$ 4,62 e R$ 4,70, em função do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF), que é mais alto, de 6,38%, o mesmo percentual cobrado para operações no cartão de crédito.

Veja também: Eduardo Bolsonaro comete gafe ao questionar cotação do peso argentino; entenda

Por isso, segundo Bergallo, a modalidade tem tido menos procurada por parte dos consumidores, que acabam optando por viajar com dinheiro em espécie e cartão de crédito.

“O cartão de crédito irá cobrar a mesma taxa do pré-pago, mas pelo menos oferece prazo para o turista pagar”, explica Bergallo.

No caso do euro , o valor cobrado no cartão pré-pago nas casas de câmbio do Rio de Janeiro varia entre R$ 5,14 e R$ 5,21.

Fonte: IG Economia
Comentários Facebook
Continue lendo

Nova Xavantina

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana