conecte-se conosco


Nova Xavantina

TRE investiga crime eleitoral praticado pelo prefeito João Cebola e o deputado federal Carlos Bezerra no P.A. Safra

Publicado

Durante a entrega de títulos de propriedades do Incra, em setembro de 2018, para o parceleiros do projeto de assentamento Safra, em Nova Xavantina, o prefeito João Cebola pediu votos para o deputado federal Carlos Bezerra

O deputado federal Carlos Bezerra (MDB) supostamente se elegeu com o uso de compra de votos utilizando evento do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) durante sua campanha no distrito Nova Canaã do Leste, no projeto de assentamento Safra, em Nova Xavantina. A acusação é da Procuradoria Regional Eleitoral (PRE), que pede a cassação do parlamentar em uma representação por conduta vedada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE).

De acordo com o documento, o parlamentar fez conluio com o prefeito de Nova Xavantina, João Batista Vaz da Silva (PSD), para que juntos, no dia 02 de setembro de 2018, fizessem a entrega de títulos definitivos de propriedade do Incra no Assentamento P.A. Safra durante solenidade na qual ambos promoveram, palavras da PRE, pedidos explícitos de votos para o presidente do MDB no Estado. As alegações estariam configuradas e gravadas em quatro vídeos anexados ao processo.

No discurso, prefeito teria frisado por mais de uma vez que os registros das matrículas dos novos imóveis rurais foram propiciados, “gratuitamente”, pelo então candidato à reeleição na Câmara Federal, de modo a ligar claramente o resultado obtido à atuação de Bezerra, de modo a “vincular o mandato parlamentar à obtenção daqueles títulos por aquelas pessoas e pedindo expressamente voto para Bezerra, sob o argumento de que deveriam ajudar quem os ajuda. Ao assim proceder, o primeiro representado (João Batista), de forma irretorquível, fez uso promocional do evento em favor do segundo representado (Carlos Bezerra), então candidato”, conforme consta nos autos.

A PRE quer a cassação e aplicação de multa compensatória a ambos os políticos.

Em suas defesas preliminares, o prefeito João Batista Vaz da Silva e o deputado federal Carlos Bezerra afirmaram que as gravações são provas obtidas ilegalmente e pediram que os pedidos sejam considerados improcedentes porque, ao contrário do que alega a procuradoria, não houve gratuidade alguma na entrega dos títulos e, portanto, não houve configuração da conduta vedada.

Defesas individuais, em seu pedido Bezerra afirmou que a denúncia foi completamente apoiada somente em “gravação ambiental realizada por pessoa desconhecida” e, portanto, ilegítima por si só e ilegal à luz da constituição, que proíbe a utilização como prova em ações na justiça de quaisquer gravações, em áudio, vídeo ou audiovisual sem autorização da justiça ou de quem está sendo gravado, o que ocorreu explicitamente no dia. Também alegou inépcia da denúncia porque ficou ausente a individualização da conduta praticada e falta de interesse processual. As duas defesas pediram a extinção do processo.

Acontece que o juiz eleitoral Antônio Veloso Peleja Júnior acatou a denúncia e negou o pedido de anulação da prova. No caso, as gravações audiovisuais, e determinou audiência para colher o depoimento do ex-superintendente regional do Incra em Nova Xavantina, João Bosco de Moraes, além de outras quatro pessoas.

“A questão suscitada não se enquadra em nenhuma das hipóteses de inépcia da inicial previstas no Código de Processo Civil. Observa-se causa de pedir compreensível, pedidos certos, determinados e compatíveis entre si, além de fatos narrados de maneira satisfatoriamente lógica, apontou-se o direito violado e as razões fáticas do pedido. Logo, não há que se falar em inépcia da inicial”, escreveu Peleja Júnior.

SEGUNDA AÇÃO

Esta é a segunda ação que Carlos Bezerra responde no TRE por irregularidades na campanha de 2018. Ambas pedem como pena a cassação de seu mandato. 

A primeira também apontou irregularidades na prestação das contas de campanha do deputado, na qual foi declarado um total de recursos recebidos de R$ 1.883.972,35 e despesas contratadas de R$ 1.791.872,35. Porém diversas irregularidades foram listadas e, segundo o MP Eleitoral, ensejam a cassação do diploma obtido no ano passado.

Com Rodivaldo Riobeiro – FolhaMax

Veja Também:  QUEIMADAS - Morador da gleba Gaivota em Nova Xavantina que perdeu tudo com incêndio pede ajuda

Comentários Facebook
publicidade

Nova Xavantina

QUEIMADAS – Morador da gleba Gaivota em Nova Xavantina que perdeu tudo com incêndio pede ajuda

Publicado

O senhor Manoel Francisco Marques, pequeno produtor rural na gleba Gaivota, na região do Voadeira, no município de Nova Xavantina perdeu tudo que estava em sua moradia, com um incêndio provocado pelo fogo na região da Gleba Gaivota.

 

No início da tarde desta quarta-feira, 11, um fogo provocado por um curto circuito na rede de energia elétrica provocou um incêndio nas pastagens da fazenda do empresário Jorge do Auto Posto Bom Tempo, na região do Antártico e um redemoinho jogou o fogo para o lado da gleba Gaivota, se transformando em um grande incêndio.

A casa onde morava a família do senhor Manoel e dona Maria ficou totalmente destruída e o fogo consumiu tudo, não sobrou nada. O fogo queimou tudo, roupas, cama, panelas, pratos, documentos pessoais, etc. A imagem gravada no local é lamentável. Dona maria sofreu um acidente doméstico na segunda-feira, 09, e ficou cega de um dos olhos razão pela qual está em Barra do Garças em tratamento. 

A família precisa de sua ajuda, se você tiver em sua casa, loja, escritório, fazenda, ou outro local, algum objeto que possa ser doado, como alimento, cama, guarda-roupa, panela, talheres, roupas de cama, geladeira, fogão, televisor, material de construção, tabuas, madeiras, etc. faça a sua doação. Você poderá levar a doação e entregar diretamente para o senhor Manoel, na gleba Gaivota. para chegar no local é só passar a ponte de cimento do Ribeirão Antártico e seguir em frente, rumo a Ilha do Coco, após passar a primeira baixada, entre a esquerda na primeira entrada. Dá estrada dá para ver o local onde existia a moradia.

O portal de notícias O Roncador também irá fazer a arrecadação das doações, basta entrar em contato com o advogado e jornalista doutor Wande Diniz pelo telefone (66)98116-0547. Se você quiser doar dinheiro, procure pessoalmente o senhor Manoel.

Você pode falar com dona Luzia, nora do senhor Manoel, pelo telefone (66)98131-6610 ou com a dona Ivone, filha do senhor Manoel, pelo telefone (66)98136-9076 e dar a sua contribuição.

Comentários Facebook
Veja Também:  QUEIMADAS - Morador da gleba Gaivota em Nova Xavantina que perdeu tudo com incêndio pede ajuda
Continue lendo

Nova Xavantina

O PSL e o DEM, partido do presidente Bolsonaro e do governador Mauro Mendes, terão candidato a prefeito em Nova Xavantina

Publicado

O projeto do prefeito João Cebola de ter candidatura única para a sua sucessão está correndo risco em razão da decisão das lideranças dos partidos da base dos governos federal e estadual de lançar candidatura própria.

O prefeito João cebola foi eleito em 2016 após ter construído uma candidatura única nas eleições municipais de 2016, quando já estava no cargo de prefeito de Nova Xavantina em razão da renúncia do então prefeito Gercino Caetano, e, por esta razão, sonha e trabalha uma candidatura única, inicialmente em torno do nome do empresário Márcio Caetano, irmão do ex prefeito Gercino e proprietário da representação das Baterias Kondor na região, podendo ser outro do grupo, tendo na lista de prováveis sucessores, além de Márcio, o nome do empresário Nico do Leilão e Beto Petter.

Francy da FCL, presidente do PSL, partido do presidente da república, Jair Bolsonaro, foi o primeiro a se opor ao projeto de candidatura única e lançou o seu nome como pré-candidato a prefeito de Nova Xavantina, com o discurso de uma candidatura única não é democracia: “Nova Xavantina não terá candidatura única porque eu vou me candidatar, para dar ao povo o direito de escolha”. Disse Francy. Francy já recebeu o apoio público de várias lideranças do partido, entre elas a senadora Selma Arruda e o deputado federal Nelson Barbudo. Na cidade de Nova Xavantina Francy passou a ser visto como p´ré-candidato a prefeito por suas publicações nas redes sociais.

Ubirtam Tavares Pimentel, o Birinha, atual  presidente do DEMOCRATAS – DEM, partido do governador Mauro Mendes, já reuniu com as lideranças de seu partido em nível estadual e definiu que não irá apoiar o projeto de candidatura única do prefeito João Cebola. O DEM lançou o nome da empresária Carla Santini, proprietária da empresa Noidore Armazéns Gerais, como pré-candidata a prefeita de Nova Xavantina. Carla foi candidata a vereadora na eleição passada e está disposta a enfrentar as eleições municipais de 2020 na disputa do cargo para assumir a sucessão do prefeito Cebola.

Birinha afirmou que, caso o partido não lance candidatura própria, irá coligar com o PSL e apoiar a candidatura do partido ou outro nome de outro partido que se firme como candidato contra o atual projeto de candidatura única.

Na busca por um espaço, aparece correndo em outras rais da disputa, a ex-primeira dama Vanusa Pazetto e o vereador João Bang, ambos contra o projeto de candidatura única do atual Prefeito. Vanusa está no PP mas poderá ir para outra agremiação, e o vereador João bang está no PSB.

Dessa forma, o candidato apoiado pelo atual prefeito João Cebola poderá fazer campanha sem o apoio do atual governador Mauro Mendes e sem o apoio do partido do presidente da república Jair Bolsonaro.

Comentários Facebook
Veja Também:  QUEIMADAS - Morador da gleba Gaivota em Nova Xavantina que perdeu tudo com incêndio pede ajuda
Continue lendo

Nova Xavantina

Após exposição do caso nas redes sociais, preso agressor de companheira no bairro Tonetto em Nova Xavantina

Publicado

Após repercussão nas redes sociais de uma suposta agressão à facadas na companheira, ocorrida na tarde desta terça feira, 10, no bairro Tonetto, foi preso pela Polícia Civil de Nova Xavantina, Thiago Lopes Araújo, vulgo “Pica Pau”, autor da agressão.

Segundo o delegado Dr. Raphael Diniz Garcia, Thiago foi o autor da agressão mas não à facadas, como saiu publicado nas redes sociais. “Ele utilizou uma concha grande de ferro, essas de servir feijoada, e acertou a companheira na altura da testa, ocasionando sangramento, mas não houve a facada anunciada” esclareceu o delegado.

EMBAIXO DA CAMA

No final da tarde de ontem, postagens em grupos de whatsaap davam conta de que a vítima ficara com as costas retalhada, “como um peixe preparado para o tempero”. Para o delegado, essa parte da narrativa não confere com a realidade.

Ao acessar as mensagens, que identificavam o agressor, os policiais saíram ao encalço do mesmo, o lograram exito em sua prisão, escondido debaixo de uma cama.

Veja Também:  QUEIMADAS - Morador da gleba Gaivota em Nova Xavantina que perdeu tudo com incêndio pede ajuda

“Ele já tem passagens pela polícia por ocorrências deste tipo, é usuário de drogas” pontuou Dr. Raphael. Thiago já foi conduzido para o presídio Major Zuzi, em Água Boa.

Sintonia News

Comentários Facebook
Continue lendo

Nova Xavantina

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana