conecte-se conosco


Policia Federal

Polícia Federal e Europol apresentam balanço da Operação Entreprise

Publicado


Brasília/DF – A Polícia Federal e a Europol apresentaram, hoje (27), o balanço de operação conjunta deflagrada no dia 23 e que teve desdobramentos no Brasil, Colômbia, Panamá, Portugal, Espanha, Bélgica, Holanda, Romênia e Dubai.

A operação iniciada pelas autoridades brasileiras foi batizada como Operação Enterprise e como Operação “Chameleon” (Camaleão) na Europa. A ação contou com a participação de centenas de policiais em diversos países e teve por objetivo a desarticulação financeira de organizações criminosas responsáveis pelo envio de dezenas de toneladas de cocaína para países europeus, utilizando principalmente portos brasileiros como rota.

A PF e as autoridades europeias envolvidas consideram a atuação como a maior já realizada contra o tráfico de cocaína nessa modalidade, e reforçam a necessidade de integração e ações coordenadas entre as polícias de todo o mundo para o enfrentamento ao tráfico de drogas.

No Brasil, a Polícia Federal vem adotando o fortalecimento da cooperação policial internacional, juntamente com a prisão de lideranças e a descapitalização das organizações criminosas, como uma de suas diretrizes para o enfrentamento ao tráfico de drogas, de armas e às facções. A instituição representa o Brasil junto aos organismos policiais internacionais tal integração.

A atuação conjunta com outros países permitiu que as autoridades apreendessem, no exterior, mais de 12 milhões de euros em espécie, veículos de luxo, quatro imóveis no valor de 6,5 milhões de euros, além da prisão de seis pessoas – uma na Colômbia, uma no Panamá, uma na Bélgica, uma na Espanha e duas em Dubai.

Após a deflagração, ocorrida no dia 23, a Polícia Federal ainda bloqueou 37 aeronaves e R$ 3,2 milhões em contas bancárias, além de sequestrar dezenas de imóveis, todos adquiridos com o lucro das atividades ilícitas.

O total de bens apreendidos no Brasil e no exterior, em razão da investigação, está avaliado em cerca de R$ 463 milhões e passa a integrar o recorde histórico de mais de R$ 1,13 bilhão em bens apreendidos e sequestrados do tráfico de drogas pela Polícia Federal em 2020. Esse valor representa quase o dobro do recorde anterior e é resultado da atual estratégia da Polícia Federal para desarticular o crime organizado.

 

Comunicação Social da PF

Comentários Facebook
publicidade

Policia Federal

PF combate promoção de imigração ilegal

Publicado


Belo Horizonte/MG – A Polícia Federal deflagrou hoje, 2/12/2020, a Operação “LEI DO RETORNO”, para combater a promoção de entrada ilegal de brasileiro em país estrangeiro, praticada por associação criminosa sediada na região de Caratinga/MG. A PF representou por três mandados de busca e apreensão, expedidos pela Vara Única da Justiça Federal em Manhuaçu/MG e cumpridos em Caratinga e Tarumirim. A investigação faz parte de ação de cooperação policial internacional contra o tráfico de pessoas.

Policiais Federais do Brasil que atuam na Adidância da PF em Washington/EUA realizaram diligências em parceria com autoridades policiais norte-americanas e encaminharam à Polícia Federal no Brasil dados que levaram à identificação de agenciadores. Esses investigados, visando à obtenção de vantagem econômica, estariam promovendo a entrada massiva e clandestina de brasileiros nos Estados Unidos da América. Suas vítimas eram submetidas a condições degradantes durante a imigração e desembolsavam entre 15 e 18 mil dólares pela logística da viagem – passagens aéreas, hospedagens, transportes terrestres e contratação, em solo mexicano, dos guias denominados coiotes, responsáveis pela travessia da fronteira com os EUA.

Um brasileiro de Tarumirim/MG, preso em agosto último pela Polícia de Fronteira dos EUA por ingresso ilegal e enviado de volta ao México, foi encontrado morto 11 dias depois em área da fronteira entre El Paso e Texas. Uma das linhas investigativas considera a hipótese de que o homicídio decorreu da impossibilidade de arcar com dívidas assumidas junto aos coiotes, parceiros dos agenciadores da região de Caratinga.

Os investigados responderão pelos crimes de associação criminosa e de promover, por qualquer meio, com o fim de obter vantagem econômica, a entrada ilegal de brasileiro em país estrangeiro, cujas penas somadas podem chegar a mais de nove anos de reclusão, se condenados.

 

Seguindo todos os protocolos de cuidados do Ministério da Saúde em face da pandemia do Covid-19, a Polícia Federal continua trabalhando.

 

Comunicação Social da Polícia Federal em Minas Gerais

Contato: [email protected]

www.pf.gov.br

(31) 3330-5270

Comentários Facebook
Continue lendo

Policia Federal

PF deflagra a Operação Pomar para investigar esquema de lavagem de dinheiro e sonegação fiscal em SP

Publicado


Sorocaba/SP – A Polícia Federal e a Receita Federal do Brasil deflagraram hoje (2/12) a Operação Pomar, ação por meio da qual estão sendo cumpridos 15 mandados de busca e apreensão, além do bloqueio (sequestro) de contas-bancárias, veículos e imóveis, até o limite de R$ 78,1 milhões. Os mandados de busca e apreensão, expedidos pela 6ª Vara da Justiça Federal em São Paulo/SP, estão sendo cumpridos nas cidades de Sorocaba/SP, Votorantim/SP e Indaiatuba/SP.

As investigações foram iniciadas no âmbito criminal em 2019, em inquérito policial que tramita na Polícia Federal em Sorocaba/SP, instaurado para apuração de possíveis crimes de sonegação fiscal e lavagem de dinheiro. O objetivo da Operação é coletar provas acerca de possíveis crimes de fraude fiscal, lavagem de dinheiro e falsidade ideológica, em tese praticados por representantes do Grupo Empresarial investigado e de profissionais do ramo da contabilidade.

 

Os supostos crimes consistem, em suma, na utilização de empresas que aparentam ser “de fachada” para emissão de Notas Fiscais falsas, com o objetivo de gerar créditos tributários ilegítimos. Estima-se que, apenas nos anos e 2014 e 2017, tenham sido emitidas mais de 6 mil Notas Fiscais, que alcançam um volume financeiros de R$ 689,1 milhões, com suspeitas de falsidade, todas endereçadas a três das pessoas jurídicas do Grupo Empresarial investigado. Além disso, também está sob investigação eventual ocultação de patrimônio imobiliário, mediante a escrituração de imóveis em nome de pessoas jurídicas desprovidas de capacidade econômico-financeira para tanto.

 

O nome da Operação, qual seja, “POMAR”, deve-se ao fato de que as empresas supostamente “de fachada”, que emitiram Notas Fiscais com aparência de falsidade às pessoas jurídicas do Grupo Empresarial investigado, foram constituídas em nome de interpostas pessoas, popularmente conhecidas como “laranjas”.

 

Comunicação Social da Polícia Federal em Sorocaba/SP

Contato: (15) 3416-5200

 

*** O nome da Operação, qual seja, “POMAR”, deve-se ao fato de que as empresas supostamente “de fachada”, que emitiram Notas Fiscais com aparência de falsidade às pessoas jurídicas do Grupo Empresarial investigado, foram constituídas em nome de interpostas pessoas, popularmente conhecidas como “laranjas”.

 

Comentários Facebook
Continue lendo

Policia Federal

Polícia Federal apreende cerca de 2,5 toneladas de cocaína na Baixada Fluminense

Publicado


Rio de Janeiro/RJ – A Polícia Federal prendeu em flagrante dois homens e apreendeu cerca de 2,5 toneladas de cocaína, na noite de ontem (01º/12), em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, estado do Rio de Janeiro.

Trata-se da maior apreensão de Cloridrato de Cocaína (forma mais pura e valiosa da droga) já realizada no estado e uma das maiores já registradas no Brasil.

A PF obteve informações de que uma organização criminosa estaria se valendo de um galpão para armazenagem do entorpecente. Após um trabalho de investigação, que identificou movimentação suspeita de veículos no local, os policiais federais realizaram a incursão que resultou no flagrante da noite passada.

Dois homens que estavam no local foram presos e, com eles, foram apreendidas também, duas armas sem registro, sendo uma pistola e um revólver, além de um rádio comunicador.

As substâncias encontradas foram submetidas ao laudo pericial criminal preliminar e o resultado foi positivo para cocaína.

O entorpecente apreendido foi encaminhado à Superintendência da Polícia Federal no RJ e a pesagem registrada foi de 2,466 toneladas da droga.

Os presos foram indiciados e responderão pelo crime previsto no Art. 33 da Lei 11.343/06 – Tráfico de Drogas, cuja pena pode chegar aos 15 anos de reclusão, sem prejuízo de eventuais outros crimes no decorrer da investigação.

Comunicação Social da Polícia Federal no Rio de Janeiro
[email protected] | www.pf.gov.br
(21) 2203-4404 / 4405 / 4406 / 4407

Comentários Facebook
Continue lendo

Nova Xavantina

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana