conecte-se conosco


Economia

“Bolsa Família para em setembro” sem crédito suplementar, diz Guedes

Publicado


ministro da Economia, Paulo Guedes
Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Segundo Guedes, R$ 6 bilhões em verbas do crédito suplementar serão destinadas ao Bolsa Família


O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou nesta terça-feira (14) que o Bolsa Família só terá recursos para funcionar até setembro caso o Congresso Nacional não aprove o crédito suplementar de R$ 248 bilhões pedidos pelo governo para este ano.

Leia também: Guedes indica redução do PIB para 1,5% e dispara: “Estamos no fundo do poço”

“Se o Congresso não aprovar, o Bolsa Família para em setembro”, declarou o ministro em discurso em uma audiência na Comissão Mista de Orçamento (CMO).  Guedes
afirmou, ainda, que sem o crédito solicitado, outros programas, como o Benefício de Prestação Continuada (BPC) e o Plano Safra, também ficariam sem verba para funcionar neste ano.

Segundo o ministro, desses R$ 248 bilhões pedidos, R$ 6 bilhões são destinados ao programa de transferência de renda, o Bolsa Família.
A maior parte desse valor, no entanto (R$ 200 bilhões) é dedicada ao pagamento de aposentadorias
.

Leia também: Guedes explica corte de gastos e condiciona reajuste do mínimo às reformas

Apesar do apelo, Guedes disse estar confiante na aprovação do crédito
. “Evidente que isso não vai acontecer, aposto que o Congresso vai aprovar o crédito suplementar”, ressaltou. 

Comentários Facebook
publicidade

Economia

Prazo para sacar abono PIS/Pasep do calendário 2019/2020 termina nesta sexta

Publicado


source

Agência Brasil

abono salarial pis
Reprodução

Abono salarial do PIS é pago pela Caixa, enquanto o Pasep, para servidores públicos, é pago pelo Banco do Brasil

O prazo para o saque do abono salarial 2019/2020 do Programa de Integração Social (PIS) e o Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep) termina nesta sexta-feira (29).

Leia também: Próximas parcelas do auxílio podem ser cortadas? Entenda a reanálise de cadastro

Inicialmente, esse prazo era 30 de junho, mas uma resolução do Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador (Codefat) definiu a nova data e estabeleceu o calendário 2020/2021.

O calendário de pagamento de 2020/2021 tem início em 30 de junho de 2020 e término em 30 de junho de 2021. No caso do abono salarial do PIS , o pagamento é feito pela Caixa Econômica Federal a trabalhadores da iniciativa privada, considerando o mês de nascimento do trabalhador.

O pagamento do abono salarial do Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público ( Pasep ) é feito pelo Banco do Brasil, de acordo com o dígito final do número de inscrição do servidor público.

Os trabalhadores com conta na Caixa, no caso do PIS, ou no Banco do Brasil, para o Pasep, recebem o crédito automaticamente.

Comentários Facebook
Continue lendo

Economia

Bolsonaro minimiza regulação de combate a trabalho análogo ao escravo em live

Publicado


source
Bolsonaro
Reprodução YouTube

Em live, Bolsonaro fez alusão a trabalho escravo

Durante transmissão ao vivo na noite desta quinta-feira (28), o presidente Jair Bolsonaro minimizou as regras de combate a trabalho análogo ao escravo. Citando como exemplo trabalhadores rurais, Bolsonaro defendeu que haja desregulamentações de normas relativas a direitos trabalhistas.

“Vale a pena comentar que lá no setor do Ceará, pessoal cortando folha de carnaúba, (…) o cara chegou lá multou por exemplo R$ 10 mil, R$ 15 mil de multa no cara que era dono da propriedade e tinha um pessoal subindo na palmeira e cortando folha de carnaúba, multou porque não tinha banheiro químico. Foram 12 multas. Com todo respeito, fui criado em fazenda e acho que todo mundo aqui já andou pelo mato. Para você fazer uma necessidade fisiológica ali… Eu sei, tá errado, tá errado, tudo bem. Mas o cara não vai… 50 graus a temperatura, o cara subindo e descendo num coqueiro, o cara ‘cadê um banheiro químico?’, andar 200 metros, entrar naquele forno e fazer xixi ou fazer o sólido lá dentro”, disse Bolsonaro.

No mesmo exemplo citado, Bolsonaro criticou normas de utilização de equipamentos de proteção. “Foi lá também um local de comida, um pauzinho lá, foi feita uma mesa rústica. Não estava de acordo com a norma: outra multa. Ponto eletrônico, ficha de controle de… o uniforme do cara, o cara tinha que ter bota. O cara não vai subir num coqueiro de bota, po. Não vai subir num coqueiro de capacete, não vai, po. Então essas questões todas que a gente busca melhorar, facilitar, para que estimule quem queira dar emprego.”

Antes, Bolsonaro citou o Ministério do Desenvolvimento Regional e disse que houve desregulamentação de normas trabalhistas. “Tinha 3 mil normas ou 4 mil, e passou para 600”, disse.

Privatizações

Na mesma live, Bolsonaro afirmou que defende a privatização de estatais, com destaque para os Correios, mas descartou outras como Caixa e Banco do Brasil. “Se você doasse já seria lucrativo, porque não teria que aportar recurso público”, disse ele sobre a venda de empresas públicas.

Comentários Facebook
Continue lendo

Economia

Caixa e Dataprev divulgam números diferentes de cadastros ao auxílio emergencial

Publicado


source
Caixa
Reprodução Youtube Caixa Econômica Federal

Balanço divulgado pela Caixa nesta quinta-feira (28): números diferem dos da Dataprec

Nesta quinta-feira, tanto a Dataprev (empresa estatal responsável pela análise dos cadastros para distribuição do auxílio emergencial) quanto a Caixa Econômica Federal (que faz o repasse do valor aos cidadãos) divulgaram dados sobre a quantidade de cadastros feitos. No entanto, os números foram diferentes.

Segundo dados divulgados nesta quinta pela Dataprev, 112,5 milhões requerimentos foram feitos no mês de abril e mais de 16,4 milhões de brasileiros ainda estão à espera do resultado da análise do pedido do auxílio emergencial. 

Já a Caixa Econômica Federal declarou que o total de pedidos foi de 106,5 milhões e que há 10,4 milhões aguardando a análise.

A Dataprev afirma que, do total,  59,3 milhões foram aprovados e 36,9 milhões foram considerados inelegíveis. 

Por sua vez, a Caixa diz que 59,9 milhões foram considerados elegíveis e 42,2 milhões foram negados.

Leia mais:  Mais de 120 milhões pediram o auxílio e 16 milhões seguem em análise, diz Dataprev

Auxílio negado

É possível contestar a negativa da Dataprev pelo aplicativo Caixa Auxílio Emergencial. Depois de ter o auxílio negado, o app mostrará uma mensagem indicando o motivo de ter sido barrado. No app, na mesma tela, haverá duas opções – uma para refazer o cadastro e outra para contestar a resposta.

Veja em:  Vice-presidente do Governo da Caixa explica como contestar negativa do auxílio

Comentários Facebook
Continue lendo

Nova Xavantina

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana