conecte-se conosco


Economia

Ambev registra lucro de mais de R$ 12 bilhões em 2019, alta de 7%

Publicado


source
No ano, o volume de cerveja vendido no Brasil cresceu 3,2%, alcançando 80,3 milhões de hectolitros arrow-options
Cristiano Sant’Anna/indicefoto.com

No ano, o volume de cerveja vendido no Brasil cresceu 3,2%, alcançando 80,3 milhões de hectolitros

A Ambev , maior fabricante de cerveja e refrigerantes da América Latina, registrou lucro líquido de R$ 12,188 bilhões em 2019. Número representa uma alta de 7,4% frente aos R$ 11,347 bilhões registrados em 2018.

Procon notifica Heineken sobre garrafas que podem soltar lascas de vidro

O lucro líquido ajustado, que exclui eventos extraordinários do resultado, foi de R$ 12,549 bilhões no ano passo, alta de 8,5% ante 2018.

No 4º trimestre de 2019, o lucro líquido foi de R$ 4,219 bilhões, o que representa um crescimento de 21,8% contra o mesmo período do ano passado. Já o lucro líquido ajustado somou R$ 4,635 bilhões, alta de 24,4%.

Vendas do Tesouro Direto caem 27,6% em janeiro

A receita líquida consolidada da companhia cresceu 7,9% em 2019, somando R$ 52,6 bilhões, enquanto o volume de vendas registrou alta de 2,7%.

Operação no Brasil

A receita líquida da operação brasileira cresceu 7,1% no ano e somou R$ 28,7 bilhões. O volume de cerveja vendido no Brasil cresceu 3,2%, alcançando 80,3 milhões de hectolitros, enquanto que a receita aumentou 5,6%. Já as vendas de bebidas não alcoólicas aumentaram 11,3% no volume e 16,1% em faturamento.

“No ano, as marcas premium do portfólio (Stella Artois, Budweiser, Corona e Becks) cresceram dois dígitos, desempenho que faz da Ambev a líder absoluta do segmento no país”, destacou a empresa.

Comentários Facebook
publicidade

Economia

Senado aprova dispensa de atestado médico na falta ao trabalho

Publicado


source
paciente com máscara arrow-options
reprodução

medida dispensa trabalhador infectado pelo novo coronavírus de apresentar atestado médico para abonar ausência

Empregados infectados por coronavírus ou que tiveram contato com doentes poderão ser dispensados de apresentar atestado médico para justificar a falta ao trabalho. É o que prevê o Projeto de Lei (PL) 702/2020, aprovado pelo Senado nesta terça-feira (31). O texto agora vai à sanção presidencial.

O projeto altera a Lei 605, de 1949, que dispõe sobre o repouso semanal remunerado e o pagamento de salário nos feriados. O texto garante afastamento por sete dias , dispensado o atestado médico, mas obriga o empregado a notificar o empregador imediatamente.

Bolsonaro diz que Mandetta ‘está bem’ e ironiza diretor da OMS

Em caso de imposição de quarentena , o trabalhador poderá apresentar, a partir do oitavo dia: atestado médico, documento de unidade de saúde do Sistema Único de Saúde (SUS) ou documento eletrônico regulamentado pelo Ministério da Saúde.

A regra vale enquanto durar o estado de calamidade pública reconhecido pelo Decreto Legislativo 6, de 2020, e a emergência de saúde pública internacional por conta da pandemia de coronavírus.

O texto havia sido aprovado na Câmara dos Deputados no último dia 26, sob a forma de substitutivo ao projeto original — o texto original havia sido apresentado pelo deputado federal Alexandre Padilha (PT-SP) e por outros nove parlamentares que integram uma comissão que estuda medidas contra a pandemia .

Em meio à pandemia, Carlos Bolsonaro ganha escritório no Planalto

De acordo com Padilha, o texto segue o exemplo da Inglaterra , que adotou uma política para a proteção da sociedade e dos trabalhadores. “Urge a necessidade de aprovação deste projeto de lei de modo a garantir instrumentos que são cruciais para o combate à pandemia do novo coronavírus”, declarou ele na justificativa da proposta.

Em seu relatório favorável ao projeto, o senador Veneziano Vital do Rêgo (PSB-PB) afirma que “não se afigura razoável exigir o comparecimento do empregado ao estabelecimento empresarial para comprovar a existência de doença que justifique o seu afastamento em quarentena”, acrescentando que a dispensa de atestado protege a saúde do trabalhador e das pessoas próximas a ele.

Comentários Facebook
Continue lendo

Economia

Contas de energia de 534 mil famílias serão zeradas no Ceará

Publicado


source
Camilo Santana, governador do Ceará arrow-options
Divulgação/Governo do Ceará

Camilo Santana, governador do Ceará

As contas de energia de 534 mil famílias de baixa renda no Ceará serão zeradas pelos próximos três meses devido à pandemia do novo coronavírus (Sars-Cov-2). O anúncio foi feito nesta terça-feira (31) pelo governador Camilo Santana (PT).

A medida vai valer para grupos familiares que gastam até 100 quilowatts por mês, mas ainda precisa ser aprovada pela Assembleia Legislativa do estado.

Leia também: Contra a Covid-19, “robô” entrevistará 125 milhões de brasileiros por telefone

Na semana passada, o governo havia anunciado a suspensão da conta de água dos meses de abril, maio e junho para consumidores de baixa renda.

O Ceará concentra o maior número de casos de coronavírus na região Nordeste. São 390 pacientes infectados e sete mortes registradas.

Comentários Facebook
Continue lendo

Economia

São Paulo repassará R$ 100 milhões para Santas Casas e hospitais municipais

Publicado


source
São Paulo busca ampliar capacidade dos hospitais para atender demanda de pacientes com coronavírus arrow-options
Reprodução

São Paulo busca ampliar capacidade dos hospitais para atender demanda de pacientes com coronavírus

Em coletiva na tarde desta terça-feira (31), Doria anunciou R$ 100 milhões para 300 Santas Casas e 126 hospitais municipais para auxiliar no tratamento de infectados pelo novo coronavírus.

Veja também: De auxílio de R$ 600 a redução de jornada, entenda as medidas emergenciais

O investimento será dividido em quatro parcelas de R$ 25 milhões, que serão pagas nos meses de abril, maio, junho e julho. O intuito é ampliar em 30% a capacidade dos hospitais para o atendimento de pacientes de COVID-19 de média e alta complexidade.

“Para que as Santas Casas e os hospitais municipais possam ter um reforço no custeio para o atendimento aos seus pacientes. Objetivo é que esses hospitais aumentem a sua capacidade de atendimento e desafoguem os hospitais, sobretudo no atendimento de média e alta complexidade”, afirmou.

Leia mais: Covid-19: Funerárias alegam alta de até 20% no serviço em São Paulo

Em atualização

Comentários Facebook
Continue lendo

Nova Xavantina

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana