conecte-se conosco


Agro News

O agro é solidário, mas não só durante a pandemia

Publicado


.

Fortalecimento Institucional

O agro é solidário, mas não só durante a pandemia

Por Fernando Cadore*

29/06/2020

O agro é solidário sim há muito tempo. As ações são contínuas e antigas, não começaram durante o atual momento de pandemia causada pelo Covid-19. Entidades representativas, como associações e Sindicatos Rurais, bem como as empresas do setor desempenham papel social em Mato Grosso, há décadas. Mas o agro tem recebido muitas críticas e vem sendo acusado diariamente de ter uma atuação tímida perante a crise econômica e social causada pela pandemia.

Como legítimo representante do setor, vim em defesa do agro. A ações e projetos desenvolvidos pelas entidades e empresas da agropecuária já fazem parte da vida dos mato-grossenses há muito tempo.  Mas já que recebemos duras críticas quanto às contribuições durante a pandemia, vamos aos números.

Na busca por amenizar os impactos sociais causados pela atual situação de pandemia, o Programa Agrosolidário desenvolvido pelos produtores de soja e milho, via sua associação, a Aprosoja-MT, entregou 1.100 kits com cestas básicas, bebidas de soja e produtos de higiene e limpeza  que foram distribuídos para famílias necessitadas, em parcerias com a Secretaria de Assistência Social e Cidadania do Estado, o Centro de Reabilitação Integral Dom Aquino Corrêa (Cridac), e com a Assembleia Legislativa de Mato Grosso. Outros 1.000 Kits (iguais) serão entregues ainda em junho, para famílias carentes em Cuiabá e Várzea Grande. Como medida de segurança e proteção à saúde, também estão sendo entregues mais de 30 mil máscaras (laváveis) pela Aprosoja-MT.   Logo, somente no primeiro semestre de 2020, foram investidos em ações sociais um montante de R$ 876 mil pela Associação.

E como prova de que as ações sociais do agro não são somente durante a pandemia, continuo a destacar que os produtores de soja e milho do Estado e a Aprosoja-MT, entidade que represento, há mais de dez anos por meio do Programa Agrosolidário atende famílias carentes em mais de 36 municípios, incluindo Cuiabá e Várzea Grande. Atualmente são atendidos 86 projetos e instituições importantes em todo Estado, como creches, Apaes, lares de idosos, centros de reabilitação, igrejas, escolas, hospitais, projetos esportivos, culturais, entre outros.

No total, os produtores de soja e milho fazem parte da vida de mais de 20 mil famílias, diariamente. Com distribuição de bebida à base de soja, que possui alto valor nutricional e contribui com a nutrição de milhares de famílias e também com aporte financeiro, apoiando e incentivando projetos sociais, de esporte e cultura. 

Um dos cases de sucesso do Agrosolidário é a parceria contínua com o Hospital de Câncer de Mato Grosso. Além de estar presente com trabalho social, com as crianças assistidas por lá e recursos financeiros para manutenção e reformas, também são entregues as bebidas de soja. Os pacientes em tratamento oncológico, crianças, adultos e idosos, ingerem o complemento alimentar inclusive via sonda. O que tem proporcionado a boa nutrição deles para continuarem os procedimentos como quimioterapia e radioterapia, que são altamente invasivos.

Ainda em relação a este hospital, os produtores de soja e milho do estado já doaram quase R$ 3 milhões para referido centro de tratamento oncológico, que foram investidos na estruturação da nova ala de atendimento, na construção e equipamentos de seis UTI’s oncológicas infantis, e uma parte, ainda, para o Hospital de Câncer de Rondonópolis.

 

Os recursos que mantem boa parte do Instituto Matogrossense dos Cegos (AMC), localizado em Cuiabá, são oriundos dos produtores de soja e milho. Por lá, os cegos desenvolvem atividades que os integram com a sociedade, através do esporte, da cultura, do lazer e de aprendizados essenciais, como aulas de informática.

Não é à toa que colecionamos 8 Selos de Empresa Socialmente Responsável durante solenidade do Prêmio Brotar do Instituto Desportivo da Criança (IDC), que celebra e reconhece a importância dos parceiros que ajudam na transformação social de crianças atendidas pelo Instituto. Atualmente 700 crianças, em Cuiabá, Várzea Grande, Chapada dos Guimarães, distritos da Guia e Sucuri, participam dos projetos oferecidos nas áreas de educação, esporte, cultura e música.

É muito importante frisar que os produtores de soja e milho se preocupam com as pessoas não só na área social, mas trabalhista, ambiental e econômica. Por meio de projetos e programas importantes nas áreas de sustentabilidade, defesa e política agrícola, buscando maior produtividade de alimentos, mas cuidando do bem mais precisos que é o meio ambiente, e desta forma, das gerações futuras.

Exemplo disso é o projeto Guardião das Águas, que orienta e apoia o produtor rural na manutenção, preservação e restauro das nascentes em Mato Grosso. Já foram mapeados 26 municípios, na primeira fase do projeto, e os dados apontam que os agricultores mato-grossenses preservam 95% das nascentes localizadas em áreas de plantio. Tem também o Soja Plus, programa de melhoria contínua da propriedade em âmbitos ambientais, trabalhistas e socioambientais.

Há muito tempo que o agro se preocupa com o bem estar social de quem mais precisa em Mato Grosso. Não é só na pandemia, nós cuidamos de milhares de famílias há décadas. Deixo um convite à toda sociedade que procure a Aprosoja-MT e conheçam com mais detalhe o trabalho social, de auxílio, amor, carinho e dedicação, desenvolvido pelo agro do estado.

* Fernando Cadore é produtor de soja e milho, engenheiro agrônomo, atual vice-presidente da Aprosoja Mato Grosso, membro da Aprosoja Brasil. Atua como membro do Instituto Brasil Logística (IBL), do Instituto Pensar Agro (IPA) e da International Soybean Growers Alliance (ISGA), em português, Aliança Internacional dos Produtores de Soja.

 

Fonte: Ascom Aprosoja

Assessoria de Comunicação

Contatos: Telefone: 65 3644-4215 Email: [email protected]

Fonte: APROSOJA

Comentários Facebook
publicidade

Agro News

Sustentabilidade da Aprosoja apresenta balanço do CT etapa milho

Publicado


Sustentabilidade

Sustentabilidade da Aprosoja apresenta balanço do CT etapa milho

As etapas de soja e milho são referentes aos meses de janeiro a setembro deste ano

01/12/2020

A Comissão de Sustentabilidade da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja) se reuniu na sexta-feira (27.11), por meio de videoconferência, para apresentar o balanço do Circuito Tecnológico 2020. Este ano os trabalhos iniciaram em janeiro e foram até abril na etapa milho. Cento e setenta e sete propriedades foram visitadas e mais de 300 amostras de fertilizantes coletadas, chegando a um resultado de cerca de 22% por cento de reprovação em pelo menos 1 elemento.

Já na etapa soja, que foi de abril a setembro as visitas ocorreram em mais de 717 propriedades, em 97 municípios. Ao todo, 1611 amostras coletadas com mais de 17% de reprovação em pelo menos um elemento.

A gerente de Sustentabilidade Socioambiental da Aprosoja, Marlene Lima, afirmou que a preocupação era de não poder atender as demandas por conta da pandemia. “Mudamos a estratégia e tivemos um resultado surpreendente. Agendamos as visitas de acordo com os chamados dos produtores rurais para entrarmos nas propriedades, com isso aumentou o número de atendimento. Realizamos 2700 coletas de fertilizantes, e visitamos quase 2 mil propriedades. Entre 15 e 20 dias os participantes já recebiam o laudo das amostras pelo whatsApp.

A pesquisa de satisfação também foi outra supressa, afirma Marlene. “O produtor rural considerou de forma positiva nosso trabalho e tivemos 100% de satisfação”, pontuou.

O encontro contou com a participação do consultor técnico de Vinhedo-SP, José Francisco da Cunha, e de 35 produtores rurais, além do delegado coordenador de Jaciara, Celestino Piotto e supervisores da Aprosoja.

Para mais informações sobre o balanço do Circuito Tecnológico etapa milho e soja entrar em contato com a Comissão de Sustentabilidade da Aprosoja, por meio do telefone: (65) 3644-4215.

 

Fonte: Ascom

Assessoria de Comunicação

Contatos: Telefone: 65 3644-4215 Email: [email protected]

Fonte: APROSOJA

Comentários Facebook
Continue lendo

Agro News

Aprosoja realiza live sobre importância logística para sociedade

Publicado


Política Agrícola e Logística

Aprosoja realiza live sobre importância logística para sociedade

Vão participar IMEA, Movimento Pró-Logística e ABA

30/11/2020

 A Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja), em parceria com a Associação Brasileira de Advogados (ABA), Movimento Pró-logística de Mato Grosso e o Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (IMEA), realiza nesta terça-feira (01.12), às 18h30, live sobre  “A Importância da Logística para o setor produtivo e para sociedade”. Evento online será transmitido nos canais do YouTube e páginas do Facebook da Aprosoja e ABA.

Vão participar da live o presidente da Aprosoja, Antonio Galvan, o diretor executivo do Movimento Pró-Logística, Edeon Vaz, o superintendente do IMEA, Daniel Latorraca e a diretora da ABA MT, Ana Lúcia Ricarte. A mediação ficará a cargo da advogada e presidente da Comissão do Agronegócio da ABA, Paula Boaventura.

De acordo com o superintendente do IMEA e palestrante do evento, Daniel Latorraca, o objetivo é discutir como está a logística hoje e como estará no futuro, bem como o resultado de tudo isso na produtividade e na qualidade de vida das pessoas. “Nosso principal gargalo hoje é a logística, e nossa ideia é trazer alguns dados, analisar o que já se passou e o que poderá vir pela frente, bem como o impacto de tudo isso não só para o agronegócio como para sociedade “, afirmou Daniel.

“É muito importante que todos estejam atentos e participem de mais este evento promovido pela Aprosoja, pois a logística é de interesse de todos. As rodovias não são só para escoamento da safra, não são só para os caminhões. Nelas passam ambulâncias, ônibus de viagem, carros de passeio, enfim, uma boa trafegabilidade atende toda sociedade não só o agro, por isso é um tema que precisa ser de interesse de todos”, convida o presidente da Aprosoja MT.

Serviço:

O quê? Live sobre “ A Importância da Logística para o setor produtivo e para sociedade”

Quando? 01/12/2020

Horário:18h30

Onde? Youtube e Facebook da Aprosoja e da ABA MT

 

 

Fonte: Ascom

Assessoria de Comunicação

Contatos: Telefone: 65 3644-4215 Email: [email protected]

Fonte: APROSOJA

Comentários Facebook
Continue lendo

Agro News

Aprosoja e LIDE MT debatem Reforma Administrativa

Publicado


Fortalecimento Institucional

Aprosoja e LIDE MT debatem Reforma Administrativa

O evento contou com a participação de líderes empresariais e políticos que discutiram no formato almoço-debate o assunto

18/11/2020

Em Mato Grosso, o movimento pela Reforma Administrativa cresce. Lideranças de diferentes segmentos econômicos voltaram a debater o assunto nesta terça-feira (17), presencialmente e por meio de plataformas digitais. O evento, no formato almoço-debate, foi promovido pela Associação dos Produtores de Soja e Milho do Estado, (Aprosoja), em parceria com o Grupo de Líderes Empresariais de Mato Grosso (LIDE MT).

Na tônica dos debates, o alerta de que reformas administrativa e tributária precisam ser encaradas pelo Estado brasileiro de forma sinérgica e urgente. Na prática, conforme exaltam lideranças setoriais, a matriz tributária no Brasil precisa ser revista, como nunca, para que o ambiente de negócios seja mais atrativo a investimentos e geração de empregos. Mas para além do sistema ideal de arrecadação de tributos, é necessário que gestões públicas gastem menos e melhor, entregando valor à sociedade.

“Essa pauta precisa ser externada à sociedade, que é a grande impactada, tanto em relação à reforma administrativa quanto em relação à reforma tributária. Isso não é um enfrentamento contra o servidor público. O que estamos defendendo é a equalização de despesas da máquina pública”, destaca Wellington Andrade, diretor executivo da Aprosoja.

Estudo divulgado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) em setembro projeta que medidas de enxugamento na máquina pública podem gerar uma economia de R$ 1,750 trilhão aos cofres brasileiros no período de 2021 a 2039. As cifras consideram impactos de medidas já adotadas, com destaque ao congelamento dos vencimentos de diversas carreiras do funcionalismo público no período 2020-2021, e ações futuras propostas no âmbito de uma reforma administrativa.

O tema, certamente, é polêmico. “A Reforma Administrativa mexe com uma palavrinha chave chamada estabilidade. O corporativismo vai agir como anticorpos gigantes. Eles estarão lá. É inaceitável que durante uma crise como essa da Covid, onde todos cortamos na carne, não haja uma contribuição do funcionalismo, da máquina pública. Houve? Desconheço”, declara o presidente do LIDE Indústria, Paulo Nigro, um dos CEOs de maior renome no país.

Queda de braço – Voz política que se projeta nas articulações pela aprovação da Reforma Administrativa em Brasília, o deputado federal por São Paulo Vinícius Poit (Novo) acredita que a matéria será votada no Congresso Nacional ainda no primeiro semestre de 2021. Até lá, prevalecerá uma intensa agenda de discussões partidárias e entre corporações, que já antevê, como próximo capítulo, a propositura de emendas ao texto final do projeto.

“Lutaremos para ser a melhor reforma possível. Mas é sabido que não adianta querer tudo. Pode-se não chegar ao ideal, mas vamos caminhar. O Governo (federal) está praticamente refém do Centrão no Congresso Nacional e está indo para um caminho perigoso. Realmente, será difícil. E é por isso que precisamos ser fortes”, posiciona Poit.

A régua do contribuinte – Para o presidente do LIDE MT, Evandro César dos Santos, a composição ideal entre reforma administrativa e tributária deve se apoiar em dois pilares fundamentais: o poder contributivo do brasileiro e um gasto público verdadeiramente focado no interesse público, na economicidade e na eficiência.  

“E não estamos falando somente do Poder Executivo. O Legislativo e o Judiciário também precisam se empenhar nessa missão. Vamos a um exemplo prático: na casa da gente, se não alinharmos o gasto com aquilo que há de receita, temos o desafio gigante de cobrir as contas. Numa empresa, isso pode culminar num problema sério, que é a insolvência, a falência. O gasto público deve ser concebido e executado sob essa mesma ótica, para que os investimentos necessários à população efetivamente aconteçam”, observa.  

 

 Com Assessoria LIDE MT

 

 

 

Fonte: Ascom

Assessoria de Comunicação

Contatos: Telefone: 65 3644-4215 Email: [email protected]

Fonte: APROSOJA

Comentários Facebook
Continue lendo

Nova Xavantina

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana