conecte-se conosco


Esportes

NBA indica que pode retomar jogos no dia 31 de julho

Publicado


.

A principal liga de basquete masculino do mundo deve recomeçar em 31 de julho, com previsão de término até 12 de outubro. A estimativa é do Conselho de Administração da NBA, que, nesta quinta-feira (4), aprovou um formato para conclusão da temporada 2019-2020 reunindo 22 das 30 equipes que iniciaram a competição. 

O torneio está suspenso desde 11 de março devido à pandemia do novo coronavírus (covid-19). Na ocasião, a liga registrou o primeiro caso positivo da doença: o pivô Rudy Gobert, do Utah Jazz.

Seguem na briga pelo título os 16 times que figuram na zona de classificação para os playoffs (mata-mata), sendo oito por conferência (leste e oeste), e seis equipes que ainda tinham chance de classificação. Cada equipe disputará oito partidas, definidas com base nos jogos que ainda restavam na temporada pré-pandemia. As sete franquias mais bem colocadas em cada grupo – 14 ao todo, portanto – avançam de fase. As outras duas vagas serão definidas de maneiras distintas:

– o dono da oitava melhor campanha de uma conferência se classifica automaticamente se estiver mais de quatro vitórias à frente do nono colocado.

– se a diferença for de quatro vitórias ou menos, oitavo e nono colocados se enfrentam em uma melhor de três jogos: quem vencer, segue no torneio.

O formato aprovado terá playoffs seguindo o modelo tradicional, com séries em melhor de sete partidas. A ideia da NBA é utilizar o Walt Disney World Resort, próximo a Orlando, na Flórida, como sede única para jogos, treinamentos e acomodações até o fim da atual temporada. Para isso, a liga depende de acordo com a The Walt Disney Company.

Se o calendário previsto for seguido, o draft – evento da NBA em que as franquias recrutam atletas de universidades norte-americanas e de diferentes países – será em 15 de outubro (a data original era 25 de junho). O armador brasileiro Caio Pacheco, que atua na Argentina, é um dos inscritos. A próxima temporada começaria em 1º de dezembro. 

“Embora a pandemia da covid-19 apresente desafios, esperamos terminar essa temporada de maneira segura e responsável, com base em protocolos rigorosos que estão sendo finalizados com as autoridades de saúde pública e médicos especialistas”, declarou o comissário da NBA, Adam Silver, em comunicado emitido pela liga, mencionando, ainda, os recentes protestos contra o racismo, intensificadas pelo mundo após a morte do segurança negro George Floyd, por um policial branco, na cidade de Minneapolis (Estados Unidos), no dia 25 de maio. 

“Também reconhecemos que, enquanto nos preparamos para retomar o campeonato, a sociedade está sofrendo com as recentes tragédias de violência racial e injustiça, e continuaremos a trabalhar em estreita colaboração com as equipes e os jogadores para usar todos os nossos recursos e influências coletivas para resolver esses problemas de maneira muito real e de formas concretas”, concluiu Silver.

Seguem na disputa pelo título:

Conferência Leste: Milwaukee Bucks, Toronto Raptors, Boston Celtics, Miami Heat, Indiana Pacers, Philadelphia 76ers, Brooklyn Nets, Orlando Magic e Washington Wizards.

Conferência Oeste: Los Angeles Lakers, Los Angeles Clippers, Denver Nuggets, Utah Jazz, Oklahoma City Thunder, Houston Rockets, Dallas Mavericks, Memphis Grizzlies, Portland Trail Blazers, New Orleans Pelicans, Sacramento Kings, San Antonio Spurs e Phoenix Suns.

Edição: Fábio Massalli

Comentários Facebook
publicidade

Esportes

Partida entre Fluminense e Botafogo será transmitida em TV aberta

Publicado


.

Os torcedores de Fluminense e Botafogo poderão acompanhar pela televisão aberta a semifinal da Taça Rio, que acontece neste domingo (05). A juíza Eunice Bitencourt Haddad, da 24ª Vara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, concedeu liminar nesta sexta-feira (03) à Federação de Futebol do Rio de Janeiro (Ferj), obrigando a Rede Globo de Televisão a transmitir a partida. A Globo anunciou neste sábado (04) que vai acatar a decisão judicial.

Em nota oficial, a emissora informou que vai recorrer da decisão, mas que, em respeito à Justiça e aos clubes, decidiu exibir o confronto. Na última quinta-feira (02), a Globo rescindiu o contrato de transmissão do Campeonato Carioca alegando violação dos seus direitos de exclusividade após exibição, no dia anterior, de Flamengo x Boavista, pela FlaTV.

A partida entre Fluminense e Botafogo será transmitida em canal aberto para a cidade de Juiz de Fora (MG) e para os estados do Rio de Janeiro, Espírito Santo, Sergipe, Alagoas, Paraíba, Rio Grande do Norte, Piauí, Maranhão, Amazonas, Pará, Acre, Amapá, Rondônia e Roraima. Os canais por assinatura SporTV e o Premiere exibem o jogo para todo o Brasil.

Fluminense e Botafogo se enfrentam pela segunda vez no campeonato carioca. No primeiro encontro, pela Taça Guanabara, o tricolor venceu por 3 a 0, com dois gols de Nenê e um de Wellington Silva. O “clássico vovô” começa às 16h, no Estádio Nilton Santos. No mesmo horário, Flamengo e Volta Redonda se enfrentam no Maracanã. A final da Taça Rio está inicialmente marcada para quarta-feira, dia 8 de julho. Se o Flamengo conquistar o segundo turno, não haverá final do Campeonato Carioca, uma vez que o rubro-negro já venceu a Taça Guanabara e é o time de melhor campanha na competição.

Confira a nota da emissora na íntegra:

“A Globo rescindiu essa semana o contrato para a transmissão do Campeonato Carioca pela violação dos seus direitos de exclusividade, mas recebeu ontem à noite uma ordem judicial que a obriga a transmitir os jogos sobre os quais tinha direito quando o contrato estava em vigor. A Globo vai recorrer da decisão, mas, em respeito à Justiça e aos Clubes, dos quais é parceira histórica, vai transmitir a partida de amanhã entre o Fluminense e o Botafogo pela semifinal da Taça Rio, na TV Globo, no SporTV e no Premiere.

A Globo esclarece que os clubes são livres para transmitir seus jogos ou autorizar que terceiros os transmitam, uma vez que o contrato foi rescindido. Para transmitir o jogo que acontece amanhã, às 16h, no Estádio Nilton Santos, a Globo está acionando um protocolo de urgência que garanta a logística para uma transmissão com o padrão de qualidade de sempre e que resguarde a segurança e a saúde das equipes de transmissão.

A Globo é parceira e incentivadora do futebol brasileiro há muitas décadas, entende a sua importância para clubes, jogadores, marcas e torcedores e reitera a sua crença de que o futebol só será capaz de vencer as inúmeras dificuldades com planejamento e segurança jurídica para aqueles que investem altas quantias nesse negócio tão importante para o Brasil e para os brasileiros.”

 

Edição: Pedro Ivo de Oliveira

Comentários Facebook
Continue lendo

Esportes

Valtteri Bottas larga na frente no GP da Áustria

Publicado


.

Valtteri Bottas é o primeiro pole position da Fórmula 1 no ano de 2020. Com um tempo de 1m02s939, o finlandês marcou o novo recorde do Circuito de Spielberg e superou o companheiro de equipe Lewis Hamilton. Esta é a terceira vez que Bottas vai largar na primeira posição no Grande Prêmio da Áustria, a 12ª pole em toda sua carreira.

A Mercedes dominou todos os treinos da semana, e Hamilton tinha feito volta mais rápida no início da manhã deste sábado (04). Porém, no último treino, que valia a classificação no grid de largada, o britânico foi superado pelo companheiro de equipe e ficou na segunda posição, com um tempo de 1m02s951. Apenas 12 milésimos atrás de Bottas.

Em entrevista à Fórmula 1, Valtteri Bottas falou da saudade de correr e da expectativa da prova deste domingo.

“Eu senti falta desse sentimento depois das classificações, a adrenalina depois de levar o carro no limite. Um bom resultado hoje, mas é amanhã que importa”.

Atual campeão, Hamilton parabenizou o companheiro de equipe.

“Excelente trabalho do Bottas. É um excelente início de temporada. Acredito que mostramos ano a ano que nós somos o melhor time. Nós somos unidos e trabalhamos juntos”.

Com os carros da Mercedes fazendo dobradinha na primeira fila da corrida deste domingo (05), Max Verstappen, da Red Bull Racing (RBR), ficou na terceira posição, e Lando Norris, da McLaren, vai largar em quarto.

Único entre os 10 primeiros do grid de largada a usar pneus médios, Verstappen prevê uma luta difícil neste domingo, mas confia na estratégia para surpreender os pilotos da Mercedes.

“Estou feliz com a terceira posição. Temos diferentes pneus para começar a corrida, então será interessante. Vamos fazer o possível para dificultar a vida deles”.

O destaque negativo ficou para a Ferrari. Charles Leclerc vai largar apenas na sétima posição. Já Sebastian Vettel sequer passou para a fase classificatória para a disputa dos 10 primeiros. O alemão, que fez a pole em 2019, começa a prova na 11ª posição.

O GP da Áustria abre a temporada de 2020 da F1, com largada às 10h10 deste domingo (05). No próximo fim de semana, a Fórmula 1 continua em Spielberg para mais uma prova no mesmo circuito, no dia 12 de julho.

Confira o grid de largada:

Q3

1. Valtteri Bottas Mercedes 1h02m939
2. Lewis Hamilton Mercedes 1h02m951
3. Max Verstappen Red Bull Racing Honda 1h03m477
4. Lando Norris McLaren Renault 1h03m626
5. Alexander Albon Red Bull Racing Honda 1h03m868
6. Sergio Perez Racing Point BWT Mercedes 1h03m868
7. Charles Leclerc Ferrari 1h03m923
8. Carlos Sainz McLaren Renault 1h03m971
9. Lance Stroll Racing Point BWT Mercedes 1h04m029
10. Daniel Ricciardo Renault 1h04m239

Q2

11. Sebastian Vettel Ferrari 1h04m206
12. Pierre Gasly AlphaTauri Honda 1h04m305
13. Daniil Kvyat AlphaTauri Honda 1h04m431
14. Esteban Ocon Renault 1h04m643
15. Romain Grosjean Haas Ferrari 1h04m691

Q1

16. Kevin Magnussen Haas Ferrari 1h05m164
17. George Russell Williams Mercedes 1h05m167
18. Antonio Giovinazzi Alfa Romeo Racing Ferrari 1h05m175
19. Kimi Räikkönen Alfa Romeo Racing Ferrari 1h05m224
20. Nicholas Latifi Williams Mercedes 1h05m757

Edição: Pedro Ivo de Oliveira

Comentários Facebook
Continue lendo

Esportes

Incerteza sobre futuro em meio a pandemia afeta categorias de base

Publicado


.

Após defender a equipe sub-20 do Esporte Clube São Bernardo, da Série A3 (terceira divisão) paulista, por duas temporadas, chegando até a ser relacionado no profissional, o atacante Robson Lima acertou, em março, para integrar o time júnior do Botafogo. Ter alcançado um clube grande e estar na idade limite (20 anos) das categorias de base prometiam um 2020 desafiador e decisivo. Contudo, a pandemia do novo coronavírus (covid-19) não estava nos planos.

Treinos presenciais interrompidos e torneios suspensos por tempo indeterminado, ao contrário do vínculo com o clube carioca, que vai até dezembro. “Fiquei duas semanas treinando, aí teve o primeiro jogo do Carioca [sub-20]. Depois ocorreu a pandemia e tudo foi cancelado”, afirma o atacante à Agência Brasil.

Como Robson, jovens em categorias de base de clubes do Brasil afora vivem a expectativa pelo retorno de treinos e jogos, o que significa ter outra vez a oportunidade de provarem que merecem ser aproveitados no time profissional e ter os vínculos renovados. A prioridade das federações e agremiações, no momento, é viabilizar a volta de equipes profissionais masculinas às atividades, ainda que de forma gradual, e, posteriormente, às competições.

Um impacto imediato da paralisação, em alguns clubes, foi o corte em vencimentos de atletas profissionais, incluindo os que estão na base. “Pode ser feita, como autorizado pela Medida Provisória 936, a redução de salário e jornada de trabalho, de forma proporcional, ou a suspensão do contrato de trabalho, mas sempre com a concordância do jogador mediante acordo, individual ou coletivo. Vemos que alguns times adotaram a redução de forma unilateral e isso é passível de questionamento futuro”, alerta à Agência Brasil o advogado Rafael Cobra, especialista em Direito Desportivo.

Cobra também destaca o caso de jogadores cujo contrato é de formação, que pode ser assinado dos 14 aos 20 anos e não gera vínculo empregatício. Segundo o advogado, um atleta nesta situação pode ser dispensado sem ônus ao clube, o que, para ele, coloca o jovem em posição delicada em meio às reestruturações causadas pela pandemia: “Se o time quiser rescindir o contrato de formação, ele não tem que pagar absolutamente nada ao atleta. Basta uma decisão unilateral do clube decidindo a dispensa, seja por motivo técnico ou outra razão, o que poderia incluir a ausência de competição”.

Sem previsão

No Rio de Janeiro, o Estadual sub-20 foi suspenso após a primeira rodada, em 14 de março, ainda sem previsão de reinício. À Agência Brasil, a assessoria de imprensa da Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro informou que “vai avaliando o cenário para, quando for possível, com responsabilidade e cuidado médico, organizar os campeonatos”.

carioca sub-20 carioca sub-20

Campeonato carioca sub-20 está parado desde março – Mailson Santana/Fluminense FC/Direitos Reservados

Cenário não muito diferente de estados nos quais a temporada da base sequer começou. No Rio Grande do Sul, a última manifestação da Federação Gaúcha de Futebol foi em maio, em matéria no site da entidade indicando que o sub-20 poderia ocorrer a partir de setembro, com treinos liberados em agosto, seguindo protocolos sanitários. Em São Paulo, a Federação Paulista (FPF) respondeu à Agência Brasil, por e-mail, que o retorno da base é discutido em “constantes encontros virtuais” e que as decisões “são tomadas em conjunto com os clubes, em acordo com as autoridades públicas de saúde”.

Já a Confederação Brasileira de Futebol (CBF), que organiza os campeonatos nacionais, as Supercopas e as Copas do Brasil sub-17 e sub-20, além da Copa do Nordeste sub-20, afirma, em e-mail enviado à Agência Brasil, que nenhum torneio de base está cancelado e que o calendário “será retomado tão logo a situação permitir”. “Além disso, a entidade mantém reuniões constantes com a Comissão Nacional de Clubes. para ouvir demandas deste período de pandemia e debater soluções”, completa a nota.

Enquanto isso, Robson mantém o sonho vivo. Em Osasco, cidade na grande São Paulo onde está com o pai, é monitorado à distância pelo Botafogo. Faz exercícios passados pela comissão técnica e é acompanhado por uma equipe multidisciplinar do Alvinegro, que ainda não tem previsão para retorno da base às atividades presenciais. O clube, segundo a assessoria de imprensa, “está com as atenções voltadas apenas para saúde de todos: funcionários, atletas e familiares”.

“Estou feliz, motivado por vestir a camisa do Botafogo, time de tradição e história. Tento deixar a cabeça tranquila e manter o foco, com esperança de que os campeonatos possam voltar. Tenho treinado todo dia na quarentena, para ter um excelente desempenho e receber uma oportunidade no profissional”, projeta Robson.

Novo limite?

De forma geral, as competições nacionais são disputadas nos níveis sub-15, sub-17 e sub-20. Diante do atual cenário, o treinador da equipe sub-20 do Internacional, Fábio Matias, sugeriu uma mudança no limite de idade das categorias de base. Em entrevista ao jornal Zero Hora, ele aconselhou, ao menos para os seis primeiros meses de 2021, as divisões em sub-16, sub-18 e sub-21.

Na visão do técnico gaúcho, atual campeão da Copa São Paulo de Futebol Júnior (mais tradicional campeonato de base do país) pelo Colorado, isso reduziria a perda de uma temporada quase inteira. O advogado Rafael Cobra concorda com Matias.

“Com exceção do sub-20, que abarca três anos, as demais categorias têm dois anos. É muito importante que o atleta vivencie o primeiro ano de categoria, mesmo sabendo das dificuldades de jogar. O processo de formação depende desse tipo de experiência, de se treinar com atletas velhos, mais maturados. No segundo ano e último ano de categoria, é importante o atleta ter mais responsabilidades e jogar com mais frequência”, declara.

supercopa do brasil sub-20 supercopa do brasil sub-20

CBF diz que competições nacionais de base não estão canceladas – Thais Magalhães/CBF/Direitos Reservados

“Se o atleta, que estava no primeiro ano de categoria [em 2019] e agora [2020] teria o segundo ano, não tiver a oportunidade de vivenciar essas responsabilidades [em 2020], e no ano que vem ele novamente vier a ser do primeiro ano, uma categoria acima, serão três anos de poucas condições de jogo e evolução. Certamente, isso prejudica o processo de formação”, conclui Cobra.

A CBF e a FPF (organizadora da Copa São Paulo, que é sub-20) foram questionadas pela Agência Brasil sobre uma eventual alteração na idade limite, mas não abordaram o assunto em suas respostas.

Edição: Fábio Lisboa

Comentários Facebook
Continue lendo

Nova Xavantina

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana