conecte-se conosco


Saúde

Novo tipo do vírus HIV é descoberto em 20 anos

Publicado

Olhar Digital

Um artigo publicado no periódico científico Journal of Acquired Immune Deficiency Syndromes (JAIDS) informou na quarta-feira (6) sobre a descoberta de um novo tipo do vírus HIV, causador da AIDS. Desconhecido até então, o novo subtipo pode ajudar a planejar novas formas de tratamento para os portadores e previnir futuros surtos da doença. 

Leia também: 11 sintomas do HIV que você precisa conhecer 

médico arrow-options
shutterstock

O novo subtipo do vírus HIV pode ajudar a planejar novas formas de tratamento para os portadores e prevenir surtos

O novo subtipo descoberto pertence ao grupo “M” do  HIV , um dos quatro grupos nos quais se subdivide o vírus, e responsável pela maior parte dos casos de  AIDS   em todo o mundo, de acordo com dados da Revista Brasileira de Análises Clínicas.  

Os especialistas que trabalham no caso afirmam que a primeira amostra do subtipo L foi coletada entre os anos de 1983 e 1990, época em que ainda não havia conhecimento o suficiente para fazer o sequenciamento de genomas. Na ocasião, dois indivíduos da República Democrática do Congo, na África, foram identificados como portadores desse tipo do vírus. 

Veja Também:  Entenda o que é o tumor retirado do cérebro de Gloria Maria e quais os sintomas

Leia também: OMS aponta que 25% dos adolescentes que vivem com HIV têm depressão

“Identificar novos vírus como esse é como procurar uma agulha num palheiro. Ao avançar nossas técnicas e usar a nova geração de tecnologia de sequenciamento, puxamos essa agulha com um ímã”, declarou Mary Rodgers, uma das autoras do estudo, em comunicado oficial. 

No Brasil, o  vírus  da imunodeficiência adquirida humana está presente em quase 870 mil pessoas. No mundo, esse número ultrapassa a casa dos 37 milhões de portadores. Com a identificação desse novo subtipo, os cientistas poderão acompanhar seu funcionamento dentro do organismo humano e, a partir disso, criar possíveis novos medicamentos e vacinas para o tratamento e erradicação do vírus. 

Leia também: Falta investimento para conter epidemia de HIV no mundo, dizem pesquisadores

A descoberta surgiu a partir de um programa da área de saúde da Abbott, empresa americana, que já dura 25 anos e tem como objetivo monitorar os vírus do HIV e da hepatite. Desde o começo da empreitada, a empresa coletou mais de 78 mil amostras de vírus e identificou mais de cinco mil subtipos diferentes para chegar ao resultado.

Veja Também:  Sete em cada dez brasileiros já caíram em ‘fake news’ sobre vacina

Fonte: IG Saúde
Comentários Facebook
publicidade

Saúde

Jovem usa cigarro eletrônico, contrai inflamação pulmonar e quase morre

Publicado

Ewan Fisher, um jovem inglês de 18 anos, quase morreu após contrair uma inflamação pulmonar que seus médicos afirmam estar associada ao uso de cigarro eletrônico com sabor. O episódio, ocorrido em 2017, veio à tona nesta terça-feira (12), com a publicação do estudo na revista médica “Archives of Disease in Childhood”.

Leia também: Cigarro eletrônico pode aumentar colesterol e causar doenças cardíacas

cigarro eletrônico arrow-options
shutterstock

Um jovem inglês de 18 anos quase morreu após usar cigarro eletrônico com sabor em 2017

Descrita como uma pneumonite por hipersensibilidade, a doença aguda surgiu após o adolescente consumir o produto e se manifestou como uma alergia severa que levou à falência respiratória. Admitido no pronto-socorro, o adolescente piorou rapidamente, mesmo depois de internado.

Inicialmente colocado em um apareclho de oxigenação comum, ele continuou a piorar e só foi salvo depois de transferido a um hospital que possuía um aparelho de oxigenação por membrana extracorpórea.

Os médicos atribuem aquilo que descrevem como ” doença respiratória catastrófica “a uma reação a algum componente do líquido no cartucho do cigarro eletrônico que o paciente usava. O jovem vinha consumindo o produto nos últimos quatro meses e foi levado pela mãe ao hospital Queen’s Medical Centre, em Nottingham, na Inglaterra, depois de uma semana com tosse e apneia.

Veja Também:  Entenda o que é o tumor retirado do cérebro de Gloria Maria e quais os sintomas

Leia também: Jovem americano fica com “pulmão de 70 anos” após uso de cigarro eletrônico

“Nunca se ouviu falar de um caso assim ser uma apresentação inicial de asma”, escreve a equipe médica, liderada por Nisha Nair, dos Hospitais Universitários de Nottingham. “Há duas lições importantes aqui. A primeira é sempre levarmos em conta uma possível reação a cigarros eletrônicos em alguém apresentando doença respiratória incomum. A segunda é que assumimos um risco se considerarmos que cigarros eletrônicos são ‘muito mais saudáveis que o tabaco’.”

O paciente em questão deu entrevista nesta manhã a vários veículos de imprensa britânicos e contou a história do cigarro eletrônico com mais detalhes. Sua internação durou 35 dias, após os quais ele recebeu alta ainda sob prescrição de medicamentos. Em uma noite, ele voltou a piorar e acabou sendo readmitido no pronto-socorro para reforço respiratório.

Leia também: Vape mata! Com 6 casos fatais nos EUA, produto é ainda mais perigoso no Brasil

Os médicos afirmam que os índices de função pulmonar do paciente só voltaram ao normal um ano e dois meses após sua primeira internação. Em entrevista à BBC , porém, Ewan diz ainda não estar totalmente recuperado: “Ainda não estou de volta ao normal, eu diria que estou uns 75% ou 80%. Só nos últimos seis meses é que passei a me sentir um pouco mais forte”, finaliza.

Veja Também:  Jovem usa cigarro eletrônico, contrai inflamação pulmonar e quase morre

Fonte: IG Saúde
Comentários Facebook
Continue lendo

Saúde

Entenda o que é o tumor retirado do cérebro de Gloria Maria e quais os sintomas

Publicado

Gloria Maria passou por uma cirurgia no cérebro nessa segunda-feira (11) no Hospital Copa Star, no Rio de Janeiro, para retirar uma lesão expansiva cerebral. Na última quinta-feira (7), a jornalista passou mal em sua casa e foi submetida a um exame de ressonância magnética. A lesão foi totalmente removida e ela passa bem. A alta deve acontecer até o fim de semana.

Leia também: Gloria Maria se recupera de cirurgia no cérebro e pode ter alta logo 

Gloria Maria arrow-options
Reprodução/Instagram/Gloria Maria

Gloria Maria passou por uma cirurgia para retirar uma lesão expansiva cerebral; neurologista explica o que é o tumor

Segundo Leonardo Takahashi, neurologista e neurocirurgião da Clínica Everest, a lesão expansiva, geralmente, é um tumor que está crescendo. É a manifestação de uma neoplasia. “É um crescimento novo. Tumor não quer dizer câncer. 2/3 dos tumores na cabeça vêm de outro lugar”, pontua o especialista.

Takahashi explica que o tumor é acompanhado de alguns sintomas . “Crise convulsiva pela primeira vez; dor de cabeça constante, principalmente quando a pessoa acorda; alteração de comportamento, como alguém que passou a ser agressivo; perda de memória; fraqueza no corpo, em uma parte específica; sonolência”, detalha. 

Veja Também:  Sete em cada dez brasileiros já caíram em ‘fake news’ sobre vacina

Na presença de alguns dos sinais listados, o ideal é procurar um médico especialista, que deve pedir uma tomografia. Também é possível solicitar uma ressonância magnética, exame feito por  Gloria Maria , que é geralmente realizado quando há um processo expansivo notório. 

“Na tomografia, é como uma pessoa míope ver um quadro sem óculos. Mas, na ressonância magnética, é muito mais fácil ver os detalhes”, compara o médico. 

Quando fazer a cirurgia?

A jornalista teve de ser operada por conta da lesão expansiva cerebral e, para chegar ao ponto de fazer uma cirurgia, vai depender do tamanho do tumor. “Se for maligno, se a pessoa pode entrar em coma, tem que fazer rápido. Caso não, dá para programar melhor”, diz. No entanto, quanto mais rápido tirar o tumor, melhor, alerta Takahashi.

Após o procedimento cirúrgico, os pontos são retirados depois de 15 a 21 dias. “Tem que fazer repouso para a cicatrização ir bem”, destaca. Além disso, o paciente precisa evitar quedas ao máximo. Também recomenda-se que a pessoa não ande de avião nesse período. Além disso, a cicatriz não pode ficar exposta ao sol. 

Veja Também:  Médicos retiram cisto de 20kg do ovário de mulher; imagens são fortes

Depois que o tumor é retirado, o patologista, junto com o oncologista, faz a avaliação para que o paciente tenha o tratamento correto. No caso do tumor cerebral, tabagismo, doenças hereditárias e exposição à radiação são fatores que podem levar ao surgimento da doença. 

“Com o diagnóstico precoce, ao pegar o tumor na fase inicial, o tratamento é muito bom, rápido. Com isso, consegue garantir melhor sobrevida, ótima qualidade de vida e menor risco de sequelas”, finaliza. 

Fonte: IG Saúde
Comentários Facebook
Continue lendo

Saúde

Repórter descobre câncer na tireoide com ajuda de telespectadora

Publicado

Women's Health

A repórter australiana Antoinette Lattouf foi diagnosticada com  câncer na tireoide , mas ela não descobriu a doença de uma forma inusitada: quem fez o alerta sobre a doença foi uma telespectadora do programa do qual ela participa todas as manhãs no canal Network Ten.

repórter descobre câncer arrow-options
Reprodução/TV

Antoinette Lattouf, repórter de uma emissora australiana, recebeu aviso de uma telespectadora e, ao investigar, descobriu câncer de tireoide

Leia também: Diferença entre hipertireoidismo, hipotireoidismo e câncer de tireoide

Como repórter descobriu que estava com câncer de tireoide

Pois é, a telespectadora Wendy McCoy, de Werribee, subúrbio de Melbourne, estava assistindo ao programa quando notou algo de estranho no pescoço da jornalista. Ela alertou Antoinette por meio do Facebook: “Você tem checado a tireóide? Não estou tentando bancar a especialista ou trollando, fiquei apenas preocupada com o que vi na TV.”

Após exames, a repórter descobriu um tumor benigno , que se não fosse retirado poderia comprometer sua fala e respiração. “Fiquei chocada. Parecia que eu tinha pomo de Adão”, comentou. Atoinette descobriu ainda, que tinha uma doença autoimune .

Veja Também:  Entenda o que é o tumor retirado do cérebro de Gloria Maria e quais os sintomas

Leia também: Entenda o que é mito e o que é verdade a respeito da saúde da tireoide

“A Wendy eu digo, obrigado pelo carinho de entrar em contato comigo, uma completa estranha, e me fazer ir ao médico. Seu ato aleatório de bondade salvou a minha carreira”, disse Antoinette, de acordo com o portal “Daily Star”.

É sempre importante ficarmos de olho nos  sinais que nosso corpo dá e manter os exames em dia! O câncer de tireóide muitas vezes não mostra sintomas e só pode ser identificado por meio de exames.

Fonte: IG Saúde
Comentários Facebook
Continue lendo

Nova Xavantina

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana