conecte-se conosco


Economia

Balança comercial fecha janeiro com primeiro déficit desde 2015

Publicado

Este é o pior resultado para o mês desde 2015 (-US$ 3,875 bilhões) arrow-options
iStock

Este é o pior resultado para o mês desde 2015 (-US$ 3,875 bilhões)

A queda na cotação de diversos produtos internacionais e a redução do embarque de alguns itens fizeram a balança comercial (diferença entre exportações e importações) fechar janeiro com o primeiro déficit em cinco anos. No mês passado, o país importou R$ 3,428 bilhões a mais do que importou. Este é o pior resultado para o mês desde 2015 (-US$ 3,875 bilhões).

Déficit da Previdência dos militares fecha 2019 em R$ 47 bi, alta de 7,2%

No mês passado, as exportações caíram 20,2% pela média diária, atingindo US$ 14,430 bilhões. As importações encerraram janeiro em US$ 16,175 bilhões, com recuo de 1,3% pela média diária.

Segundo a Secretaria de Comércio Exterior do Ministério da Economia, o principal fator responsável pela retração das vendas externas foi a não exportação de uma plataforma de petróleo no valor de US$ 1,3 bilhão ocorrida em janeiro do ano passado que não se repetiu neste ano.

Em seguida, o saldo foi influenciado pela queda nas cotações internacionais e no volume das exportações de petróleo bruto, cujas vendas caíram US$ 592 milhões em janeiro na comparação com o mesmo mês do ano passado.

Com crise de atendimento, Leonardo Rolim diz que INSS precisa de menos pessoas

as vendas de celulose caíram US$ 445 milhões na mesma comparação, influenciada pela desaceleração da economia chinesa. Também contribuiu para a queda nas exportações a redução de US$ 270 milhões nas vendas de milho e a diminuição de US$ 255 milhões nos embarques de soja, também provocado pela baixa demanda chinesa, que se refletiu nos preços internacionais.

O crescimento nas exportações de minério de ferro e seus concentrados (+US$ 314 milhões), algodão (+US$ 282 milhões) e derivados de petróleo (+US$ 207 milhões), não compensou a queda nos embarques de outros produtos.

As exportações do principal produto responsável pelo repique da inflação no fim do ano passado, a carne bovina congelada, cresceram US$ 182 milhões na comparação entre janeiro deste ano e janeiro de 2019.

Todas as categorias de produtos registraram queda nas exportações. As vendas de bens manufaturados caíram 27,7% em janeiro em relação ao mesmo mês do ano passado, ainda influenciadas pela crise na Argentina.

As vendas de produtos semimanufaturados caíram 25,2%. Para os produtos básicos, a queda nas exportações atingiu 11,9%.

Nas importações, as compras de bens de capital – máquinas e equipamentos usados na produção – subiram 6,6% em janeiro em relação ao mesmo mês do ano passado.

As aquisições de bens intermediários caíram 3,4%. No entanto, por causa da recuperação da economia, as compras de bens de consumo subiram 6,9%. As importações de combustíveis e lubrificantes tiveram forte queda, com recuo de 15,3%.

Depois de o saldo da balança comercial ter encerrado 2019 em US$ 46,657 bilhões, o segundo maior resultado positivo da história, o mercado estima menor superávit em 2020, motivado principalmente pela recuperação da economia brasileira, que reativa o consumo e as importações, pelas tensões comerciais entre países desenvolvidos, que reduz o comércio global, e pelo surto de coronavírus na China, o principal destino das nossas exportações.

Segundo o boletim Focus, pesquisa semanal com instituições financeiras divulgada pelo Banco Central, os analistas de mercado preveem superávit comercial de US$ 37,31 bilhões para este ano. O Ministério da Economia ainda não divulgou as estimativas para o saldo comercial em 2020.

Comentários Facebook
publicidade

Economia

ANA estima perda de US$ 5 bilhões e decide parar metade de seus widebody

Publicado


source

Contato Radar

undefined
Guilherme Dotto

ANA estima perda de US$ 5 bilhões e decide parar metade de seus widebody

Na última quarta-feira (21), a All Nippon Airways (ANA) anunciou o corte de 25 a 30 aeronaves widebody, responsáveis pelos voos internacionais e de longa duração da empresa.

A companhia possui 59 aeronaves widebody, que são compostas por Boeing 767, B777, B787 e Airbus A380.

Comparado com as aeronaves de pequeno e médio porte, as grandes aeronaves apresentam menor eficiência de combustível e custos de manutenção mais elevados, o principal alvo de medidas de preservação.

Como resultado pandemia, a ANA também teve que suspender seus planos de expandir suas rotas por causa da crise mundial. O relatório deve ter incluso o anúncio da perda de cerca de 530 bilhões de ienes (US$ 5,07 bilhões) na receita líquida consolidada.

A ANA Holdings (ALNPY), empresa superior a ANA, incluirá detalhes mais relevantes no relatório do plano de negócios que será liberado no dia 27. Com bilhões de ienes em aeronaves grandes, o valor calculado em queda se tornou uma das razões para as gigantes perdas.

Assim, na lista de corte está o Boeing 777, buscando assim compradores para vender totalmente a aeronave e a venda separada de peças de reposição após o desmantelamento também é uma opção.

Embora levem mais passageiros, há a elevação do custo combustivel e custo de manutenção, sendo pouco lucrativos em voos de baixa ocupação.

O post ANA estima perda de US$ 5 bilhões e decide parar metade de seus widebody apareceu primeiro em Contato Radar – Notícias de aviação .

Comentários Facebook
Continue lendo

Economia

KLM já tem data para seu último voo com o Boeing 747

Publicado


source

Contato Radar

undefined
Guilherme Dotto

KLM já tem data para seu último voo com o Boeing 747

A KLM havia planejado inicialmente retirar o jumbo de operação no início deste ano. No entanto, eles foram trazidos de volta ao voos para atuar como cargueiros.

Devido à pandemia, a companhia deve aposentar seus dois últimos Boeing 747 no domingo (25). Nenhum tipo de aeronave foi mais afetada do que o Boeing 747.

A British Airways, Qantas e a KLM aposentaram todas as suas frotas da rainha dos céus de forma rápida, a baixa demanda fez com que a aposentadoria fosse rápida, levando-os para ser picotados e até mesmo em museus.

O PH-BFV será a primeira aeronave a retornar ao HUB em Amsterdam Schiphol com um horário de chegada às 16:40. Já o PH-BFW chegará um pouco depois, às 20:50. Ambas as aeronaves pousarão em Schiphol com o número de vôo 747.

Com as novas aeronaves mais econômicas, os jatos quadrimotores vem perdendo espaço nas companhias aéreas.

Para mais notícias sobre aviação acesse o Contato Radar (CLICANDO AQUI).

O post KLM já tem data para seu último voo com o Boeing 747 apareceu primeiro em Contato Radar – Notícias de aviação .

Comentários Facebook
Continue lendo

Economia

Mega-Sena sorteia R$ 38 milhões neste sábado: é o último da Mega-Semana

Publicado


source

Brasil Econômico

Mega-Sena
Agência Brasil

Prêmio desta semana é de R$ 38 milhões

Depois de nenhuma aposta vencer o sorteio realizado nesta quinta-feira (22), a Mega-Sena realiza, neste sábado (24), o último sorteio da Mega-Semana , com a quantia estimada de R$ 38 milhões como prêmio.

O sorteio do concurso 2.312 acontece às 20h (horário de Brasília) no Espaço Loterias Caixa , localizado no Terminal Rodoviário do Tietê, na cidade de São Paulo.

É possível apostar até as 19h (horário de Brasília), em qualquer casa lotérica credenciada pela Caixa do país . Também é possível apostar pela internet. O bilhete simples da Mega-Sena, com seis dezenas, custa R$ 4,50.

No concurso 2.311 , realizado na quinta-feira (22), as dezenas sorteadas foram: 030509354360 . Nenhuma aposta venceu o sorteio, fazendo o prêmio acumular em R$ 38 milhões.

Como apostar online na Mega-Sena

Para aqueles que apostarem pela internet, não é possível optar pela aposta mínima, de R$ 4,50. No site da Caixa , o valor mínimo para apostar na Mega-Sena é de R$ 30, seja com uma única aposta ou mais de uma.

Para fazer uma aposta maior, com 7 números, dando uma maior chance de ganhar, o preço sobe para R$ 31,50. Outra opção para atingir o preço mínimo é fazer sete apostas simples, que juntas têm o mesmo valor, R$ 31,50. Além disso, os bolões, disponíveis online, são outra opção viável.

Como funciona a Mega-Sena

O concurso é realizado pela Caixa Econômica Federal e o vencedor pode receber milhões de reais se acertar as seis dezenas. Os sorteios ocorrem pelo menos duas vezes por semana – geralmente, às quartas-feiras e aos sábados. O apostador também pode ganhar prêmios com valor mais baixo caso acerte quatro ou cinco números, conhecidas como Quadra e Quina, respectivamente.

Na hora de jogar, o apostador pode escolher os números ou tentar a sorte com a Surpresinha . Esse modelo consiste na escolha automática, realizada pelo sistema, das dezenas jogadas. 

Outra opção é manter a mesma aposta por dois, quatro ou até oito sorteios consecutivos, conhecida como a Teimosinha .

Premiação

Os prêmios costumam iniciar em, aproximadamente, R$ 3 milhões para quem acertar as seis dezenas. Dessa forma, o valor vai acumulando a cada concurso sem vencedor. 

Também é possível ganhar prêmios ao acertar quatro ou cinco números dentre os 60 disponíveis no volante de apostas. Para isso, é preciso marcar de seis a 15 números do volante.

O prêmio bruto da Mega-Sena corresponde a 43,35% da arrecadação. Deste valor:

  • 35% são distribuídos entre os acertadores dos seis números sorteados;
  • 19% entre os acertadores de cinco números (Quina);
  • 19% entre os acertadores de quatro números (Quadra);
  • 22% ficam acumulados e distribuídos aos acertadores dos seis números nos concursos terminados em zero ou cinco; e
  • 5% ficam acumulado para a primeira faixa (Sena) do último concurso do ano de final zero ou cinco.

Mega-Semanas

Geralmente, os sorteios da Mega-Sena acontecem duas vezes por semana, às quartas e aos sábados. Mas, para adequar o número do concurso da Mega da Virada, que deve ter final 0 ou 5, foram criadas as Mega-Semanas , exclusividade da Mega-Sena. 

Nessas Mega-Semanas, são feitos três concursos semanais, um na terça, outro na quinta e o último no sábado. O valor também é aumentado.

Comentários Facebook
Continue lendo

Nova Xavantina

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana