conecte-se conosco


Nacional

Deficiente físico é preso dirigindo carro roubado sem habilitação ou adaptações

Publicado

IstoÉ

Carro arrow-options
Divulgação/ PRF

Homem, que não tem uma das pernas, estava em carro sem qualquer tipo de adaptação

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) prendeu um homem sem Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e deficiente físico que estava dirigindo um veículo roubado na BR-452, em Maurilândia, Goiás. As informações são do Portal Uol.

Leia também: Repórter pergunta sobre Fabio e Bolsonaro responde: “está falando da tua mãe?”

De acordo com a PRF , além do carro não ser adaptado para deficiente físico, o homem também transportava uma mulher no banco da frente, que segurava o filho de 6 meses no colo, sem o uso da cadeirinha.

Os agentes que atenderam a ocorrência relataram que o suspeito usava apenas a perna direita para dirigir o carro, movimentando os três pedais.

Durante a abordagem de rotina, os policiais comprovaram sinais de adulteração no chassi e, em seguida, confirmaram que o veículo havia sido roubado em Brasília no ano passado.

Ainda segundo o Uol, o condutor irregular foi detido por receptação e conduzido à Polícia Civil na cidade de Rio Verde. A mãe e a criança foram liberadas após a chegada de um veículo sem irregularidades e com a cadeirinha.

Leia também: Idosa tem braço cortado ao retirar gesso em hospital do Rio: “chorava de dor”

Comentários Facebook
publicidade

Nacional

​Plano de saúde coletivo não pode ser cancelado durante tratamento

Publicado


source

Agência Brasil

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) definiu que as operadoras de plano de saúde coletivo não podem romper o contrato de prestação dos serviços durante o tratamento médico. Pela decisão, a cobertura deve valer enquanto os beneficiários estiverem internados ou em tratamento e só pode terminar após a alta médica.

Leia também: Marcado pelo turismo, carnaval deve movimentar R$ 8 bilhões

Hospital Tibe Setúbal arrow-options
Reprodução/Facebook

Hospital Tibe Setúbal, na zona leste de São Paulo



Leia também: Dólar do cartão será do dia da compra a partir de março, define BC

O caso julgado pelo STJ envolveu uma operadora de plano de saúde que cancelou unilateralmente o plano coletivo de 203 funcionários de uma transportadora, que recorreu à Justiça para manter a continuidade da cobertura.

Apesar de garantir a cobertura para quem está em tratamento, a Terceira Turma do tribunal entendeu que as operadoras podem cancelar o contrato por conta própria, no entanto, além de manter o tratamento , devem cumprir a vigência de 12 meses e notificar os trabalhadores com antecedência mínima de 60 dias. O julgamento ocorreu em outubro do ano passado, mas o acórdão, que é a decisão final, foi divulgada nesta semana pelo STJ.

Leia também: IR 2020: não curte Carnaval? Feriadão pode ser usado para separar os documentos 

Durante o julgamento, prevaleceu o voto do relator, ministro Marco Aurélio Bellizze. Para o ministro, embora a Lei dos Planos de Saúde (Lei 9.656/1998) proíba a suspensão ou rescisão somente de planos individuais, o direito à saúde beneficiário se sobrepõem a cláusulas contratuais também nos contratos coletivos.

“Entretanto, não obstante seja possível a resilição unilateral e imotivada do contrato de plano de saúde coletivo, deve ser resguardado o direito daqueles beneficiários que estejam internados ou em pleno tratamento médico, observando-se, assim, os princípios da boa-fé, da segurança jurídica e da dignidade da pessoa humana”, definiu o acórdão.

Judicialização da saúde

Segundo o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), a judicialização na saúde cresceu aproximadamente 130% nas demandas de primeira instância da Justiça entre 2008 e 2017. Problemas com os convênios foram a maior causa (30,3%) dos pedidos de processos relacionados ao assunto no país.

Comentários Facebook
Continue lendo

Nacional

Folião é esfaqueado no Bloco Domingo Ela Não Vai

Publicado


source

Nesta segunda-feira (24), um folião de 39 anos foi esfaqueado após uma tentativa de assalto durante o desfile do Bloco Domingo Ela Não Vai, que aconteceu na região Central de São Paulo. 

Leia também: Carnaval cancelado? Blocos desistem de desfilar em diversas capitais

Público do Bloco Domingo Ela Não Vai em 2020 arrow-options
Reprodução Instagram

Público do Bloco Domingo Ela Não Vai em 2020


Leia também: Pabllo Vittar surge “bem bandida” para o Carnaval em Salvador

Segundo informações da Polícia Militar, o ataque ao folião aconteceu por volta de 14h50, quando o bloco Domingo Ela Não Vai passava pela Avenisa São Luis, na Santa Cecília.

Leia também: Carnaval de camarotes tem shows exclusivos, ídolos sertanejos e muito romance

O folião  foi encaminhado para o Hospital Central da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, onde foi atendido e recebeu alta. De acordo com o depoimento do mesmo para a Polícia Militar , dois homens e uma mulher trans tentaram assaltá-lo. Ele reagiu e foi ferido no braço por uma faca artesanal. Até o momento ninguém foi preso.

Comentários Facebook
Continue lendo

Nacional

Mar invade a praia e arrasta banhistas durante ressaca no Guarujá

Publicado


source
Ressaca no Guarujá arrow-options
Reprodução

Banhistas tentam salvar seus pertences durante ressaca no Guarujá (SP)

Uma pessoa filmou o momento em que banhistas foram arrastados pelo mar durante ressaca no Guarujá (SP), na tarde do último domingo (23). A água subiu com força, invadindo a área das pessoas que tomavam sol na na extensão da praia.

LEIA MAIS: Carro de família é alvo de tiros no RJ; adolescente foi atingido na cabeça

Ressaca no Guarujá arrow-options
Reprodução/Twitter

Ressaca no Guarujá

Outra usuária publicou a foto das pessoas no calçadão após o ocorrido em seu perfil no Twitter. De acordo com ela, não era possível permanecer na praia. Outros relatos apontam que o mar estava muito agitado e apenas uma fresta da areia não foi atingida. As pessoas se amontoaram na parte seca.

Comentários Facebook
Continue lendo

Nova Xavantina

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana