conecte-se conosco


Policial

Mãe diz à polícia que ateou fogo e matou bebê recém-nascido por ‘vergonha’ de ter a gravidez descoberta: ‘Minha mãe morreria’

Publicado

A mulher de 24 anos que foi presa suspeita de atear fogo e matar o filho recém-nascido em Anápolis, a 55 km de Goiânia, afirmou em depoimento que cometeu o crime porque estava com muita vergonha de ter a gravidez descoberta. Ao delegado Wllisses Valentim, ela contou que ninguém podia saber da gestação.

“Segundo ela, a mãe é muito doente e até morreria se soubesse que ela estava grávida. Ela estava com muita vergonha de ter sido descoberta, não queria o bebê e queria se desfazer dele”, contou o delegado.

O crime foi descoberto na última quarta-feira (12), após um pedestre ver um cachorro arrastar o corpo carbonizado por uma rua do Bairro Cerejeiras. Câmeras de segurança flagraram o momento em que a mulher desce do carro com o filho em uma caixa de papelão e entra no lote baldio. Em seguida, ela pega um galão com álcool para atear fogo ao corpo do neném (veja o vídeo).

Durante o interrogatório na sede do Grupo de Investigações de Homicídios (GIH), a mãe do bebê revelou que o pai dela mora no exterior e que sua mãe vive acamada. Por isso, não receberia bem a notícia da gestação. O delegado ainda não levantou quais os problemas de saúde que a avó do bebê supostamente possui.

Em depoimento, o namorado da jovem contou que, ao saber da gravidez, eles decidiram realizar um aborto e que ela mentiu que havia dado certo. Wllisses informou que vai investigar se o rapaz tem envolvimento no crime. Ele não chegou a ser detido.

O delegado completa que a jovem diz ter escondido a gestação com cintas para pressionar a barriga e que chorou durante o interrogatório, mas estava convicta em sua decisão em não ter o filho. “Ela estava muito certa do que queria”, afirma o delegado.

Trecho do interrogatório da mulher revelado pelo delegado ao G1 indica que o bebê, que teria nascido há cerca de uma semana, poderia estar vivo antes de a mãe atear fogo ao corpo dele. “Segundo ela, ele estava com corpo quente quando o colocou na caixa de papelão”, explica Wllisses.

A comprovação só poderá ser feita após o laudo cadavérico feito pelo Instituto Médico Legal (IML), que deve ficar pronto em até 15 dias.

De acordo com a Polícia Civil, a localização da mãe foi feita de forma rápida, entre outros fatores, porque o menino ainda estava com a pulseira usada em hospitais para identificar crianças. A mulher permanece presa na sede do GIH nesta quinta-feira (13) e foi autuada pelo crime de ocultação de cadáver.

Comentários Facebook
publicidade

Policial

Duas pessoas são presas suspeitas de ajudar Lázaro Barbosa a fugir

Publicado

O secretário de Segurança Pública de Goiás, Rodney Miranda, disse nesta quinta-feira (24/6) que duas pessoas foram presas suspeitas de ajudar Lázaro Barbosa, 32 anos, a fugir da força-tarefa. Os nomes e as circunstâncias das prisões não foram detalhados.

As duas pessoas estão sendo autuadas em Girassol (GO) e serão levadas para Águas Lindas de Goiás. Uma delas, segundo Miranda, estaria com uma das armas que Lázaro roubou, com 50 munições, na região de Cocalzinho (GO).

“Trata-se de uma rede de psicopatas ajudando ele”, afirmou Rodney Miranda. De acordo com o secretário, só psicopatas poderiam ajudar Lázaro, que tem uma extensa ficha criminal. Para o titular da Segurança Pública de Goiás, somente essa ajuda poderia justificar o fato de o criminoso não ser preso até agora.

“Sabíamos que não era normal ele conseguir fugir por tanto tempo sem ajuda, sem uma rede ajudando ele”, completou. Miranda destacou que os envolvidos estão sendo ouvidos e ainda não foi definido se serão autuados por serem cúmplices de Lázaro ou coautores dos crimes que ele cometeu.

“Quem facilita vida de foragido comete crime. Desconfiamos que tem outras pessoas ajudando e vamos chegar nelas. Vamos chegar a essa rede criminosa que apoia o Lázaro”, garantiu o secretário.

Não há confirmação se as pessoas presas teriam, também, participado da chacina da família Vidal, no Incra 9, em Ceilândia, no dia 9 de junho. O secretário confirmou que o criminoso foi visto nesta tarde. Ele está foragido há 16 dias.

 

Metrópole

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Bandidos armados invadem casa e executam jovem na frente da esposa

Publicado

Criminosos invadiram uma residência no bairro Vila Horizonte e executaram Pablo Hendrigo Nogueira Pohl, 23 anos, na frente da esposa, na madrugada desta quarta-feira (23), em Tangará da Serra (240 km de Cuiabá).

Segundo informações da Polícia Militar, Pablo estaria dormindo com sua esposa em um quarto aos fundos da casa, quando dois homens, que estavam com capacete na cabeça e lanterna em mãos, invadiram o imóvel.

Pablo e a esposa foram verificar o barulho, quando os bandidos atiraram várias vezes no jovem. A vítima tentou desviar dos tiros e correu para quarto. Porém, os suspeitos quebraram a porta do quarto e o alvejaram. Na sequência, fugiram do local.

Acionado, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) esteve no local, mas apenas constatou o óbito de Pablo. No local do crime, foi encontrada uma arma de fogo cal. 6.35 com dois carregadores e duas munições intactas.

As equipes da Polícia Civil e Perícia Técnica (Politec) estiveram no local para as providências cabíveis.

As diligências estão em andamento para identificar e prender os autores do crime.

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Marido morre após ter 40% do corpo queimado pela mulher durante discussão em MT

Publicado

O marido que teve 40% do corpo queimado pela mulher dele durante uma discussão em Tangará da Serra, a 242 km de Cuiabá, morreu nesta segunda-feira (21) enquanto estava internado na capital mato-grossense.

Genésio Miranda, de 37 anos, estava internado em estado grave há uma semana e não resistiu.

A mulher, de 28 anos, foi presa em flagrante depois de ser localizada próximo a unidade de saúde em que a vítima foi socorrida. Ela confessou o crime, foi autuada em flagrante por tentativa de homicídio qualificada por meio insidioso e uso de fogo.

Genésio, antes de ser transferido para Cuiabá, estava na Unidade Pronto Atendimento (UPA) com graves queimaduras pelo corpo.

Questionada, ela alegou que na noite anterior o marido a havia agredido e na manhã seguinte iniciaram uma nova discussão.

A vítima então foi para o banheiro, quando a suspeita ficou o aguardando com uma bacia com álcool e fósforo. Quando ele saiu do banheiro, ela jogou o álcool e ateou fogo. Mesmo após ter o corpo em chamas, a vítima foi dirigindo até a UPA, onde foi socorrida.

Segundo o delegado Adil Pinheiro de Paula, a suspeita alegou que ateou fogo no marido para se defender, porém, a versão não convence, uma vez que ela ficou aguardando para atacar a vítima.

Comentários Facebook
Continue lendo

Nova Xavantina

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana