conecte-se conosco


Política MT

Deputado Claudinei reconhece a importância do inquérito policial eletrônico nas delegacias de polícia de MT

Publicado


.

Delegado Claudinei parabeniza envolvidos com a implantação do inquérito policial eletrônico

Foto: JLSIQUEIRA / ALMT

O deputado estadual e presidente da Comissão de Segurança Pública e Comunitária da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), Delegado Claudinei (PSL), em sessão ordinária nesta quarta-feira (23), parabenizou todos os envolvidos na conclusão da implantação do inquérito policial eletrônico nas delegacias da Polícia Judiciária Civil de Mato Grosso (PJC), que vai garantir uma economia de cerca de R$ 2 milhões ao ano para o governo estadual.

“Quero parabenizar o governo de Mato Grosso, a Sesp (Secretaria de Estado de Segurança Pública), a direção da PJC – em nome do delegado-geral Mário Dermeval – por essa tecnologia que foi 100% e efetivamente implantada, que faz com que Mato Grosso seja o primeiro estado do Brasil a ter concluído a inserção do sistema em todas as delegacias espalhadas pelo estado”, explana o parlamentar. 

Claudinei assinala que o governo estadual vai ter uma importante economia com o inquérito policial eletrônico, que vai evitar a geração de impressões de papéis, deslocamento de viaturas com gasto com combustível e melhorias no espaço físico. Os servidores não vão precisar levar e buscar processos da delegacia para o Fórum – o que vai otimizar o trabalho para outras prioridades. 

Sistema – Nesta presente data, o delegado titular da Delegacia de Polícia de Poxoréu (MT), Rafael Fossari, protocolou o seu primeiro procedimento com os sistemas integrados do Geia – já utilizado pela Polícia Civil desde 2012 – e o Processo Judicial Eletrônico (PJe) do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJ-MT).  

“Hoje, foi o primeiro procedimento que protocolei. Tínhamos dois sistemas separados que era da Polícia Civil e o outro do tribunal do Poder Judiciário. Um não conversava com o outro. Então, nós tínhamos que fazer um procedimento no nosso sistema, escaneá-lo para poder incluir no sistema judiciário. Era bom, era. Mas não era o ideal, porque acabava gerando mais trabalho. Agora, os dois sistemas conversam. Você faz o inquérito eletrônico, clica no botão e manda direto para o judiciário”, explica o delegado.

Rafael considera que essa inovação vai dar maior agilidade e confiança no trabalho da Polícia Civil. “Tudo fica documentado no sistema. Além da facilidade, gera a confiabilidade no sistema. Você consegue saber o dia e a hora que foi para o Fórum. Acho que isso foi uma revolução. Não é um sistema complexo, a gente consegue operar com facilidade. Agora é tudo no sistema. Em apenas cinco minutos, você consegue ter acesso”, pontua.  

Desde o ano passado, a PJC trabalha com a implantação deste sistema tecnológico moderno. O inquérito policial eletrônico envolve o uso de leitores biométricos, assinaturas digitais, discos de armazenamentos, entre outros equipamentos. Todo este processo também contou com atuação do Ministério Público e do Tribunal de Justiça de Mato Grosso. 

Fonte: ALMT

Comentários Facebook
publicidade

Política MT

CCJR analisou 35 projetos em reunião ordinária

Publicado


Foto: ANGELO VARELA / ALMT

A Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR) analisou 35 matérias em reunião ordinária na manhã desta terça-feira (20). Entre elas, estavam oito projetos de lei prioritários, que devem ser votados em plenário ainda hoje.

Um exemplo é o PL nº 851/2020, que aprova quatro convênios ICMS celebrados pelo Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz). Também na pauta prioritária estava o PL nº 196/2020, que dispõe sobre a criação, o manejo e exposição de aves da Raça Mura (galo de combate). Completam a lista os PLs nº 892/2020, 771/2020, 839/2020, 852/2020, PLC nº 53/2020 e PL nº 303/2015, lido em redação final. Todos receberam parecer favorável da comissão.

A CCJR ainda deu parecer pela admissibilidade do requerimento de dispensa de 1ª e 2ª pauta do PL nº 776/2020 e discutiu outras 26 matérias, incluindo oito vetos. Seis deles receberam parecer pela derrubada, como o Veto Parcial nº 71/2020, que pretende retirar do texto do PL nº 429/2020 o trecho que impede lojas de cobrarem multas e juros de clientes que não tiveram acesso às faturas.  

Também recebeu parecer pela derrubada o Veto Total nº 69/2020, que dispõe sobre campanha publicitária para orientar a respeito do abuso sexual infantil durante a pandemia da Covid-19.

Dos demais projetos de lei votados na reunião, 14 receberam parecer favorável e quatro foram rejeitados pelos deputados. De autoria do deputado Eduardo Botelho (DEM), o PL nº 545/2020, que assegura as visitas virtuais para pacientes internados em decorrência do novo coronavírus, sempre que o quadro de saúde permitir.

No fim da reunião, o deputado Lúdio Cabral (PT) ainda cobrou a discussão em plenário e na comissão do PLC nº 36/2020, que tem como objetivo isentar aposentados e pensionistas do estado da contribuição previdenciária quando o benefício não exceder o teto do INSS. Também participaram do encontro o deputado Dilmar Dal Bosco (DEM), presidente da CCJR, Silvio Fávero (PSL) e Sebastião Rezende (PSC).

Fonte: ALMT

Comentários Facebook
Continue lendo

Política MT

Botelho propõe moção de aplausos para médicos que atuam no combate à Covid

Publicado


Foto: FABLICIO RODRIGUES / ALMT

A importância da valorização da classe médica foi reconhecida através da aprovação de Moção de Aplausos, na Assembleia Legislativa, numa iniciativa do presidente da ALMT, deputado Eduardo Botelho (DEM), na terça-feira (20), para lembrar o Dia do Médico, comemorado em 18 de outubro. 

A homenagem é uma forma de reconhecer o árduo trabalho desempenhado pelos médicos, especialmente, aos que atuam em Mato Grosso na linha de frente ao combate da Covid-19, doença que já fez mais de 3,7 mil vítimas no estado.

Em plenário, Botelho destacou a homenagem lembrando o grande desafio de enfrentamento à pandemia e pediu aos colegas a aprovação de Moção de Aplausos pelos esforços realizados neste ano tão desafiante para todos. 

“Desde o início da pandemia, médicos e demais profissionais da saúde têm sido exemplos de coragem, resiliência e amor ao próximo, enfrentando a doença sobre a qual se sabe tão pouco. Esta homenagem é para os incansáveis doutores que tem por missão salvar vidas. Deixo aqui também registrada minha homenagem especial às famílias dos médicos que morreram em decorrência do coronavírus”, afirmou.

Fonte: ALMT

Comentários Facebook
Continue lendo

Política MT

“Pandemia não acabou e fechamento de leitos de covid é decisão equivocada”, diz Lúdio

Publicado


Foto: ANGELO VARELA / ALMT

O deputado estadual e médico sanitarista Lúdio Cabral (PT) criticou a decisão do governo de Mato Grosso de fechar leitos de covid-19 no Hospital Regional de Rondonópolis, nessa segunda-feira (19). Lúdio afirmou que a região Sul de Mato Grosso ainda necessita desse atendimento, pois os leitos reservados para a pandemia continuam totalmente ocupados com pacientes de covid.

“Essa decisão do governador é absurda. A pandemia da covid-19 não acabou ainda. Esses leitos estão funcionando com ocupação plena, atendendo toda a população da região Sul. São 800 mil habitantes que têm um único hospital público estadual, que é o Hospital Regional de Rondonópolis, como referência no atendimento à covid. Essa decisão é equivocada e incorreta. Esses leitos têm que continuar totalmente ativos enquanto houver demanda por tratamento para covid na região Sul de Mato Grosso”, afirmou Lúdio.

Membro da Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa, Lúdio informou que vai propor aos outros deputados da comissão a convocação do secretário de Saúde de Mato Grosso, Gilberto Figueiredo, para esclarecer e debater os encaminhamentos relacionados aos leitos de covid no estado, em conjunto com o Conselho de Secretarias Municipais de Saúde de Mato Grosso (Cosems) e da região.

A proposta de Lúdio é que todos os leitos de enfermaria e de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) abertos na pandemia continuem ativos para tratamento da covid-19 enquanto houver demanda de pacientes. E que mesmo depois que a pandemia acabar, os leitos continuem ativos, porém, passem a atender as outras demandas do Sistema Único de Saúde (SUS).

“Quando a demanda por atendimento à covid cair, em função da evolução da epidemia, esses leitos gradativamente têm que ser substituídos para atender a demanda geral. Até porque antes da pandemia tínhamos 300 mil pessoas na fila aguardando algum procedimento no SUS em Mato Grosso: consulta especializada, exame especializado, internação, cirurgia. Portanto essa estrutura que foi ampliada em decorrência da pandemia precisa ser mantida e continuar funcionando”, afirmou Lúdio. 

Fonte: ALMT

Comentários Facebook
Continue lendo

Nova Xavantina

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana