conecte-se conosco


ARAGUAIA

Modelo e enfermeiro indígena se apaixonam em aldeia no Xingu

Publicado

Aline Weber, que já desfilou para diversas grifes, e Pigma Amary estão noivos desde agosto de 2019

Quando decidiu viajar para a Aldeia Amaru, em Mato Grosso, a ideia da top model catarinense Aline Weber era se aprofundar um pouco mais na cultura indígena. Mas foi lá, em pleno Alto Xingu, que ela conheceu o seu futuro noivo.

Sendo uma mistura de quatro etnias indígenas, Pigma Amary, técnico em enfermagem, pediu a modelo em casamento por videochamada em agosto de 2019 após os dois viverem um romance à distância.

Aline, que tem 16 anos de carreira e trabalhou com grifes como Prada, Chanel, Yves Saint Laurent, Fendi, Givenchy e Paco Rabanne, já viajou o Mundo todo a trabalho. Mas daquela vez ela buscava tirar férias e se aproximar da cultura indígena.

“Fiz uma viagem à Amazônia de 2016 para 2017. Foi a primeira vez que tive contato com a cultura indígena. Meu intuito era tirar férias e conhecer melhor a cultura”, conta Aline, que voltaria em uma nova viagem no ano seguinte.

O casal se conheceu na aldeia de Pigma em 2018. Na época, ele ainda não atuava na área da saúde, tinha acabado de se formar.

Ainda muito tímidos, eles só foram dar o primeiro beijo em uma viagem para a Chapada dos Veadeiros (GO), dias depois de saírem da aldeia.

“Saí do Xingu e fui para a Chapada dos Veadeiros e o Pigma foi para lá também. Foi quando a gente se beijou a primeira vez. Desde então, nunca mais paramos de nos falar”, revela a modelo.

Aline, contudo, morava em Nova York, nos Estados Unidos, e Pigma trabalhava como técnico em enfermagem no Xingu. O casal passou um ano namorando à distância. Porém, a modelo acredita que a força de vontade dos dois fez o relacionamento ter resistido às barreiras.

“Foi bem difícil. Só conseguíamos nos falar quando o gerador de energia era ligado. Foi assim durante um ano, mas acho que o empenho dos dois foi fundamental para ter dado certo”, afirma.

Em agosto do ano seguinte ao que se conheceram, o profissional de saúde tomou a iniciativa e propôs o casamento.

Críticas e preconceito

Assim como muitos casais inter-raciais, Pigma e Aline também viveram momentos de desaprovação da sociedade.

Mesmo com apoio das famílias, o casal revela que já recebeu diversos comentários preconceituosos.

“Já sofremos preconceito, sim, de ambos os lados. A maioria das pessoas, principalmente nossas famílias, sempre nos apoiou, mas ainda ouvimos comentários preconceituosos por aí, infelizmente”, relata a modelo.

Em relação à polêmica da chamada apropriação cultural, ao aparecer em várias fotos pintada com símbolos indígenas sendo uma mulher branca, Aline explica que são os próprios índios que convidam para participar dos rituais quando se está na aldeia.

“O que acho que é apropriação cultural é quando, por exemplo, usam pinturas indígenas para a venda de produtos, sem repassar verba a eles, ou usam dos costumes fora de contexto”, afirma.

Mesmo vindo de culturas totalmente diferentes, o casal conta que os dois têm uma personalidade muito parecida e isso os ajuda no relacionamento.

“Somos bem tranquilos em relação a isso. Qualquer diferença que surja ao longo da relação, conversamos muito e usamos para somar um ao outro”, explica a top model.

Chegada da pandemia

Com a pandemia de coronavírus se alastrando pelo Mundo no início deste ano, o casal decidiu morar junto em São Paulo. Eles ficaram três meses juntos, mas o indígena decidiu voltar para Mato Grosso para ajudar na saúde das aldeias.

O técnico relata que falta assistência nas reservas, como profissionais atuando diretamente para conter o coronavírus.

“Tem muito pouco para os índios. Faltam medicamentos e respiradores. Não temos assistência do governo, que praticamente esqueceu da gente”, afirma.

Pigma revela que recentemente perdeu a mãe e o cunhado para o vírus. Nessa época, ele já estava trabalhando em sua aldeia, mas não tinha estrutura para salvar seus familiares.

“Foi um em seguida do outro, num intervalo de uma semana. Eu trabalhava como voluntário, mas infelizmente não tinha mais o que fazer sem estrutura. Tentamos ajuda na cidade mais próxima, mas não tive como salvar minha mãe”, lamenta.

O casal está promovendo uma campanha para ajudar no combate ao coronavírus nas aldeias indígenas
Campanha

Além o técnico ter voltado Mato Grosso para atuar na linha de frente, o casal também está promovendo uma campanha em colaboração com o Instituto de Pesquisa Etno Ambiental do Xingu (Ipeax) para arrecadar recursos para o combate ao coronavírus.

“Temos colaborado com uma ONG que está arrecadando fundos para a compra de medicamentos. Nesse momento, pedimos apoio para que o Governo também mande equipes médicas, não só ao Xingu, mas a outras aldeias do Brasil”, relata Aline.

Outra forma de colaborar é com profissionais de saúde voluntários para atuar na região. Neste caso, a pessoa pode entrar em contato com Pigma pelo email: [email protected]

Os interessados podem ajudar fazendo doações direto para a conta do instituto.

Instituto de Pesquisa Etno Ambiental do Xingu

Banco do Brasil – Agência: 1319-6 – Conta: 13.865
CNPJ: 07.281.382/0001-18

Comentários Facebook
publicidade

ARAGUAIA

Milagre em Campinápolis – Criança de 4 anos é atropelada por camionete

Publicado

Uma criança de 4 aninhos foi atropelada por uma camionete em uma rua da cidade de Campinápolis/MT e saiu apenas com ferimentos leves. Quem presenciou o acidente dia que foi um milagre a criança não ter perdido a vida.

Segundo informações a criança é filho de um proprietário de uma borracharia na cidade, local onde trabalham e residem, e, quando a criança avistou a mãe do outro lado da rua, saiu correndo, momento em que foi atropelada por uma camionete.

A criança foi socorrida, levada para o hospital da Cidade, porém, em que pese a gravidade do acidente, a criança sofreu apenas alguns arranhões e está em casa com saúde.

O vídeo que circula pelas redes sociais tem imagens muito forte:

 

Comentários Facebook
Continue lendo

ARAGUAIA

TJMT lança edital para formação de cadastro de reserva de estagiários, há vagas para o Araguaia

Publicado

Os candidatos podem se inscrever para a Secretaria do Tribunal de Justiça de Mato Grosso ou uma das 79 comarcas do Estado e é voltado para várias áreas do conhecimento

O Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT) divulgou, na segunda-feira (14/09), o edital para o processo seletivo unificado de cadastro de reserva voltado para estagiários de nível médio e superior. As provas serão realizadas de forma on-line, gratuita e aplicadas pelo Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE). Os candidatos podem se inscrever para a Secretaria do Tribunal de Justiça de Mato Grosso ou uma das 79 comarcas do Estado e é voltado para várias áreas do conhecimento.

De acordo com a gerente de concursos do TJMT, Maria Cristina da Silva Tibles Brandão, há várias comarcas que estão precisando de novos estagiários – devido ao vencimento dos contratos antigos. “Para facilitar e tornar unificado o processo seletivo, contaremos com a colaboração do CIEE, que aplicará as provas e será acompanhado pelo TJMT”, pontuou. Os classificados provavelmente serão chamados no início do ano que vem.

O valor da Bolsa-Auxílio corresponderá a R$ 736,68 por mês, para estudante do ensino médio e R$ 920,84 por mês para estudante do ensino superior. O valor do auxílio-transporte corresponderá a R$ 180,40 mensais.

Querência formará cadastro de reserva para estagiários de nível superior que estejam cursando Administração, Ciências Contábeis, Direito e/ou Informática. Água Boa formará cadastro de reserva para estagiários do Ensino Médio. Já Ribeirão Cascalheira e Canarana formarão cadastro de reserva para ambos, nível médio e superior.

Requisitos

Na data da contratação, o estudante deverá ter a idade mínima de 16 anos completos e frequentar o ensino regular em instituições públicas ou privadas de educação superior ou de ensino médio.

O candidato deverá informar o turno que deseja trabalhar (matutino ou vespertino) e a localidade em que deseja exercer suas atividades, com carga horária diária de 6 horas, compatível com o horário escolar.

Inscrição

As inscrições e provas on-line serão recebidas somente via internet, pelo site: www.ciee.org.br, no período de 07/10/2020 até às 23h59min (horário de Brasília) do dia 22/10/2020, incluindo sábados, domingos e feriados.

No ato da inscrição, o candidato deverá informar dados pessoais e escolares válidos. Após o término do período de inscrição, não será permitida nenhuma correção nos dados declarados pelo candidato. Não será possível alterar o e-mail e CPF indicados no ato da inscrição. Será aceita somente uma única inscrição, por candidato.

Prova

As provas on-line poderão ser realizadas ao término da inscrição. O candidato só poderá acessar a prova com o login e senha cadastrados durante a inscrição. O candidato terá 120 segundos para responder cada questão, caso não responda dentro do tempo determinado, o sistema gravará a resposta em branco e seguirá automaticamente para a próxima questão.

Resultados

O gabarito provisório e o caderno de questões serão divulgados no site do CIEE www.ciee.org.br em 23/10/2020 com os nomes dos candidatos conforme a classificação. Serão admitidos recursos quanto ao gabarito da prova objetiva, que deverão ser encaminhados eletronicamente no dia 26/10/2020, para o endereço [email protected], em formulário específico, disponível para download no site do CIEE.

 

Água Boa News

Comentários Facebook
Continue lendo

ARAGUAIA

Homem é pego quando tentava furtar casa com moradoras dormindo no Araguaia

Publicado

O suspeito já tinha pegado dinheiro da bolsa de uma delas e carregava dois pacotes de carne congelados tirados da geladeira.

Policiais do 2º BPM de Barra do Garças (a 509 km de Cuiabá) prenderam na noite desta segunda-feira (14.09), um homem por furto e invasão à residência, no bairro Cohab.

Os policiais foram acionados pela moradora e sua filha que encontraram o homem dentro de casa enquanto dormiam. O suspeito já tinha pegado dinheiro da bolsa de uma delas e carregava dois pacotes de carne congelados tirados da geladeira.

A senhora disse que tem uma medida protetiva contra o homem, o criava como filho, mas ele não mora na casa há dois meses. Ele foi pego na garagem da residência.

Serviço

A sociedade pode contribuir com as ações da Polícia Militar de qualquer cidade do Estado, pelo 190 ou, sem precisar se identificar, por meio do disque-denúncia 0800.65.3939. Nesse número, sem custo de ligação, qualquer cidadão pode informar situações suspeitas ou crimes. Exemplos: a presença de foragidos da Justiça com mandado de prisão em aberto e ponto de venda de droga.

Comentários Facebook
Continue lendo

Nova Xavantina

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana