conecte-se conosco


Saúde

Enfermeira descobre tumor no cérebro ao ler poster colado na parede do hospital

Publicado


E enfermeira norte-americana Chantal Smits descobriu um tumor cerebral após ler um poster no hospital onde trabalha
Reprodução

E enfermeira norte-americana Chantal Smits descobriu um tumor cerebral após ler um poster no hospital onde trabalha

Uma enfermeira britânica especializada na área de oncologia cerebral descobriu ter um tumor no cérebro ao ler um poster no hospital em que trabalha. Chantal Smits, de 22 anos, dá plantão no St George’s Hospital, em Londres e foi em um poster colado nas paredes do hospital que ela reconheceu uma lista de sintomas muito familiar.

Leia também: Médica antissemita é demitida após dizer que trocaria remédios de judeus

O material era para conscientizar sobre os sinais de tumor cerebral em crianças e jovens, e chamou a atenção da enfermeira
. “Dores de cabeça, fadiga constante, perda parcial da visão. Eu tenho tudo isso”, pensou Smits, que resolveu procurar um médico após a descoberta.

Os sintomas da jovem, no entanto, começaram anos antes, em 2014, quando ela ainda estava no primeiro ano da faculdade de enfermagem. O quadro se agravou, as dores de cabeça ficaram cada vez mais constantes. “Quando comecei a trabalhar, costumava dormir assim que meu turno acaba, e estava perpatuamente cansada, mas achei que era culpa da carga de trabalho e estudos”, contou a enfermeira para o canal de televisão Fox News.

A profissional de saúde seguiu ignorando os sintomas
do tumor por anos, fazendo uso apenas de remédios contra dor. “Um dia indo para o trabalho, eu senti um formigamento estranho no rosto, mas eu não contei para ninguém. Eu simplesmente não conseguiu me comparar com aqueles pacientes que eu via todos os dias”, relatou Smits.

Leia também: Nova epidemia de ebola atinge a República Democrática do Congo

Após ler o poster, a jovem finalmente resolveu parar de ignorar o problema e foi a um médico, que recomendou exames de imagem. “Quando o exame chegou nas minhas mãos, eu já estava convencida que não era nada e que tudo ficaria bem. Depois que abri o resultado, no entanto, vi que não estava nada bem”, relembra a enfermeira, que foi diagnosticada com um tumor
inoperável no tronco cerebral.

“Minha primeira reação foi chorar muito. Eu vejo o pior que a doença pode fazer todos os dias no meu trabalho e fiquei com medo de sofrer como alguns dos nossos pacientes. Na época eu não sabia muita coisa sobre este tipo de tumor”, explicou.

O tipo de cisto alojado de cérebro de Chantal Smits é incurável e inoperável, portanto, não é possível saber se ele é cancerigeno ou não. Para controlar o tumor, a jovem faz exames de imagens de três em três meses. “A má notícia é que eu não posso fazer um biópsia, mas a boa notícia é que o meu tumor não está crescendo”, relatou a jovem.

Apesar do susto, Smits segue levando uma vida normal após a descoberta do tumor e continua trabalhando com pacientes oncológicos. “Eu nasci para ser enfermeira 
e o fato de eu sofrer da mesma condição de muitos dos meus pacientes só me faz ser melhor no meu trabalho”, finalizou a jovem.

Comentários Facebook
publicidade

Saúde

Agosto Dourado – ‘Leite materno é alimento de ouro nos primeiros seis meses de vida’, afirma pediatra

Publicado

Agosto é o mês do aleitamento materno, dedicado à proteção, promoção e apoio à amamentação, também chamado de Agosto Dourado, que ganhou este nome, de acordo com a pediatra e patologista Natasha Slhessarenko, credenciada ao Mato Grosso Saúde pela Clínica Vida, por ser o leite materno o alimento de ouro para os bebês nos primeiros 6 meses de vida.

“No leite materno encontram-se todos os elementos necessários para bem nutrir os nossos bebês, não precisando dar nem água nestes primeiros seis meses. Ele também funciona como importante complemento alimentar até os dois anos”, ressalta a médica.

A pediatra explica que a quantidade e a qualidade das proteínas, carboidratos e gorduras presentes no leite materno são adequadas e garantem o crescimento e desenvolvimento saudáveis das crianças.

“Após os 6 meses de vida é importante que se introduzam alimentos complementares, de maneira gradual, sempre orientado pelo pediatra, garantindo a manutenção da boa nutrição”, orienta a especialista.

No leite materno também encontram-se anticorpos contra todas as doenças que a mãe já teve e também das vacinas que tomou. Estes anticorpos protegem as crianças destas doenças.

Recentemente trabalhos científicos demonstraram a presença de anticorpos contra a Covid-19 no leite de mães que tomaram a vacina Coronavac. A pediatra lembra ainda que amamentar assegura um crescimento saudável e reduz em 33% os riscos de doenças crônicas na idade adulta, incluindo obesidade, diabetes e pressão alta.

“O aleitamento materno é capaz de evitar a morte anual de mais de 1 milhão de crianças menores de cinco anos”, alerta Natasha Slhessarenko, que representa Mato Grosso no Conselho Federal de Medicina (CFM).

Comentários Facebook
Continue lendo

Saúde

Confira quantas doses de vacina contra Covid-19 cada município recebeu

Publicado

A SES distribuiu 113.250 mil doses a 14 polos regionais de saúde; os imunizantes foram recebidos em Mato Grosso 1° de abril

O Governo de Mato Grosso, por meio da Secretaria Estadual de Saúde, concluiu nesta segunda-feira (06.04) a distribuição aos polos regionais de saúde das 113.250 mil doses de vacina contra Covid-19. A quantidade de doses que cada município recebeu foi pactuada pela Resolução n°21 da Comissão Intergestores Bipartite de Mato Grosso (CIB-MT) (veja documento em anexo).

A CIB é composta por membros do Conselho das Secretarias Municipais de Saúde (Cosems) e da Secretaria Estadual de Saúde (SES-MT).

Conforme orientação do Ministério da Saúde, as unidades desta remessa devem ser utilizadas como primeira aplicação e/ ou segunda aplicação aos idosos entre 65 e 79 e trabalhadores da saúde. A distribuição das 896 doses à Força de Segurança, Salvamento e Forças Armadas deve ser pactuada nos próximos dias.

Os municípios deverão acompanhar os imunizados com a primeira dose para que esses possam receber prioritariamente a segunda dose dentro do período estipulado. Para a vacina CoronaVac, o prazo para a aplicação da segunda dose varia entre 14 e 28 dias; já o prazo da aplicação da segunda dose da AstraZeneca é de até 84 dias.

A Resolução nº 21 também pactua a distribuição de 390 doses remanescentes de Coronavac, que foram recebidas em remessas anteriores e mantidas como estoque estratégico.

Caso os municípios alcancem a completa vacinação dos públicos-alvo estabelecidos para a imunização, a CIB orienta a continuidade da imunização dos demais públicos elencados pelo Ministério da Saúde.

Após a distribuição dos imunizantes aos municípios, as vacinas deverão ser armazenadas conforme as condições estabelecidas pela fabricante e Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e com o apoio da segurança pública.

A aplicação das doses deve ser obrigatoriamente registrada pelos municípios no Sistema Nacional do Programa de Imunização (SI-PNI), do Ministério da Saúde.

Até o momento, Mato Grosso já recebeu 561.210 doses de imunizantes contra a Covid-19.

Resolução CIB N° 21 – Distribuição de vacinas contra a Covid-19

Comentários Facebook
Continue lendo

Nova Xavantina

COVID-19 em Nova Xavantina – a situação é preocupante

Publicado

Nova Xavantina, infelizmente, despontou no ranking de contaminação pelo novo coronavírus, sendo a primeira cidade no estado de Mato Grosso incluída na zona de alto risco. De lá para cá a situação piorou e o número de contaminados não para de crescer.

A situação forçou o poder público a impor medidas de segurança, inclusive, decretando a proibição de venda de bebidas alcóolicas no período do dia 22 a 28 de fevereiro. Infelizmente parte da população não entendeu a gravidade do problema, e, segundo uma gari do Munícipio, naquela semana de lei seca, nunca se recolheu tantas latinhas e garrafas de bebidas nos lixos domésticos. “Chegamos a falar com o prefeito sobre o problema. O povo não parou de beber. Nunca se recolheu tantas latinhas e garrafas de bebidas como foi recolhido nessa semana, sem dúvida, o número triplicou.” Disse a gari que prefere não ter o nome divulgado.

No dia 28 de fevereiro o boletim emitido pela Prefeitura Municipal trazia a notícia de 1.604 pessoas contaminadas e 9 pessoas internadas. Registrava, ainda, o triste número de 21 pessoas mortas pelo COVID-19, número que pulou para 22 no dia seguinte.

Nos dias seguintes os casos continuaram a crescer, sendo que no dia 01 foram registrados 11 casos novos e no dia 03 o boletim trouxe 51 novos casos de coronavírus em Nova xavantina. No dia 4 foram 45 casos confirmados e no dia 6 o boletim trouxe outros 39 casos.  Hoje, 08 de março, chegamos a triste marca de 1.765 casos confirmados, com 18 pessoas internadas sendo que destas 3 estão em UTI.

Foi publicado na manhã desta segunda-feira um áudio no mínimo assustador, com a seguinte mensagem: “pessoal, se cuidem pois hoje estamos com 15 pessoas internadas no Hospital Municipal, sendo que uma delas, uma senhora, não está bem e o estado está se agravando e não tem vaga em UTI em Mato Grosso, ela é a 43ª da lista de espera”. Isso quer dizer que qualquer pessoa que precisar de uma vaga em UTI hoje terá que esperar outros 44 pacientes desocupar a vaga, se curando ou morrendo.

Chegamos ao colapso e a situação poderá se complicar muito mais. Se cuide, sabe-se que não tem como viver sem o trabalho, mas, tome os cuidados necessários e se proteja. Se você não está preocupado com você mesmo, se preocupe com o próximo, em especial com o seus entes queridos e amigos. Cuide de você que você estará cuidando de mim.

A boa notícia é que dos 1.765 contaminados, 1.496 se curaram, porém, 229 ainda estão em tratamento e outros 30 estão sendo investigados como casos suspeitos.

Comentários Facebook
Continue lendo

Nova Xavantina

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana