conecte-se conosco


Economia

Projeto de Lei propõe multa de R$ 52 quando motorista de app cancelar corrida

Publicado

passageira e motorista de aplicativo arrow-options
Divulgação

Proposta que multa empresa por cancelamento de corrida está sendo estudada pelo Senado Federal


Um Projeto de Lei que tramita no Senado Federal propõe que o passageiro que usa aplicativos de transporte receba  uma multa de 5% do salário mínimo atual (R$ 1.045) toda vez que o motorista cancelar uma corrida. O valor nesse caso seria de R$ 51,95.   

A proposta (PL 6.476/2019) é de autoria do senador Acir Gurgacz (PDT-RO) e está sob análise da Comissão de Fiscalização e Controle (CTFC) da Casa. O projeto ainda propõe multa de 1% do salário mínimo, ou R$ 10,39, quando o motorista se atrasar.

Uber é banida da Alemanha; veja onde mais a empresa não pode operar

O passageiro não é, entretanto, o único beneficiado pelo PL. O texto ainda prevê medidas para aumentar a segurança do motorista .

Segurança

A ideia seria obrigar aplicativos como Uber, 99 e Cabify, a ” rastrear as rotas do motorista para, no caso de desvios inesperados que gerem suspeitas de estar havendo alguma ameaça contra motorista – como sequestro ou assalto –, expedir alertas para as autoridades competentes “, diz o texto.

Tudo ou nada: entenda o debate sobre o vínculo entre aplicativos e entregadores

 Outra obrigação para as empresas seria ” contratar um seguro destinado a reparar o prejuízo sofrido pelo motorista no caso de furto ou roubo do veículo deste”, está colocado no PL. 

Motorista não é empregado da Uber segundo o STJ: saiba o porquê

Na justificativa da proposta, o senador afirma que “Há poucas garantias de proteção dadas aos consumidores e também aos motoristas. Enquanto a empresa obtém o lucro, estas partes mais vulneráveis acabam suportando riscos e prejuízos desproporcionais”, argumenta.

Comentários Facebook
publicidade

Economia

Vendas do Tesouro Direto caem 27,6% em janeiro

Publicado


source
No ano passado, e no começo de 2020, o Banco Central promoveu uma série de cortes na Selic, a taxa básica de juros da economia, que em fevereiro chegou à mínima histórica de 4,25% ao ano arrow-options
Pixabay/Reprodução

No ano passado, e no começo de 2020, o Banco Central promoveu uma série de cortes na Selic, a taxa básica de juros da economia, que em fevereiro chegou à mínima histórica de 4,25% ao ano

A venda de títulos públicos a pessoas físicas somou R$ 2,047 bilhões em janeiro, informou hoje (26) o Tesouro Nacional. O valor vendido por meio do programa Tesouro Direto representa queda de 27,6% em relação a janeiro do ano passado, quando haviam sido vendidos R$ 2,829 bilhões, o maior valor para o mês.

Mega-Sena sorteia nesta quinta R$ 200 milhões, o 3º maior prêmio da história

O número de investidores ativos somou 1.211.123. Apenas no mês passado, 9.942 participantes passaram a investir em títulos públicos. O número de investidores cadastrados – ativos e não ativos – totalizou 5.945.793 pessoas.

No mês passado, os títulos mais vendidos foram vinculados à taxa Selic (juros básicos da economia). Esses papéis concentraram 55,7% das vendas em janeiro. Em segundo lugar, vieram os papéis corrigidos pela inflação oficial pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que responderam por 29,9% das vendas.

Em terceiro, ficaram os títulos prefixados (com juros definidos antecipadamente), que responderam por 14,4% das vendas. Os investimentos de menor valor continuaram a liderar a preferência dos aplicadores. As vendas abaixo de R$ 1 mil concentraram 67,7% do volume aplicado no mês.

Dólar fecha o dia perto de R$ 4,45, e bolsa cai 7% com coronavírus

Com o resultado de janeiro, o estoque de títulos públicos aplicados no Tesouro Direto teve leve queda de 0,59% em relação a dezembro, alcançando R$ 59,295 bilhões. Isso ocorreu porque, no mês passado, o Tesouro resgatou R$ 3,005 bilhões. A variação do estoque representa a diferença entre as vendas e os resgates, mais o reconhecimento dos juros que incidem sobre os títulos.

O Tesouro Direto foi criado em janeiro de 2002 para popularizar esse tipo de aplicação e permitir que pessoas físicas possam adquirir títulos públicos diretamente do Tesouro, via internet, sem intermediação de agentes financeiros. O aplicador só tem de pagar uma taxa à corretora responsável pela custódia dos títulos. Mais informações podem ser obtidas no site do Tesouro Direto .

A venda de títulos é uma das formas que o governo tem de captar recursos para pagar dívidas e honrar compromissos. Em troca, o Tesouro Nacional se compromete a devolver o valor com um adicional que pode variar de acordo com a Selic, índices de inflação, câmbio ou uma taxa definida antecipadamente no caso dos papéis prefixados.

Comentários Facebook
Continue lendo

Economia

Mega-Sena sorteia nesta quinta R$ 200 milhões, o 3º maior prêmio da história

Publicado


source
mega-sena arrow-options
Agência Brasil

Mega-Sena sorteia nesta quinta o 3º maior prêmio regular da história, de R$ 200 milhões

A Mega-Sena sorteia nesta quinta-feira (27) um prêmio de R$ 200 milhões, o terceiro maior da história dos concursos regulares. As seis dezenas do concurso 2.237 serão sorteadas, a partir das 20h (horário de Brasília), no Espaço Loterias Caixa, localizado no Terminal Rodoviário do Tietê, na cidade de São Paulo.

Leia também: Já imaginou ganhar a Mega-Sena? Veja como prêmios são pagos com segurança

As apostas podem ser feitas até as 19h (horário de Brasília), em qualquer casa lotérica credenciada pela Caixa em todo o país. O bilhete simples da  Mega-Sena , com seis dezenas, custa R$ 4,50.

Ninguém acertou as seis dezenas do concurso 2.236 da Mega-Sena, cujos números sorteados na última quarta-feira (19), foram: 07 – 20 – 38 – 43 – 45 – 53 , então o prêmio, à época estimado em R$ 190 milhões, acumulou.

Em 2020, ninguém conseguiu acertar todos os números em um concurso, então já são 17 sorteios sem vencedor do prêmio máximo. Com isso, a acumulação faz com que o prêmio desta quinta seja estimada em um valor expressivo, de R$ 200 milhões, a terceira maior prêmiação regular – isto é, que exclui a Mega da Virada – de toda a história da maior loteria do Brasil.

Como funciona

O concurso é realizado pela  Caixa Econômica Federal  e pode pagar milhões ao sortudo que acertar as seis dezenas. Os sorteios ocorrem ao menos duas vezes por semana – normalmente, às quartas-feiras e aos sábados. O apostador também pode ganhar prêmios com valor mais baixo caso acerte quatro ou cinco números, as chamadas Quadra e Quina, respectivamente.

Na hora de jogar, o apostador pode escolher os números ou tentar a sorte com a Surpresinha – nesse modelo, o sistema escolhe automaticamente as dezenas que serão jogadas. Outra opção é manter a mesma aposta por dois, quatro ou até oito sorteios consecutivos, a chamada Teimosinha.

Premiação

Os prêmios iniciais costumam ser de aproximadamente R$ 3 milhões para quem acerta as seis dezenas. O valor vai acumulando a cada concurso sem vencedor. Também é possível ganhar prêmios ao acertar quatro ou cinco números dentre os 60 disponíveis no volante de apostas. Para isso, é preciso marcar de seis a 15 números do volante.

Leia também: Dinheiro da aposta não serve só para premiar: quem ganha com recurso da loteria?

O prêmio bruto da Mega-Sena corresponde a 43,35% da arrecadação. Deste valor:

  • 35% são distribuídos entre os acertadores dos seis números sorteados;
  • 19% entre os acertadores de cinco números (Quina);
  • 19% entre os acertadores de quatro números (Quadra);
  • 22% ficam acumulados e distribuídos aos acertadores dos seis números nos concursos de final zero ou cinco; e
  • 5% ficam acumulado para a primeira faixa (Sena) do último concurso do ano de final zero ou cinco.

Comentários Facebook
Continue lendo

Economia

Aéreas usam super desinfetantes para limpar aviões por causa do coronavírus

Publicado


source
aeroporto arrow-options
Agência Brasil

aeronaves utilizadas para evacuar regiões com contaminação de coronavírus são desinfetados

Companhias aéreas internacionais, inclusive aquelas que retiraram pessoas de locais com alta taxas de infecção pelo coronavírus, estão utilizando alguns dos desinfetantes mais fortes do mundo

Eles são capazes de impedir quase tudo, desde doenças sexualmente transmissíveis, herpes, até a superbactéria MRSA, e agora são utilizados para combater o coronavírus em aeronaves.

As companhias aéreas Qantas Airways (Austrália), Korean Air Lines (Coreia do Sul) e Singapore Airlines (Singapura) estão entre as transportadoras que ajudaram a evacuar pessoas do epicentro do surto, a cidade chinesa de Wuhan, e de um navio de cruzeiro no Japão.

Por coronavírus, empresa de cruzeiros veta quem visitou 12 cidades italianas

Por isso, elas intensificaram os esforços de limpeza de aeronaves , e buscam como resultado garantir que os aviões usados ​​nas missões de resgate sejam seguros para serem colocados novamente em uso comercial.

A limpeza padrão a vácuo e a limpeza a bordo se transformaram em esterilizações de nível hospitalar . As informações são do site Bloomberg.com

Produtos

A aérea australiana Qantas usou o Viraclean , um desinfetante de nível hospitalar fabricado pela Whiteley Corp, com sede em Sydney.

Dólar fecha o dia perto de R$ 4,45, e bolsa cai 7% com coronavírus

É um líquido rosa com aroma de limão que mata uma variedade de bactérias e vírus, incluindo hepatite B e herpes simplex , de acordo com o fabricante. Superfícies muito sujas de sangue ou suor devem ser ensopadas com Viraclean não diluído, informa a fabricante.

Já a Korean Air optou pelo MD-125 . Essa é uma versão diluída do D-125 , uma solução de limpeza fabricada pela Microgen e usada em indústrias de cuidados de saúde a avicultura .

A fabricante informa que o MD-125 age contra 142 bactérias e vírus , incluindo salmonela, gripe aviária, HIV e sarampo.

Comentários Facebook
Continue lendo

Nova Xavantina

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana