conecte-se conosco


Policial

Primeira operação de combate a pirataria do ano apreende 154 réplicas de óculos na Capital

Publicado

Assessoria | PJC-MT

A Delegacia Especializada do Consumidor (Decon), em parceria com o Procon Municipal e apoio de outras delegacias da região metropolitana, realizou nesta quinta-feira (23.01), a primeira operação de combate a pirataria do ano, na Capital. A operação intitulada “Pirataria 1” apreendeu mais de 150 óculos réplicas de marcas famosas, que eram comercializados a preço muito abaixo ao de mercado.

O trabalho contou com apoio das equipes da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (DERF) de Cuiabá, Delegacia Especializada de Repressão a Roubos e Furtos de Veículos (DERRFVA), e Delegacia Especializada de Direitos da Criança e Adolescente (Deddica).

As investigações iniciaram após a Decon receber requerimento das marcas dos fabricantes de óculos e acessórios Okley e Ray-Ban sobre a comercialização de supostas réplicas de seus produtos. Os alvos de averiguações foram seis bancas de um comércio coletivo, localizado no Bairro Dom Aquino, em Cuiabá.

Em todas as bancas fiscalizadas foram apreendidos possíveis réplicas das marcas, totalizando 154 óculos, sendo 78 Ray-Ban e 76 Oakley. Os produtos recolhidos foram encaminhados a Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec)

Segundo o delegado, Antônio Carlos de Araújo, nas lojas foram localizadas réplicas de outras marcas, porém somente foram recolhidos os produtos dos fabricantes que registraram a reclamação. “Pois somente as duas mandaram o ‘modelo padrão’ dos seus produtos para confronto pela perícia”, explicou o delegado.

Os seis Autos de Investigação Preliminar (AIP) foram transformados em inquérito policial e os responsáveis pelas lojas foram intimados a comparecer à Decon, em data marcada, para prestar esclarecimentos.

Os responsáveis pelos estabelecimentos poderão responder por crimes relativos a condutas praticadas no comércio de produtos falsificados ou pirateados, que estão tipificadas no artigo 190, inciso 1 da Lei 9.279/96, do Código de Propriedade Industrial, pena detenção de 3 meses a 1 ano; artigo 7, inciso 7, VII, da Lei 8.137/90 da lei contra as Relações de consumo, pena de 2 a 5 anos ou multa; por fraudes no comércio, previsto no artigo 175, inciso I do CPB, e ainda por infrações praticadas dentro do Código de Defesa do Consumidor (Lei 8.078/90 em seu artigo 67).

Comentários Facebook
publicidade

Policial

Polícia Civil identifica quadrilha que aplicou golpes em Barra do Garças

Publicado

A Polícia Judiciária Civil, por intermédio da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf), cumpriu na quarta-feira (19/2), um mandado de busca e apreensão em uma residência localizada na cidade de Barra do Garças/MT, logrando êxito em apreender farta documentação, holerites, boletos bancários, HDs, aparelhos e celulares.

Conseguindo assim provas robustas para comprovação dos delitos investigados em inquérito policial em trâmite na delegacia que apura crimes de estelionato, associação criminosa, falsificação de documentos particulares e receptação.

As investigações iniciaram em outubro/2019 quando a delegacia foi procurada por dois envolvidos no esquema criminoso, os quais colaboraram com as investigações.

Os policiais descobriam que a quadrilha envolvida no esquema já estava atuando nos golpes há mais de um ano e neste período pelo menos 14 lojas e cinco instituições financeiras foram vítimas dos suspeitos, causando um prejuízo estimado em 200 mil reais.

O esquema foi idealizado por um dos envolvidos do grupo criminoso, o qual convidava outras pessoas para participar de uma empresa criada para praticar delitos. Ele dizia ser Hacker e que conseguia acessar os bancos de dados das empresas de negativação de crédito e retirar os protestos pelo não pagamentos de dívidas.

Sendo assim, propunha aos seus comparsas que usaria os documentos dos envolvidos, aproveitando do Score para fazer crediários nas lojas da cidade e posteriormente adquirir produtos parcelados em boletos, os quais não eram pagos.

Estes objetos eram vendidos em classificados e o dinheiro rateado em os membros da associação criminosa. Além das lojas eles abriam contas em instituições financeiras e conseguiam aprovação de limites utilizando de holerites falsificados, sacando o dinheiro e fazendo o rateio.

Segundo os Delegados Nelder Martins e Wilyney Santana Borges Leal que presidem as investigações, este pode ser o maior esquema montado na região do Araguaia para lesar o comércio, que acaba ficando no prejuízo, pois os boletos não são pagos.

Até o momento, segundo os delegados, já foram identificados pelos menos 28 pessoas com envolvimento no esquema criminoso. As investigações prosseguem com a análise dos documentos e objetos colhidos durante o mandado de busca e apreensão.

 

Fonte Araguaia Noticia

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Vários detidos por tráfico no bairro Guarujá em Água Boa

Publicado

Policias Militares efetuando trabalho de rotina pelo bairro Guarujá, notaram ontem um suspeito tentando entrar em uma residência, aparentando nervosismo.

O local já é conhecido como ‘boca de fumo’. O suspeito estava de posse de um perfume importado e contou que havia ganho de presente de sua namorada. Quando os policiais disseram que iriam chamar a namorada para confirmar a versão, ele desconversou.

Uma das pessoas da casa também afirmou que não conhecia o suspeito. Diante do quadro, os policiais também fizeram buscas na residência e encontraram pequenas porções de pata base de cocaína.

Uma das mulheres da casa passou a xingar os policiais e por isso, foi detida por desacato. Os demais suspeitos flagrados também foram encaminhados para a Delegacia de Polícia para os procedimentos de praxe.

Fonte Interativa FM

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Operação Interfectores cumpre mandados para esclarecer homicídio ocorrido no município

Publicado


Assessoria | PJC-MT

Oito mandados, sendo sete de buscas e apreensões e um de prisão preventiva, foram cumpridos pela Polícia Judiciária Civil do município de Juína (735 km a noroeste de Cuiabá), na Operação “Interfectores”, deflagrada na manhã desta quinta-feira (20.02).

Cinco pessoas, entre elas um menor de idade, foram presas por tráfico de drogas, associação para o tráfico, corrupção de menores, favorecimento de bebida alcoólica para adolescente e uso de entorpecente.

O suspeito com mandado de prisão preventiva foi preso em cumprimento à ordem e também autuado em flagrante por tráfico de drogas.

Além das prisões, o trabalho operacional resultou na apreensão de drogas, dinheiro, apetrechos para o tráfico, além de veículos usados em ações criminosas.

As ordens judiciais foram decretadas pela Justiça após investigação conduzida pela Delegacia de Polícia de Juína, para apurar crime de homicídio ocorrido na região.

Durante diligências em um dos locais alvos, uma residência no bairro Módulo 4, onde os investigadores apreenderam duas motocicletas, porções de cocaína, maconha, quase R$ 1 mil em dinheiro, balança de precisão, aparelhos celulares e outros produtos usados para embalar e comercializar drogas.

Em outro endereço, os policiais civis cumpriram a prisão preventiva decretada contra o autor de um homicídio ocorrido no dia 05 de fevereiro, em frente a um mercado no bairro Módulo 6. Wemerson do Ouro dos Santos, de 19 anos, foi surpreendido por dois homens em uma motocicleta, que se aproximaram e o garupa efetuou disparos de arma de fogo atingindo a vítima.

Conforme o delegado de Juína, Marco Bortolotto Remuzzi, os indícios apontam que esse homicídio foi motivo por um desentendimento ocorrido entre a vítima e o suspeito, alguns dias antes do crime.

“O resultado positivo da operação é fruto do empenho e excelente trabalho investigativo realizado pelos policiais civis de Juína, com objetivo de combater a criminalidade, em especial os crimes de tráfico de drogas e crimes contra a vida”, destacou o delegado Marco Remuzzi.

Fonte: PJC MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Nova Xavantina

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana