conecte-se conosco


Esportes

São Paulo segura pressão, bate Athletico-PR fora e cola na ponta  do Brasileirão

Publicado

Vitor Bueno marcou para o São Paulo diante do Athletico-PR arrow-options
Heuler Andrey / DiaEsportivo / Agência O Globo

Vitor Bueno marcou para o São Paulo diante do Athletico-PR

Em jogo atrasado da 13ª rodada do Campeonato Brasileiro , o São Paulo foi até a Arena da Baixada, em Curitiba, e venceu o Athletico-PR por 1 a 0, gol marcado pelo meio-campista Vitor Bueno, no fim do primeiro tempo.

Leia também: Ceará pede anulação de jogo contra o São Paulo no STJD por lance com Volpi

Com o triunfo fora de casa, o São Paulo subiu aos 30 pontos na tabela de classificação do Brasileirão, na quarta colocação, mesma pontuação de Flamengo e Palmeiras, vice-líder e terceiro colocados, respectivamente. O líder Santos tem 32.

Já o Furacão ficou com 22 pontos, no oitavo lugar.

No domingo que vem, a equipe paulista vai até o Rio de Janeiro encarar o Vasco, em São Januário. O Athletico-PR , por sua vez, mede forças contra o Grêmio, em Porto Alegre, no sábado.

Mesmo desfalcado de alguns dos seus principais nomes, como Alexandre Pato, Everton, Toró, Hernanes e Bruno Alves, além de Juanfran, que foi reserva, o São Paulo conquistou a vitória após bela jogada ofensiva e tento de Vitor Bueno, aos 39 da etapa inicial. Daniel Alves atuou novamente no meio de campo.

Leia também: Camisa do São Paulo agrada e uruguaios fazem campanha para retribuir homenagem

Veja Também:  Cristiano Ronaldo procura mulheres para jantar em Portugal ou Itália; entenda

O time da casa pressionou demais no segundo tempo em busca do empate, mas parou na excelente atuação da defesa são-paulina e na segurança do goleiro Tiago Volpi, que garantiram o triunfo.

Na roda do Furacão 

Em seus domínios, o Athletico-PR começou trocando passes no campo de ataque, deixando o Tricolor acuado. Nos primeiros 20 minutos, os mandantes chegaram a ter 72% de posse de bola – que foi mais incisiva pela direita, com Madson e Cirino. O camisa 10 rubro-negro teve a primeira boa chance após receber bola rasteira na risca da pequena área, mas foi travado por Arboleda. 

Com o dedo do professor

Perceptivo, Cuca abriu Liziero pela esquerda, reforçando a marcação no setor mais forte do Furacão no jogo. Assim, o tricolor não só equilibrou a partida, como abriu o placar. Ex-companheiro de Alves no Barcelona, Adriano perdeu para Igor, que avançou pela direita e entregou para Bueno. O meia abriu para Liziero, na canhota, e recebeu de volta na pequena área, completando para o gol o contra-ataque de manual do São Paulo em Curitiba. 

O que é isso, Volpi?

Vitinho, ainda fresco no jogo, foi lançado na esquerda e cabeceou no gol do São Paulo. Volpi escolhe socar, mas acerta Marco Ruben, que quase marca por acaso. Por pouco, o empate paranaense não sai na trapalhada do goleiro. 

Veja Também:  Flamenguistas se revoltam contra Tite após convocação de Gabigol e Rodrigo Caio

Tricolor se segura!

​Precisando vencer para colar no G6 do Brasileiro, a equipe paranaense partiu com tudo para o ataque. Madson, invadindo a área, e Ruben, em uma linda bicicleta, ficaram muito perto de marcar. Trancado na defesa, com Farias na vaga de Bueno, e Juanfran no lugar de Antony, o São Paulo se defendeu com unhas e dentes e alcançou a quinta vitória seguida no Brasileirão. 

FICHA TÉCNICA
ATHLETICO-PR 0 X 1 SÃO PAULO

Local : Arena da Baixada, em Curitiba (PR) 
Data/Horário : 21/8/2019, às 19h15 
Árbitro : Daniel Nobre Bins (RS) 
Assistentes : José Eduardo Calza (RS0 e Lucio Beiersdorf Flor (RS) 
Árbitro de vídeo : Carlos Eduardo Nunes Braga (RJ) 
Assistentes do VAR : Elmo Alves Resende Cunha (GO) e Elicarlos Franco de Oliveira (BA) 
Público e renda : 21.526 torcedores e R$ 765.475,00 
Cartões amarelos : Tonny Anderson, Bruno Guimarães, Wellington (CAP); Reinaldo, Arboleda (SAO) 
Cartão vermelho : não houve. 

GOL : Vitor Bueno 39’/1ºT (0-1) 

ATHLETICO-PR : Santos; Madson, Pedro Henrique, Léo Pereira e Adriano; Wellington (Tomás Andrade, 34’/2ºT), Bruno Guimarães e Nikão; Marcelo Cirino, Rony (Marco Ruben, 13’/2ºT) e Tonny Anderson (Vitinho, 17’/2ºT). Técnico: Tiago Nunes. 

SÃO PAULO : Tiago Volpi, Igor Vinícius, Arboleda, Anderson Martins e Reinaldo; Tchê Tchê, Liziero (Léo, 39’/2ºT) e Daniel Alves; Antony (Juanfran, 42/2ºT), Vitor Bueno (Willian Farias, 29’/2ºT) e Raniel. Técnico: Cuca.

Fonte: IG Esportes
Comentários Facebook
publicidade

Esportes

Brasileirão de mata-mata: veja como seriam as quartas de final de 2003 para cá

Publicado

Taça do Brasileirão arrow-options
Reprodução

Taça do Brasileirão

O Brasileirão teve fase de mata-mata até a temporada de 2002, quando os oito primeiros colocados depois do primeiro turno disputavam eliminatórias em jogos de ida e volta até a grande final – em alguns casos, era jogo único.

Leia também: Por que a camisa número 24 é “proibida” no futebol brasileiro?

A partir de 2003, a CBF adotou o sistema de pontos corridos para o Brasileirão , onde o time com a maior pontuação nos dois turnos leva o título, como acontece atualmente.

Mas e se Campeonato Brasileiro ainda fosse disputado no formato de mata-mata, como seriam as quartas de final em todos os campeonatos desde 2003? Agora em 2019, por exemplo, os jogos seriam esses: Flamengo x Grêmio; Palmeiras x Bahia; Santos x São Paulo; Internacional x Corinthians.

Veja abaixo como seriam as quartas de final de todos os Brasileirões de pontos corridos, caso ainda tivessem a fase de mata-mata. Vale lembrar que esta é a classificação dos campeonatos no primeiro turno.

Brasileirão de 2003

Cruzeiro (1°) x Corinthians (8°)
Santos (2°) x Criciúma (7º)
São Paulo (3º) x Internacional (6°)
Coritiba (4°) x Atlético-MG (5°)

Veja Também:  Confira a agenda do futebol deste sábado, 21 de setembro de 2019

Brasileirão de 2004

Santos (1º) X Figueirense (8º)
São Paulo (2º) x Goiás (7º)
Ponte Preta (3º) x Juventude (6°)
Palmeiras (4º) x Athletico-PR (5°)

Brasileirão de 2005

Corinthians (1°) x Palmeiras (8°)
Fluminense (2°) x Santos (7°)
Goiás (3°) x Ponte Preta (6°)
Paraná (4°) x Internacional (5°)

Brasileirão de 2006

São Paulo (1°) x Goiás (8°)
Internacional (2°) x Figueirense (7°)
Grêmio (3°) x Vasco (6°)
Santos (4°) x Paraná (5°)

Brasileirão de 2007

São Paulo (1°) x Santos (8°)
Botafogo (2°) x Grêmio (7°)
Cruzeiro (3°) x Goiás (6°)
Vasco (4°) x Palmeiras (5°)

Brasileirão de 2008

Grêmio (1º) x Botafogo (8º)
Cruzeiro (2°) x Flamengo (7°)
Palmeiras (3º) x Coritiba (6°)
São Paulo (4° x Vitória (5°)

Brasileirão de 2009

Internacional (1°) x Grêmio (8°)
Palmeiras (2°) x Flamengo (7°)
Goiás (3°) x Avaí (6°)
São Paulo (4°) x Atlético-MG (5°)

Brasileirão de 2010

Fluminense (1º) x Athletico-PR (8º)
Corinthians (2°) x Vasco (7°)
Santos (3°) x Cruzeiro (6°)
Internacional (4°) x Botafogo (5°)

Brasileirão de 2011

Corinthians (1°) x Internacional (8°)
Flamengo (2°) x Cruzeiro (7°)
São Paulo (3°) x Palmeiras (6°)
Vasco (4°) x Botafogo (5°)

Veja Também:  Campeã olímpica, judoca Rafaela Silva é pega em exame antidoping

Brasileirão de 2012

Atlético-MG (1°) x Botafogo (8°)
Fluminense (2°) x Flamengo (7°)
Grêmio (3°) x Internacional (6°)
Vasco (4°) x São Paulo (5°)

Brasileirão de 2013

Cruzeiro (1º) X Coritiba (8º)
Botafogo (2º) x Santos (7°)
Grêmio (3°) x Internacional (6°)
Athletico-PR (4°) x Corinthians (5°)

Brasileirão de 2014

Cruzeiro (1º)  x Sport (8º)
São Paulo (2°) x Atlético-MG (7°)
Internacional (3°) x Grêmio (6°)
Corinthians (4°) x Fluminense (5°)

Brasileirão de 2015

Corinthians (1º) x Athletico-PR (8º)
Atlético-MG (2°) x Sport (7°)
Grêmio (3°) x São Paulo (6°)
Fluminense (4°) x Palmeiras (5°)

Brasileirão de 2016

Palmeiras (1°) x Fluminense (8°)
Atlético-MG (2°) x Athletico-PR (7°)
Corinthians (3°) x Grêmio (6°)
Flamengo (4°) x Santos (5°)

Brasileirão de 2017

Corinthians (1°) x Athletico-PR (8°)
Grêmio (2°) x Cruzeiro (7°)
Santos (3°) x Sport (6°)
Palmeiras (4°) x Flamengo (5°)

Brasileirão de 2018

São Paulo (1°) x Cruzeiro (8°)
Internacional (2°) x Corinthians (7°)
Flamengo (3°) x Palmeiras (6°)
Grêmio (4°) x Atlético-MG (5°)

Brasileirão de 2019

Flamengo (1°) x Grêmio (8°)
Palmeiras (2°) x Bahia (7°)
Santos (3°) x São Paulo (6°)
Internacional (4°) x Corinthians (5°)

Fonte: IG Esportes
Comentários Facebook
Continue lendo

Esportes

Com ótimo segundo tempo, Grêmio bate o Santos na Vila Belmiro

Publicado

Lance

jogo do gremio arrow-options
Reprodução/Twitter/@gremio/Lucas Uebel

Grêmio vence Santos na Vila Belmiro com três gols no segundo tempo

Foram dois tempos distintos. Mas só um dos times aproveitou bem as chances. Após sofrer no primeiro tempo, o Grêmio voltou melhor no segundo e fez 3 a 0 no Santos, na noite deste sábado, na Vila Belmiro. Luan, Pepê e Everton marcaram para o Tricolor, que chegou a 31 pontos e, agora é o sétimo colocado. O Peixe parou nos 37, na terceira colocação.

Os dois times voltam a jogar na próxima quinta-feira. O Santos visita o Fluminense, às 20h, no Maracanã, enquanto, no mesmo horário, o Grêmio recebe o Avaí, na Arena.

Leia também: Leia também: Renato Gaúcho contesta trabalho de Sampaoli no Santos: “Ganhou alguma coisa?”

P eixe a mil por hora

​O Santos começou a partida sem deixar o Grêmio respirar na Vila Belmiro. Foram 15 minutos de pura pressão do time de Jorge Sampaoli, que empilhou chances de gols – ora mal finalizadas, ora defendidas por Paulo Vitor. Comandado por Carlos Sánchez, o time do Santos teve oportunidades com o próprio uruguaio, Pituca e Soteldo. Nesse curto período de tempo, foram seis finalizações do Peixe, sendo cinco na direção do gol.

Enquanto isso, o Grêmio tentava puxar contra-ataques pelos lados, mas só tinha algum desafogo quando Everton conseguia arrancar pela direita.

Grêmio equilibra

Apesar do começo fulminante do Peixe, o time do Grêmio conseguiu segurar o ímpeto dos donos da casa. A partir dos 20 minutos, o Tricolor começou a sair um pouco mais para o jogo e, no final do primeiro tempo, conseguiu criar duas boas chances de gol. Primeiro, com Everton. Após bom cruzamento de Cortez, aos 42, Cebolinhas tentou de cabeça mas pegou fraco e mandou para fora.

Veja Também:  Campeã olímpica, judoca Rafaela Silva é pega em exame antidoping

Cinco minutos depois, o Grêmio teve, talvez, a melhor chance do jogo. Após cobrança de escanteio, Everton pegou a sobra finalizou. A bola desviou e Michel ficou com ela quase na risca da pequena área, mas finalizou fraco, nas mãos de Éverson.

Tricolor volta melhor

​Se terminou o primeiro tempo conseguindo equilibrar a partida, o Grêmio voltou do intervalo ainda melhor. E não demorou para conseguiu abrir o placar. Aos 9 minutos, Galhardo cobrou uma falta pelo lado esquerdo, a bola desviou na barreira e sobrou para Luan. O camisa 7 do Grêmio finalizou bem na saída de Éverson e marcou.

Leia também: Flamengo vence o Cruzeiro e alcança recorde de vitórias no Brasileiro

Lá e cá

Após o gol do Grêmio, o jogo, que já estava bom, ficou ainda melhor. Mesmo com o gramado molhado, as duas equipes tocavam bem a bola e chegavam com muita velocidade na área adversária, mas falhavam na hora do último passe.

Renato leva a melhor

Enquanto o as substituições de Sampaoli não surtiram efeito no Peixe, principalmente a entrada de Uribe, as trocas de Renato mantiveram o time do Grêmio com velocidade e bom toque de bola. E foi assim que o Grêmio ampliou o placar. Aos 41, Matheus Henrique deu um belo lançamento para Pepê, que tocou para Everton. O camisa 11 devolveu e Pepê finalizou para o gol.

Veja Também:  Granada surpreende, bate Barcelona e dorme na liderança do Espanhol

E ainda teve tempo para mais um. Em novo contra-ataque, Alisson tocou para Everton na entrada da área. O camisa 11 tocou rasteiro, no canto. Com toques de crueldade, a bola ainda bateu na trave antes de entrar e decretar a grande vitória do Grêmio.

FICHA TÉCNICA
SANTOS 0 X 3 GRÊMIO

Local : Vila Belmiro, Santos (SP)
Data/hora: 20/9 (sábado), 21h
Árbitro : Paulo Roberto Alves Junior (PR) – 6,0, Nota LANCE!: Não atrapalhou o andamento do jogo.
Assistentes: Ivan Carlos Bohn e Rafael Trombeta (ambos PR)
Árbitro de vídeo: Adriano Milczvski (PR)
Público/Renda: 10.898 pagantes/R$ 476.877,50
Gramado: Bom.
Cartão amarelo: Soteldo e Jorge Sampaoli (SAN), Everton, Michel e Diego Tardelli (GRE)
Cartão vermelho: –

GOLS: Luan, 9’/2ºT (0-1), Pepê, 41’/2ºT (0-2), Everton, 47’/2ºT (0-3)

SANTOS : Everson; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, Luiz Felipe (Felipe Jonatan, 21’/2ºT) e Jorge; Alison, Diego Pituca e Carlos Sánchez (Venuto, 31’/2ºT); Soteldo, Eduardo Sasha e Marinho (Uribe, 19’/2ºT). Técnico : Jorge Sampaoli.

GRÊMIO : Paulo Victor; Galhardo, David Braz, Kannemann e Cortez (Juninho Capixaba, Intervalo); Matheus Henrique, Michel, Alisson e Luan (Pepê, 31’/2ºT); Everton e Diego Tardelli (Thaciano, 21’/2ºT). Técnico : Renato Gaúcho.

Fonte: IG Esportes
Comentários Facebook
Continue lendo

Esportes

Setor ofensivo funciona e Corinthians espanta a crise com vitória na Arena

Publicado

Lance

Corinthians arrow-options
Reprodução/Corinthians

Love anotou um dos gols do Corinthians

O Corinthians precisava dar uma resposta a sua torcida e aliviar a crise que se instalava no clube. E conseguiu, ao vencer o Bahia por 2 a 1, com polêmicas do VAR. Para conseguir a vitória, Carille montou um time com um meio-campo diferente, com Sornoza na armação das jogadas e Love e Clayson se alternando no comando de ataque, fazendo inversão pelas pontas. A bola na trave do camisa 25 logo no começo da partida dava a impressão de que o Timão partiria para o ataque.

LEIA MAIS: Flamengo vence o Cruzeiro e alcança recorde de vitórias no Brasileirão

Realmente, o time que foi visto na quarta-feira, na derrota para o Del Valle (EQU) por 2 a 0 pela Sul-Americana, não deu as caras na Arena. Partindo para cima da equipe baiana, o Timão mostrava repertórios de jogadas, com Ramiro e Sornoza recompondo e chegando também ao ataque, mostrando que pode ser uma alternativa para válvula de escape do time de Carille.

Já a equipe do Bahia ameaçou o Timão principalmente pelos lados, com Élber na esquerda e Arthur na direita, se aproveitando do jovem Carlos Augusto, atuando na vaga de Avelar, machucado.

Veja Também:  Cristiano Ronaldo procura mulheres para jantar em Portugal ou Itália; entenda

O Tricolor de Aço teve um pênalti revisto pelo VAR, que o juiz não marcou. Isto pareceu inflamar o Corinthians, que logo na sequência, teve um pênalti assinalado pelo árbitro de vídeo, que acabou com o gol de Vagner Love, premiando o time que mais buscou o ataque na primeira etapa, já que o Timão teve 11 finalizações na partida.

LEIA MAIS: Renato Gaúcho contesta Sampaoli: “ganhou alguma coisa?”

O panorama do segundo tempo mudou radicalmente. Apostando nos contra-ataques, o Corinthians não conseguia mais chegar a área do Bahia, que começou a assustar a zaga corintiana. Até que, numa disputa de Clayson com Gregore, o árbitro foi ao VAR novamente e marcou o pênalti para o Bahia. Gilberto bateu e marcou, empatando a partida.

O Timão pareceu sentir o empate e Carille resolveu mexer, colocando Jadson na vaga de Ramiro, atuando com dois armadores para dar mais consistência ao ataque. A alteração deu certo, e Clayson aproveitou um lançamento de Pedrinho para marcar.

LEIA MAIS: São Paulo vence o Botafogo com gol nos acréscimos. Veja detalhes da partida

Veja Também:  Após ser indiciada pela Polícia Civil, Najila é acusada de dois crimes pelo MP

Após o segundo gol, o Corinthians passou a apostar ainda mais nos contragolpes, com Janderson na vaga de Clayson, jogando com ainda mais velocidade pelos lados do campo. Pelas circunstâncias da partida, nenhuma equipe conseguiu assustar mais as metas adversárias. Vitória merecida do Corinthians, nova formação testada no meio e espanto na crise do Timão.

Fonte: IG Esportes
Comentários Facebook
Continue lendo

Nova Xavantina

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana