conecte-se conosco


Nacional

Ministro italiano agradece a Bolsonaro e diz que Battisti é um “grande presente”

Publicado


Ministro italiano Matteo Salvini:
Reprodução

Ministro italiano Matteo Salvini: “Posso garantir que Cesare Battisti passará o resto da vida na cadeia”

O ministro italiano do Interior, Matteo Salvini, celebrou a prisão de Cesare Battisti, efetuada na Bolívia, e agradeceu ao presidente brasileiro, Jair Bolsonaro (PSL) por ter “tirado a proteção” do terrorista,  condenado à prisão perpétua por quatro assassinatos
ocorridos na década de 1970 – aos quais Battisti nega a autoria.

Durante evento na Escola de Formação Política de Lega, em Milão, Salvini disse que a prisão de Battisti
representa um “grande presente a 60 milhões de italianos”. “Estamos preparando a chegada desse maldito criminoso à Itália. Obrigado a todos que possibilitaram essa mudança. […] Ao novo presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, que retirou a proteção… Porque ele [Cesare] é um assassino. Não é um escritor, ou um ideólogo”, discursou o ministro.

A “proteção” mencionada por Salvini
se trata do asilo político concedido pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), em 2010. Apesar do discurso do italiano, a medida foi revogada por decreto assinado ainda durante a gestão de Michel Temer (MDB), em 14 de dezembro, no dia seguinte à ordem de prisão proferida pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luiz Fux.

A declaração de Salvini se aproxima da mensagem escrita mais cedo por um dos filhos de Bolsonaro
, o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), nas redes sociais. “Um pequeno presente está a caminho”, disse Eduardo, em italiano, ao próprio Salvini.

O ministro do Interior italiano é uma das principais lideranças da extrema-direita no país europeu. Ele vem acenando ao governo brasileiro desde a eleição de Bolsonaro, que havia prometido que Salvini podia “contar conosco” em relação à extradição de Battisti
.

“Quanto mais cedo ele [Cesare] puser os pés na cadeia, melhor para todos”, disse o italiano em entrevista concedida neste domingo (13) a uma TV do país. “Eu posso garantir que ele vai passar o resto de sua vida na cadeia. Independentemente dos arranjos passados”, completou.

Preso enquanto caminhava, com disfarce com cavanhaque e óculos de sol, por ruas da cidade boliviana de Santa Cruz de la Sierra, Cesare Battisti
deve ser extraditado ainda hoje para a Itália. Os governos italiano e boliviano firmaram acordo para que o terrorista seja enviado diretamente à Roma
, sem fazer escala no Brasil – como desejava o governo Bolsonaro.

Comentários Facebook
publicidade

Nacional

‘Folha secreta’ da Ceperj conta com assessores de deputados federais

Publicado

Prédio da Ceperj no Rio de Janeiro - 09.98.2022
Reprodução Google – 07.08.2022

Prédio da Ceperj no Rio de Janeiro – 09.98.2022

Ao menos cinco assessores de deputados federais receberam valores da Fundação Ceperj , órgão acusado de criar uma “folha de pagamento secreta” dentro do governo do Rio, ao mesmo tempo em que também eram pagos pela Câmara dos Deputados. Um cruzamento do GLOBO apontou que os servidores estão lotados nos gabinetes de quatro deputados federais da bancada fluminense: Otoni de Paula (MDB), Professor Joziel (Patriota), Gurgel (PL) e Daniela do Waguinho (União Brasil). Ao todo, esses funcionários receberam, em cinco meses, R$ 92 mil da fundação.

Segundo a Constituição, é vedado que um servidor acumule cargo, emprego ou função pública, inclusive em autarquias e fundações, a não ser mediante cessão do servidor. O pagamento de mais de 27 mil pessoas pela Fundação Ceperj foi revelado pelo site UOL.

Na quarta-feira da semana passada, a Justiça do Rio determinou que o Ceperj e o governo do estado interrompam imediatamente essas remunerações, bem como as contratações temporárias, sem que haja prévia divulgação dos dados em portal eletrônico. Segundo promotores do Ministério Públicos do Estado do Rio, os pagamentos desse pessoal contratado ocorria “na boca do caixa” de agências bancárias e somou um total de quase R$ 226,5 milhões em todo o estado.

Remuneração dupla

De acordo com a planilha de pagamentos enviada pelo Banco Bradesco ao Ministério Público do Rio, Daniel dos Santos Bruner, assessor de Otoni de Paula, fez quatro saques em dinheiro entre abril e julho deste ano, referentes a pagamentos do Ceperj, cada um no valor de R$ 7,3 mil. Ao mesmo tempo, foi remunerado por seu trabalho como secretário parlamentar: em junho, por exemplo, seu salário foi de R$ 4,9 mil, além de um adiantamento de gratificação natalina de R$ 2,5 mil.

Houve tentativa de contato com Daniel dos Santos Bruner, mas ele não retornou. Procurado, Otoni de Paula disse desconhecer a atuação do assessor.

“Não tenho qualquer relação com nomeação ou indicações para o Ceperj, o que pode ser confirmado pelo próprio governo. Não tinha conhecimento que o Daniel estava nos programas do Ceperj e já determinei que ele escolha onde quer trabalhar: se lá ou apenas comigo”, disse Otoni, que é um dos deputados mais próximos do presidente Jair Bolsonaro.

No gabinete de outro deputado, Professor Joziel, dois assessores também constam na lista de pagamentos do Ceperj: Alexandre Aires Leite e Lohan Zeferino. Aires Leite, que deixou o cargo em maio deste ano, segundo o site da Câmara dos Deputados, recebeu salários da fundação estadual de janeiro a julho de 2022. Em um contato inicial, ele chegou a responder dizendo que já tinha deixado o cargo quando começou a receber os valores da Ceperj, mas, ao ser questionado sobre a data dos pagamentos, encerrou a ligação.

Já Zeferino continua no gabinete do deputado: o site da Câmara registra salário de R$ 2.043, pago em julho, mesmo mês em que ele fez dois saques do Ceperj, cada um no valor de R$ 2.370. Zeferino não atendeu às ligações ou respondeu às mensagens enviadas. A assessoria do deputado Professor Joziel informou que o parlamentar desconhecia o fato de que seus assessores também chegaram a receber dinheiro do Ceperj.

Improbidade

No gabinete da deputada Daniela do Waguinho, do União Brasil, Iris Campos Ramalho foi nomeada em março deste ano, mesmo mês em que começou a receber da Câmara dos Deputados. A parlamentar disse desconhecer a segunda atividade de sua funcionária. Também afirmou que “fará a averiguação da informação e, tão logo constatar essa duplicidade de cargos, promovida de forma unilateral pela assessora em questão, fará a sua imediata exoneração do cargo que ocupa em seu gabinete”. A história se repete no gabinete do deputado Gurgel, do PL, onde Jonathan Calado Nogueira aparece na folha a partir de fevereiro, mas já recebia do Ceperj desde janeiro, acumulando os dois salários desde então. O político foi procurado, assim como seus assessores, mas eles não deram retorno.

As contratações no Ceperj, realizadas sem transparência, causaram uma crise no governo Cláudio Castro. Após a revelação da “folha secreta” foram identificados pagamentos para assessores na Assembleia Legislativa e na Câmara Municipal de Campos. Nesta segunda-feira, um cruzamento feito pelo GLOBO apontou que, dos 27 mil beneficiários, cerca de cinco mil também receberam valores do Auxílio Emergencial em setembro de 2021.

Segundo a advogada Vera Chemim, mestre em Direito Administrativo pela Fundação Getulio Vargas (FGV), há indícios de ilegalidade no acúmulo dos dois cargos, reforçado pela falta de transparência das contratações do Ceperj.

“De uma forma isolada, ao realizar esses pagamentos sem qualquer transparência, isso se afigura como um ato que afronta os princípios da legalidade, da moralidade e da publicidade. E, a depender de cada caso, se o deputado sabia que ele acumulava esse outro cargo, esse parlamentar pode ser enquadrado no ato de improbidade administrativa”, disse.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Fonte: IG Nacional

Comentários Facebook
Continue lendo

Nacional

Ana Maria Machado é a entrevistada da série Depoimentos Cariocas

Publicado

A escritora Ana Maria Machado, membro da Academia Brasileira de Letras (ABL) desde 2003, é a entrevistada da série Depoimentos Cariocas, que vai ao ar hoje (9), às 17h, no YouTube do Arquivo Geral da Cidade do Rio de Janeiro. A transmissão terá chat aberto para a participação dos internautas.

A série foi criada pelo Arquivo Geral no ano passado, com a finalidade de registrar memórias e reflexões de personalidades nascidas na capital fluminense ou cariocas honorários que escolheram o Rio de Janeiro para trabalhar e viver. A entrevista de Ana Maria Machado é a oitava da temporada deste ano e a 16ª da série.

Carioca, nascida há 80 anos no bairro de Santa Teresa, região central do Rio de Janeiro, Ana Maria Machado é autora de obras literárias adulta e infantojuvenil. A estimativa é que seus livros tenham vendido mais de 20 milhões de exemplares no Brasil e no exterior.

Entre os títulos e troféus que recebeu, estão prêmios internacionais, como o Hans Christian Andersen (Dinamarca) e o Casa de las Américas (Cuba), além de outros nacionais, como a Ordem do Mérito Cultural e o Prêmio Jabuti, que conquistou três vezes.

No depoimento dado ao jornalista Pedro Paulo Junior, Ana Maria relembra as visitas à cobertura do cronista Rubem Braga em Ipanema, zona sul da cidade, e fala de sua angústia com a situação ambiental do país.

Ela também fala de seu mandato de presidente da Academia Brasileira de Letras, nos anos 2012 e 2013, quando aproximou a instituição de eventos como a Feira Literária das Periferias (Flup), com atuação direta em comunidades cariocas, como o Complexo do Alemão e os morros Pavão-Pavãozinho, Fallet e Dona Marta.

A escritora e ex-professora da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ), responde também a perguntas enviadas por convidados especiais. Entre eles estão o jornalista Zuenir Ventura, que abriu a série Depoimentos Cariocas; a produtora Guguta Brandão; e a presidente do Arquivo Geral da Cidade, Rosa Maria Araujo.

Edição: Denise Griesinger

Fonte: EBC Geral

Comentários Facebook
Continue lendo

Nacional

Ministro vistoria embarque por biometria em Congonhas

Publicado

O ministro da Infraestrutura, Marcelo Sampaio, esteve no Aeroporto de Congonhas, na capital paulista, na manhã de hoje (9), para vistoriar a implantação do projeto Embarque +Seguro 100% Digital. Combinando análise de dados e validação por biometria, a tecnologia dispensa apresentação de cartões de embarque e documentos de identificação dos viajantes de voos domésticos partindo de Congonhas e Santos Dumont, no Rio se Janeiro. A ponte aérea SP-RJ é a primeira do mundo com acesso biométrico do check-in ao embarque.

De acordo com o Ministério da Infraestrutura (Minfra), o processo de implantação definitiva da tecnologia já está em andamento e acontece gradual e simultaneamente nos dois aeroportos, com previsão de conclusão neste mês. Quando a funcionalidade estiver disponível, os viajantes que estiverem em voos com embarques biométricos e optarem pelo uso da tecnologia só precisarão da imagem de seus rostos para fazer check-in e acessarem salas de embarque e aeronaves.

“No caso de comissários de bordo e pilotos da aviação regular, a solução inclui o acesso a áreas restritas dos dois terminais aéreos. A iniciativa tem o objetivo de tornar mais eficiente, ágil e seguro o processamento de passageiros e tripulantes, tendo por premissa a segurança no tratamento e a proteção dos dados pessoais dos usuários contra uso indevido ou não autorizado”, explica o Minfra.

Segundo o Minfra, cada empresa aérea que opere em um dos dois terminais poderá adotar procedimentos próprios para o cadastramento biométrico e validação do passageiro na base governamental. Para utilizar o sistema nesse momento, o usuário precisa apresentar documento biométrico válido (CNH digital ou título de eleitor digital); passagem aérea e acesso ao canal de cadastramento e validação biométrica da companhia aérea.

Por meio do canal, no momento do check-in ou após a sua realização, o passageiro realizará a validação biométrica associada a seu voo. Ele deverá aceitar os termos da Lei Geral de Proteção de Dados (LPGD), devendo fazê-lo a cada novo voo. Executada essa ação, de forma digital, e sendo validado o cadastro, o passageiro estará apto a usar o sistema biométrico para o respectivo voo.

A biometria facial será usada em duas etapas. Primeiro, no acesso à sala de embarque, onde os totens farão a leitura da face, consultarão a base do governo e verificarão o cadastro do passageiro e a existência do cartão de embarque válido, liberando a entrada. A segunda etapa ocorrerá no portão de embarque, no momento de ingresso na aeronave.

Durante a fase de testes, foi possível perceber que, com a biometria, o tempo médio do embarque caiu de 7,5 segundos para 5,4 segundos por passageiro. Isso significa que, com a biometria, será possível processar mais embarques no mesmo tempo do processamento atual, correspondendo a um ganho de 27%. Mas os viajantes poderão optar entre o sistema e os procedimentos tradicionais de check-in e embarque, que continuam disponíveis.

“Já testamos em seis mil embarques em sete grandes cidades do país, e isso permite que possamos dar passo correto em direção a essa tecnologia. Vai trazer mais segurança, confiabilidade, agilidade e eficiência na hora do embarque. Vai ser muito mais simples e prático. A partir do dia 25 todos poderão embarcar de forma facultativa utilizando a biometria na ponte área Rio-São Paulo. A imagem da face dos passageiros ficará guardada pela Serpro (Serviço Federal de Processamento de Dados)”, disse o ministro de Infraestrutura, Marcelo Sampaio.

Segundo ele, o sistema está instalado apenas dos aeroportos operados pela Infraero, mas o ministério tem feito um trabalho para incentivar os terminais privatizados a também utilizarem o serviço. “Até o final do ano teremos novos aeroportos entrando nessa tecnologia”, disse.

Edição: Fernando Fraga

Fonte: EBC Geral

Comentários Facebook
Continue lendo

Nova Xavantina

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana