conecte-se conosco


Nova Xavantina

João Bang é o primeiro a ter candidatura aprovada pela Justiça Eleitoral

Publicado

Dos três candidatos à prefeitura de Nova Xavantina, João Bang (PSB), foi o primeiro a ter a candidatura deferida (apta) pelo Tribunal Regional Eleitoral.

Dos três concorrentes à Prefeitura de Nova Xavantina a candidatura de João Bang do partido PSB, foi a primeira a ser deferida, segundo os registros da Justiça eleitoral referentes às eleições de 15 de novembro. As restantes aguardam o resultado do julgamento, que passa pela análise dos dados apresentados, inclusive eventuais pedidos de impugnação.
João Bang tem como candidato a vice-prefeito o agropecuárista Pedro Neto.

Deferimento

No TRE-MT, após ser apreciado o processo, o registro do candidato pode ser considerado “apto” ou “inapto”. Caso o candidato preencha todas as condições de elegibilidade, isto é, não tenha nenhuma contestação e o pedido tenha sido acatado, a situação que aparecerá no sistema será “apto” e “deferido”.

Outro caso é quando o candidato aparece como apto, mas houve impugnações e a decisão é no sentido de negar o registro. Nesse caso, a situação será “apto”, e o complemento será “indeferido com recurso”. Existe ainda o caso do candidato que apresentou o registro, e as condições de elegibilidade avaliadas foram deferidas pelo juiz; contudo, o Ministério Público Eleitoral (MPE) ou o partido recorreu da decisão. Nessa hipótese, a condição será “apto” e “deferido com recurso”.

Na situação de registro julgado como apto, ainda existem as possibilidades de “cassado com recurso” ou “cancelado com recurso”. Isso ocorre quando o candidato teve o registro cassado ou cancelado pelo partido ou por decisão judicial, porém apresentou recurso e aguarda uma nova decisão.

Comentários Facebook
publicidade

Nova Xavantina

Justiça Eleitoral defere o pedido de candidatura de Vanusa Pazetto

Publicado

A Justiça Eleitoral de Nova xavantina publicou sentença deferindo o pedido de registro da candidata a prefeita de Nova Xavantina Vanuza Pazetto. O pedido havia sido impugnado pelo Ministério Público Eleitoral com a alegação de que Vanusa omitiu bens em sua declaração.

O Ministério Público Eleitoral entrou com pedido de impugnação do registro de impugnação da candidatura de Vanusa Pazetto com a alegação de que a mesma omitiu bens em sua declaração juntada com o pedido, quando declarou possuir registrado em seu nome apenas um patrimônio de 100 mil reais referente a uma empresa registrada em seu nome. O representante do Ministério Público entendeu que a candidata deveria ter declarado todos os bens que estão registrados em nome de sua empresa e em nome de seu marido Robison Pazetto.

O Juiz Eleitoral, na sentença, disse que “o Ministério Público Eleitoral não apresentou de forma analítica quais bens entendeu terem sido omitidos da declaração de bens da candidata, limitando-se a peticionar de forma genérica que “ao examinar o sistema INFOSEG foi possível verificar algumas inconsistências, pois  referida empresa possui outras duas filias, além de vários veículos, tanto em seu nome, quanto no de seu marido, Robison Aparecido Pazetto, além de imóveis, conforme anexo”

Na fundamentação o Juiz diz ainda que a  candidata Vanusa juntou os documentos  os quais demonstram não ser proprietária dos bens mencionados pelo Ministério Publico, e ainda, que o Ministério Público juntou documentos que não se referem ao processo. Em pesquisa publica no processo, percebe-se que o Ministério Público juntou no pedido de impugnação a declaração de bens do candidato Jordão de Novo São Joaquim; do candidato Jander de Campinápolis e de uma candidata a vereadora de Nova Xavantina.

Diante de todo o exposto, julgo IMPROCEDENTE a impugnação apresentada pelo Ministério Público Eleitoral e, por conseguinte, DEFIRO o pedido de registro de candidatura de VANUSA CELESTINO NASCIMENTO PAZETTO, para concorrer ao cargo de Prefeito, sob o número 25, com a seguinte opção de nome:  VANUSA PAZETTO.(PROCESSO 0600137-39.2020.6.11.0026)

 No processo foi deferida, ainda, a candidatura do pastor Divino Elias, candidato a vice prefeito na chapa de Vanusa.

Comentários Facebook
Continue lendo

Nova Xavantina

Vanusa Pazetto, candidata a prefeita de Nova Xavantina sofre preconceito

Publicado

O preconceito foi praticado pelo Ministério Público Eleitoral e pelo atual prefeito de Nova Xavantina João Cebola.

O Ministério Público Eleitoral, em suas alegações para que um processo de impugnação não fosse arquivado, fez uma declaração preconceituosa contra Vanusa, quando disse que quem governará, de fato, o Município caso vença as eleições é o marido Robison Pazetto. A matéria foi publicada aqui no portal de notícias O Roncador, no dia 13/10/2020, com o título “Vanusa Pazetto na mira do Ministério Público Estadual”. (CONFIRA).

O Ministério Público Eleitoral põe sob suspeita, ainda, as carteiras de habilitações (CNH) expedidas no estado de Mato Grosso e outros estados, quando diz que “infelizmente, nos Estados de Goiás, Tocantins, Pará e Mato Grosso, além de outros há inúmeros casos de fraudes nos processos de candidatos à habilitação para dirigir veículos, nem sempre detectados.”

Entretanto, nesse caso também o Ministério Público e a sociedade que representa tem interesse, notadamente porque pretende assumir um cargo de relevo, cuja leitura, interpretação e redação serão testadas a todo momento, sob pena de a candidata se apresentar apenas como “laranja” de seu principal apoiador e marido Robison Aparecido Pazetto, vulgo “Pezão”, ex-Prefeito desse Município, que governará de fato, conforme reportagem anexa”. (Confira a manifestação do MPE, clicando AQUI

Vanusa Pazetto também foi vítima de ataque de preconceito em um vídeo publicado pelo senhor prefeito João Cebola na página pessoal do candidato João Bang, onde o mesmo disse que Vanusa é a “testa de ferro” do marido Robison. O vídeo foi produzido para pedir votos para o candidato João Bang. O vídeo causou muita indignação entre as mulheres que preparam uma manifestação contra o preconceito contra as mulheres na política.

O preconceito contra as mulheres é uma peste antiga no Brasil, que, apenas a 98 autorizou o voto da mulher e, até hoje, não existe uma campanha para que as mulheres ingressem na política, em que pese serem maioria no eleitorado brasileiro. até agosto de 2020 as mulheres representavam 52% do eleitorado brasileiro, mesmo assim, são minoria nos cargos eletivos.

Vanusa publicou um vídeo em sua página pessoal no Facebook dizendo que “É uma vergonha ouvir de um prefeito que uma mulher é “testa de ferro” do seu marido. Isso é preconceituoso e opressor”. 

É uma vergonha ouvir de um prefeito que uma mulher é "testa de ferro" do seu marido. Isso é preconceituoso e opressor 2️⃣5️⃣✌️ #diganaoaopreconceito #diganaoaopressao #mulhernapolitica #mulherecapaz #forçafeminina Amo a Vida ❤️

Posted by Vanusa Pazetto on Monday, October 19, 2020

 

Comentários Facebook
Continue lendo

Nova Xavantina

Josefa Maria é a primeira candidata a vereadora de Nova Xavantina com registro indeferido

Publicado

A Justiça Eleitoral de Nova Xavantina indeferiu o pedido de registro da candidatura de Josefa Maria, do PL, com a fundamentação de que a mesma não comprovou ser alfabetizada. Outros pedidos aguardam julgamento.

Ainda consta no site do Tribunal Superior Eleitoral outros processos com pedidos de registro de candidaturas que aguardam julgamentos. Veja a situação de cada um.

  • Alfredo do Tonetto, do PDT, teve o pedido de registro impugnado com base na certidão que constava que o candidato respondeu a processo criminal por ameaça, no entanto, consta na certidão que Alfredo foi absolvido por sentença e o Ministério Público Eleitoral emitiu parecer favorável ao registro.
  • Carlinhos Rezende, do PODE, também teve o pedido de registro impugnado pela falta de comprovação de escolaridade e após a comprovação o Ministério Público deu parecer favorável ao registro.
  • Doutor Jessé Candine, do PDT, teve o pedido impugnado com a alegação de que o mesmo não renunciou ao cargo de Presidente da OAB de Nova Xavantina 4 meses antes da eleição.
  • Evangelista Lincon, do PODE, também teve o pedido de registro impugnado pela falta de comprovação de escolaridade e após a comprovação o Ministério Público deu parecer favorável ao registro.
  • Fabiana Braun, do PDT, ja teve o pedido de registro deferido, no entanto, no site do TSE consta que ainda aguarda julgamento.
  • João Divino, do PODE, também teve o pedido de registro impugnado pela falta de comprovação de escolaridade e após a comprovação o Ministério Público deu parecer favorável ao registro.
  • Laisla Barbosa, do PODE, também teve o pedido de registro impugnado pela falta de comprovação de escolaridade e após a comprovação o Ministério Público deu parecer favorável ao registro.
  • Lair da Rosa, do PDT, teve o pedido de registro impugnado pela falta de certidão, no entanto, já juntou no processo a certidão e aguarda o parecer do Ministério Público Eleitoral.
  • Ney Weliton, do MDB, já apresentou todas as certidões e o Ministério Público deu parecer favorável ao registro de sua candidatura.
  • Roberto do Turismo, do PSL, teve o registro impugnado com a alegação de que o mesmo é inelegível. O processo está na fase de julgamento.
  • Ronalço Camargo, do PSB, teve o pedido de registro impugnado com a alegação de que o mesmo não estava filiado em nenhum partido, no entanto a situação já foi sanda e o Ministéro Público emitiu parece favorável.
  • Rosilaine, do PODE, também teve o pedido de registro impugnado pela falta de comprovação de escolaridade e após a comprovação o Ministério Público deu parecer favorável ao registro.

 

 

Comentários Facebook
Continue lendo

Nova Xavantina

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana