conecte-se conosco


Política Nacional

‘Novo PSDB’: Doria diz que partido é centro-liberal e contrário a extremismos

Publicado

source
Doria falando ao microfone arrow-options
Governo do Estado de São Paulo/Divulgação

Doria defendeu que o PSDB tenha novas ideias

Principal nome dos tucanos para a sucessão de Jair Bolsonaro , o governador de São Paulo, João Doria , defendeu neste sábado (7) a formação de uma “identidade” para o que chamou de ” novo PSDB “. Segundo o governador, o partido se situa no campo das ideias de centro e liberal e combaterá os extremismos . Doria e outras lideranças tucanas participaram do congresso nacional da sigla, em Brasília, onde são debatidas as novas bandeiras para as próximas eleições.

Em enquete e em grupos de trabalho, os tucanos deliberam sobre temas que historicamente foram motivo de divisão no partido, como a defesa da redução da maioridade penal . Essa será uma das novas diretrizes que serão seguidas pelos filiados.

Nesta tarde, ao lado do governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, e de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja, Doria disse que o “extremo não vai conduzir o país a nenhum campo”e que o PSDB terá uma “nova sintonia com o povo”. Questionado se o partido fazia um aceno a bolsonaristas arrependidos ao adotar posições mais identificadas à direita, o governador discordou.

“Quem aposta nisso está errando flagrantemente. Não há aceno à direita nem à esquerda. Há o sentido do centro, que avança e prospera e que entende que o diálogo democrático é o melhor para o Brasil. Um Brasil em paz, não um Brasil conflagrado. O Brasil não pode viver na conflagração e no Fla-Flu. Nós temos que ter um único campo e um único time: o do Brasil”, disse Doria.

Leia também: Doria diz que ficou ‘chocado’ com as agressões da PM em Paraisópolis

O congresso não teve a presença de figuras históricas e importantes cacique do PSDB, como o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso , o ex-governador Geraldo Alckmin ou o deputado Aécio Neves . Em sua fala, Doria afirmou que os tucanos vão respeitar o passado, mas “não depender dele”.

Já o presidente do PSDB, Bruno Araújo, leu um documento de duas páginas com compromissos em relação à democracia.

Veja Também:  AGU diz ser contra federalização de caso Marielle após Moro mudar de posição

“O PSDB sempre manifestou, e o reitera e enfatiza neste momento: jamais admitiremos qualquer tentativa de retorno aos tempos sombrios do autoritarismo. Repudiamos o sectarismo, o obscurantismo e a incitação à violência”, discursou Bruno Araújo.

Leia também: Líder do PT coloca Bolsonaro, Doria e Witzel em enquete sobre mais fascista

Perguntado sobre a formação de uma possível frente com partidos de centro para as próximas eleições, Doria admitiu que esse pode ser um caminho.

“Sou sempre a favor de somar e nunca a favor de dividir. Somar é melhor do que subtrair. Então todos aqueles que estão no mesmo campo podem estar juntos, devem fazer esse esse exercício para estarem juntos, seja nas eleições de 2020, seja na gestão também”, afirmou.

O partido definiu, em documento, as chamadas “teses guia” do “novo PSDB”. Elas serão aprimoradas no próximo ano, quando haverá um documento mais completo sobre o assunto.

VEJA ALGUNS DOS PONTOS:

Economia:

Apoio a reformas estruturais; compromisso com a economia de mercado e a livre iniciativa; repúdio a qualquer aumento de impostos; revisão das políticas de renúncias, isenções e concessões de benefícios fiscais; apoio às privatizações.

Segurança:

Política de segurança que enfatize as iniciativas de prevenção; apoio ao aumento da punição para adolescentes acima de 16 anos em caso de ato infracional equiparado a crime hediondo, com violência ou grave ameaça, com cumprimento de internação fora do sistema prisional; maior regulação e controle sobre porte e posse de armas de fogo no país; apoio à permissão do uso de maconha para fins medicinais.

Modernização do Estado:

Gestão pública baseada em evidencias e melhores práticas; privatização é eficiente para atender aos princípios constitucionais da gestão pública; Parcerias público-privadas são indicadas para infraestrutura; a estabilidade dos servidores concursados deve ser mediante comprovação de desempenho e critérios de interesse público.

Leia também: “A gente não perde tempo com fofoca”, diz Doria em alusão à família Bolsonaro

Veja Também:  Bolsonaro projeta eleição com bancada de 100 parlamentares do Aliança em 2022

Educação:

Prioridade ao ensino básico no orçamento público, com foco na primeira infância; Apoio à adoção de critérios populacionais, avaliação de resultados e de equidade social para a distribuição do Fundeb; expansão de ensino em tempo integral; Estímulo à busca de novas fontes de financiamento para o ensino superior, incluindo a possibilidade de cobrança de mensalidades de alunos de renda alta em universidades públicas; criação da carreira nacional do professor.

Combate à pobreza:

Manutenção do Bolsa Família, mas como política de Estado inscrita na Constituição; manutenção da política de cotas; adoção de políticas de renda universal; criação de uma Lei de Responsabilidade Social; e políticas sociais com protagonismo das mulheres e foco na primeira infância.

Relações Internacionais:

Retomar a política externa com foco no multilateralismo e na independência em relação às principais potências; apoio à negociação de novos acordos de livre comércio; ampliar a atuação brasileira nos grandes temas globais, especialmente nos temas relacionados aos direitos humanos, meio ambiente e cooperação no combate internacional ao tráfico de pessoas, armas e drogas.

Leia também: Com filiação de Bebianno, Doria reforça estratégia de fortalecer PSDB no Rio

Saúde:

Definir claramente o padrão de integralidade atacando o problema da judicialização da saúde; buscar novas fontes de financiamento para a saúde; melhoria das parcerias com o setor privado para ampliar acesso e nova regulamentação da saúde suplementar; adoção de serviço social obrigatório para profissionais de saúde formados nas universidades públicas; universalização do acesso ao saneamento.

Eleições:

Apoio à adoção do voto distrital; manutenção do instituto da reeleição; apoio à realização de prévias partidárias para escolha de candidatos a cargos majoritários

Meio Ambiente:

Cumprimento das metas definidas no Acordo de Paris; apoio a programas, ações e iniciativas que destinem ajuda financeira internacional para a preservação dos biomas brasileiros, respeitados os princípios da soberania; apoio à expansão das fontes renováveis e limpas de energia.

Fonte: IG Política
Comentários Facebook
publicidade

Política Nacional

Avaliação positiva do governo Bolsonaro sobe 5% em 5 meses, mostra pesquisa

Publicado

source
Bolsonaro arrow-options
Jorge William / Agência O Globo

Presidente Jair Bolsonaro

Uma pesquisa do Instituto MDA para a Confederação Nacional do Transporte, divulgada nesta quarta (22), mostra que as avaliações positivas do governo Bolsonaro aumentaram 5% entre agosto de 2019 e janeiro de 2020, subindo de 29,4% para 34,5%.

Leia também: Jovem morre afogada em cachoeira após tirar selfie com amiga

Ao mesmo tempo, a avaliação negativa do governo caiu 8,5%. Em agosto, 39,5% consideravam a gestão ruim ou péssima, agora 31% analisam dessa forma. A opinião sobre o desempenho individual de Bolsonaro também teve aumento de 6,8%, subido de 41% para 47,8%. 

Os entrevistados também avaliaram as áreas que tiveram melhor e pior desempenho no primeiro ano de governo de Bolsonaro . As áreas melhor avaliadas foram combate à corrupção (30,1%), Economia (22,1%) e Segurança (22%). As que tiveram pior avaliação foram Saúde (36,1%), Educação (22,9%) e Meio Ambiente (18,5%).

Leia também: Guarda de parque morre após ser agredido por pedir para grupo parar de fumar

Veja Também:  Nova Vaza Jato aponta para lobby entre jornalistas e procuradores

A pesquisa foi realizada durante os dias 15 e 18 de janeiro, com 2.002 pessoas  de 137 municípios espalhados por todos os estados. Segundo o Instituto MDA, o percentual de erro é de 2,2 pontos percentuais. Confira os resultados:

Avaliação do governo Bolsonaro em janeiro de 2020:

  • Ótimo – 9,5 % (era 8% em agosto de 2019)
  • Bom – 25% (era 21,4% em agosto de 2019)
  • Regular – 32,1% (era 29,1% em agosto de 2019)
  • Ruim – 9,5% (era 12,9% em agosto de 2019)
  • Péssimo – 21,5% (era 26,6% em agosto de 2019)
  • Não sabe/não respondeu – 2,4% (era 2% em agosto de 2019)

Aprovação do desempenho pessoal do presidente Bolsonaro em janeiro de 2020:

  • Aprova – 47,8% (era 41% em agosto de 2019)
  • Desaprova – 47% (era 53,7% em agosto de 2019)
  • Não sabe / não respondeu – 5,2% (era 5,3% em agosto de 2019)

Áreas com melhor desempenho no 1º ano do governo Bolsonaro (cada eleitor podia escolher até duas opções):

  • Combate à corrupção – 30,1%
  • Economia – 22,1%
  • Segurança – 22%
  • Reformas – 9,2%
  • Infraestrutura de transportes – 7,4%
  • Relações Internacionais – 7,2%
  • Privatizações – 6,5%
  • Educação – 6,4%
  • Comunicação com a população – 5,8%
  • Saúde – 5,4%
  • Direitos humanos – 3,9%
  • Relação com o Congresso – 3,2%
  • Meio ambiente – 2,6%
  • Nenhuma 20,1%
  • Não sabe / Não respondeu – 6,6%
Veja Também:  Fux suspende criação do juiz de garantias por tempo indeterminado

Áreas com pior desempenho no 1º ano do governo Bolsonaro:

  • Saúde – 36,1%
  • Educação – 22,9%
  • Meio ambiente – 18,5%
  • Economia – 16,2%
  • Segurança – 14,5%
  • Comunicação com a população – 9,4%
  • Reformas – 9,1%
  • Combate à corrupção – 8,2%
  • Direitos humanos – 7,9%
  • Relação com o Congresso – 7,6%
  • Relações Internacionais – 5,7%
  • Infraestrutura de transportes – 5,2%
  • Privatizações – 4,7%
  • Nenhuma – 4%
  • Não sabe / Não respondeu 7,1%

Fonte: IG Política
Comentários Facebook
Continue lendo

Política Nacional

Irmão de Bolsonaro atua como mediador na liberação de verbas para prefeituras

Publicado

source
Renato Bolsonaro faz o intermédio entre governo federal e prefeituras para liberação de verbas arrow-options
Reprodução/Redes Socias

Renato Bolsonaro faz o intermédio entre governo federal e prefeituras para liberação de verbas


Renato Bolsonaro , comerciante e irmão do presidente Jair Bolsonaro , não exerce nenhum cargo público, mas tem feito a intermediação informal entre o  governo fede ral e prefeitos do Estado de São Paulo que demandam verbas para realizar obras e investimentos. Segundo reportagem da Folha de São Paulo, ele exerceu essa função de mediador em ao menos quatro cidades paulistas.

O irmão do presidente intermediou R$ 110 milhões em repasse de verba nas cidades de São Vicente, Itaoca, Pariquera-Açu e Eldorado , onde mora sua família. O dinheiro foi utilizado para a construção de pontes, recapeamento de asfalto e melhorias em centros de cultura e esporte.

Até mesmo as solenidades das obras contaram com a participação de Renato Bolsonaro , que assina contratos como testemunha e recebe agradecimentos públicos dos prefeitos. Ele diz não receber nenhuma remuneração pelo trabalho com as prefeituras.

“Estou doando meu tempo, porque naturalmente sou muito procurador pela questão de relacionamento familiar. Não tenho poder de decisão. A única coisa que faço é fazer chegar mais rápido ao presidente aquilo que acho viável. Mas ele que tem pode de análise e decisão. Eu faço a ajuda, encurto a distância”, afirmou em entrevista ao jornal A Tribuna, de Santos.

Veja Também:  “Ele dá grande liberdade aos jornalistas”, diz Moro em defesa de Bolsonaro

Leia também: Justiça suspende investigação sobre sócio de Flávio Bolsonaro

Segundo especialistas, não há irregularidade nas ações de Renato Bolsonaro se ele não estiver sendo remunerado. A única questão é que esse tipo de mediação costuma ser feito por parlamentares.

Atuação

Renato foi importante para resolver alguns impasses. Em São Vicente , foi o responsável por colocar fim em uma discussão entre prefeitura e governo do Estado a respeito de qual dos poderes deveria bancar o processo de recuperação da Ponte dos Barreiros. Por fim, a gestão federal assumiu a conta, e Renato anunciou, no dia 30 de dezembro, R$ 58 milhões em verba federal para a obra, inclusive assinando o contrato como testemunha.

Na mesma época, o irmão de Jair Bolsonaro anunciou um pacote de benfeitoria para a cidade de Pariquera-Açu, com 14 milhões liberados para a construção de uma ponte, R$ 1 milhão para obras de pavimentação, R$ 764 mil para a canalização de um centro de eventos e R$ 550 mil para um centro de artes marciais.  

Veja Também:  AGU diz ser contra federalização de caso Marielle após Moro mudar de posição

Leia também: Se as eleições de 2022 fossem hoje, Bolsonaro e Lula iriam para 2º turno

Dez dias antes disso, em Eldorado , sua cidade natal, ele participou da entrega de 21 casas do Minha Casa, Minha Vida. Ainda em Eldorado, foi o responsável por anunciar a liberação de R$ 11,4 milhões para a construção de uma ponte e R$ 292 mil para asfaltar ruas. Mais R$ 24 milhões em verbas federais foram intermediados por Renato em Itaoca, também para a obra de uma ponte, com direito a agradecimento no site oficial da cidade.

Política

Filiado ao PSL, Renato Bolsonaro se candidatou a prefeito do munícipio de Miracatu em duas oportunidades, a última em 2016. Nas eleições municipais deste ano, no entanto, ele não poderá participar, já que a lei proíbe parentes do presidente da República de concorrer, a não ser que eles já estejam cumprindo algum mandato e busquem a reeleição.

Fonte: IG Política
Comentários Facebook
Continue lendo

Política Nacional

Fux suspende criação do juiz de garantias por tempo indeterminado

Publicado

source
Ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal arrow-options
Divulgação

Fux contrariou decisão do ministro Dias Toffoli

O ministro Luiz Fux , vice-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), suspendeu por tempo indeterminado a criação do juiz de garantias. O despacho foi publicado nesta quarta-feira (22) derruba a decisão do ministro Dias Toffoli de dar prazo de seis meses para que a medida seja adotada e de criar uma regra de transição para processos que já estejam em andamento.

A decisão ocorre três dias após Fux assumir o plantão da Corte no lugar de Toffoli, que entrou no período de férias. Ele será o responsável pelas decisões urgentes do Supremo até a próxima quarta-feira (29), sendo que todos os ministros voltam ao trabalho em fevereiro.

Fux decidiu pela suspensão da medida após receber uma ação da Associação Nacional dos Membros do Ministério Público (Conamp). O processo chegou ao STF na última segunda-feira (20), quando Toffoli já havia deixado o plantão e passado a função ao colega de Corte.

Leia também: Toffoli aciona PGR sobre pedido de Flávio Bolsonaro para suspender investigação

Veja Também:  Entenda o esquema de corrupção na Secom que implica em Bolsonaro

A lei anticrime — que deve entrar em vigor nesta quinta-feira (23) — prevê que o juiz de garantias deverá conduzir a investigação criminal e tomar medidas necessárias para o andamento do caso, como autorizar busca e apreensão e quebra de sigilo telefônico e bancário, até o momento em que a denúncia é recebida. A partir daí, outro magistrado vai acompanhar o caso e dar a sentença.

O projeto original, criado pelo ministro Sergio Moro, da Justiça e Segurança Pública, não tinha o trecho que falava sobre o juiz de garantias. A medida foi criada na Câmara dos Deputados e sancionada junto com a pacote todo pelo presidente Jair Bolsonaro. Contrário à medida, Moro se manifestou a favor do veto do juiz de garantias.

Fonte: IG Política
Comentários Facebook
Continue lendo

Nova Xavantina

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana