conecte-se conosco


Agro News

Segunda pesquisa da Aprosoja sobre ferrugem-asiática é publicada em jornal científico do Canadá

Publicado


.

Segunda pesquisa da Aprosoja sobre ferrugem-asiática é publicada em jornal científico do Canadá

O estudo científico denominado de “Severidade da Ferrugem-asiática da Soja Semeada em Diferentes Épocas” é em relação à Safra 2019/2020.

Ascom

11/09/2020

Os resultados da pesquisa comparativa de severidade de ferrugem-asiática em soja semeada em dezembro e fevereiro, em Mato Grosso, foi publicada pelo Centro Canadense de Pesquisa e Educação, no Jornal de Agricultura e Ciência (Vol. 12, No. 10; 2020 ISSN 1916-9752 E-ISSN 1916-9760). Desta vez, o estudo científico denominado de “Severidade da Ferrugem-asiática da Soja Semeada em Diferentes Épocas” é em relação à Safra 2019/2020.

Como conclusão, além da redução do número de pulverizações de fungicidas nos plantios de fevereiro se comparados com os atuais feitos no final de dezembro, a pesquisa demonstrou que os plantios de fevereiro apresentaram menor severidade da ferrugem asiática por Phakopsora pachyrhizi. Os pesquisadores relatam que “a seleção direcional é contínua na safra normal de soja (setembro a dezembro) em 10 milhões de hectares por meio do uso de fungicidas de sítios-específicos, em função do elevado número de pulverizações por safra, assim como devido às plantas invasoras de soja presentes em meio às lavouras de algodão, em 1.0 milhão de hectares, infectada por P. pachyrhizi. Que estes fatores são, certamente, o que podem estar contribuindo para a redução da sensibilidade do fungo a um maior grau do que os plantios de fevereiro. E que estas graves situações devem ser consideradas tanto pelo Serviço Estadual de Proteção de Plantas quanto pela pesquisa”.

E continua a conclusão destacando que os resultados da pesquisa indicam que o período de semeadura pode ser alterado do final de dezembro para fevereiro, mas sempre com o uso de fungicidas multissítios. “Essa mudança, de acordo com o princípio básico de controle de doenças, escape, implica uma redução significativa dos riscos, menos danos ambientais, e uma redução dos custos, e ainda está de acordo com os princípios da Instrução Normativa nº 002/2015, principalmente com a preservação do vazio sanitário da soja, evitando a pressão de seleção do fungo da ferrugem-asiática, devido ao grande número de pulverizações curativas, que ocorrem na semeadura de final de ano”, aponta o a conclusão.

Para a Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja), mais uma vez, a Comunidade Científica reconhece e ratifica o que o produtor rural já vinha constatando em campo. De acordo com a Aprosoja, diversas entidades de pesquisa, dentre elas, a Embrapa Soja, foram convidadas para acompanhar a pesquisa, mas se negaram. Além disso, a Embrapa Soja já havia sido provocada a realizar a pesquisa, mas desconsiderou a possibilidade estudo científico mesmo com financiamento da Aprosoja.

“Essa publicação valida a repetição, em seu segundo ano, da pesquisa comparativa para plantio de semente para uso próprio em dezembro e fevereiro, reconhecendo o mês de fevereiro como o melhor período, demonstrando menos risco ambiental e fitossanitário, e principalmente, respeitando o período do vazio sanitário da soja”, finaliza Aprosoja.

A Pesquisa –O estudo científico a campo, solicitado pela Aprosoja, foi conduzido pela Fundação de Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico Rio Verde e pelo Instituto Agris de Passo Fundo, por meio do professor Ph.D em fitopatologia, Erlei Melo Reis. Nesta segunda fase contou, também, com a participação do professor aposentado da Universidade Federal de Viçosa, Ph.D em fitopatologia, Laércio Zambolim.

 

 

Fonte:

Assessoria de Comunicação

Contatos: Telefone: 65 3644-4215 Email: [email protected]

Fonte: APROSOJA

Comentários Facebook
publicidade

Agro News

NOTA DE PESAR – EUCLIDES ÂNGELO OSSANI

Publicado


.

Fortalecimento Institucional

NOTA DE PESAR – EUCLIDES ÂNGELO OSSANI

Era associado desde 2013 e pertencia ao núcleo de Campo Novo do Parecis

21/09/2020

A Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja) comunica e lamenta o falecimento do senhor Euclides Ângelo Ossani, 67 anos, vítima de um infarto, ocorrido no domingo (20.09) em Tangará da Serra.

 

Euclides era associado à Aprosoja desde 2013, exercia suas atividades agrícolas no município de Campo Novo do Parecis e região desde 1987, quando chegou em Sapezal. Ele deixa esposa, 4 filhos e 3 netas.

 

A diretoria e todos os colaboradores da Aprosoja Mato Grosso se solidarizam com a dor dos familiares, amigos e dos que com ele conviveram na esfera profissional.

 

Fonte: Ascom

Assessoria de Comunicação

Contatos: Telefone: 65 3644-4215 Email: [email protected]

Fonte: APROSOJA

Comentários Facebook
Continue lendo

Agro News

Diretoria da Aprosoja realiza agenda positiva em Brasília

Publicado


.

Fortalecimento Institucional

Diretoria da Aprosoja realiza agenda positiva em Brasília

Os encontros ocorreram na semana passada

17/09/2020

Em extensa agenda em Brasília, presidente, vice-presidente e o diretor-executivo da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja) realizaram visitas e reuniões em Ministérios e órgão do Distrito Federal. Os encontros ocorreram na última segunda-feira (14.09).

Presidente Antonio Galvan, vice-presidente Fernando Cadore e diretor-executivo, Wellington Andrade, trataram sobre desmatamento e queimadas em reunião com o vice-presidente do Brasil, Hamilton Mourão. Com a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Tereza Cristina, os representantes da Aprosoja discutiram assuntos de interesse dos produtores de soja e milho.

A coordenadora-geral de Sementes, Mudas e Proteção de Cultivares da Secretaria de Defesa Agropecuária do Mapa, Virginia Arantes, também recebeu a comitiva da Aprosoja e tratou sobre cultivares e biotecnologia.

Já o secretário Especial de Assuntos Fundiários do Mapa, Nabhan Garcia, recebeu demandas do setor produtivo relacionadas à regularização fundiária para Mato Grosso.

Os representantes da Aprosoja Mato Grosso também tinham reunião com o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, mas por conta de conflito de agendas, o encontro foi reagendado. A comitiva mato-grossense foi acompanhada pelo presidente e diretor-executivo da Associação Brasileira dos Produtores de Soja (Aprosoja Brasil), Bartolomeu Braz e Fabricio Rosa, respectivamente.

 

Fonte: Ascom

Assessoria de Comunicação

Contatos: Telefone: 65 3644-4215 Email: [email protected]

Fonte: APROSOJA

Comentários Facebook
Continue lendo

Agro News

Fim do Vazio Sanitário: produtor deve ter cautela para iniciar o plantio, orienta Aprosoja

Publicado


.

Fim do Vazio Sanitário: produtor deve ter cautela para iniciar o plantio, orienta Aprosoja

A partir de agora os produtores rurais estão autorizados a plantar os grãos

15/09/2020

A partir de amanhã (16.09), produtores rurais estão autorizados a plantar soja em Mato Grosso. É que nesta terça-feira (15.09), termina o Vazio Sanitário da Soja no Estado, após três meses de vigência. Para Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja) mesmo com a liberação, produtores precisam ser cautelosos para iniciar o plantio devido as atuais condições climáticas. O período proibitivo existe há 14 anos e é uma das medidas fitossanitárias mais importantes para a prevenção e controle da ferrugem asiática na oleaginosa.

Presidente da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja), Antonio Galvan, ressalta a importância de o produtor estar atento ao iniciar o plantio, já que o Estado passa por um longo período de estiagem. Conforme as previsões do Projeto AproClima, as chuvas só devem acontecer na última semana de setembro, em Mato Grosso. Cautela é o melhor caminho, conforme o presidente.

“Se tem uma coisa que o produtor rural tem é otimismo, mas nossa orientação se baseia na cautela, já que meteorologistas falam do período um pouco tardio das chuvas, principalmente este mês de setembro. Não coloque agora as duas culturas em risco (soja e milho), é preciso cautela e esperar a chegada das chuvas”, orientou.

Galvan lembra que a entidade tem lutado e apoia integralmente o Vazio Sanitário da soja. “Incansavelmente temos lutado para manter esse período e o apoiamos, inclusive, livre de qualquer tipo de pesquisa que tenha soja. O defendemos desde a criação em 2006 e continuaremos lutando para que o vazio exista em sua totalidade”, reforçou.

Ferrugem Asiática – A ferrugem asiática da soja ocasiona perdas em torno de 20% ao ano, provocando a desfolha precoce da planta e impedindo a completa formação dos grãos, o que gera redução na produtividade, sendo considerada uma doença de importância econômica.

Vazio Sanitário – O Vazio Sanitário foi instituído pela Instrução Normativa conjunta nº 002/2015, entre a Secretaria de Desenvolvimento Econômico e o Instituto de Defesa Agropecuária do Estado de Mato Grosso (Indea-MT).

Clima safra 20/21 – De acordo com o professor PhD em Meteorologia pela Universidade de Wisconsin (USA), Luiz Carlos Molion, as chuvas na safra 2020/2021 devem ficar dentro da média. “Produtores rurais não precisam ter pressa para o plantio da safra 2020/2021, embora as chuvas possam atrasar um pouco, pode-se esperar um volume maior de água para o início de 2021, mas no geral estará na média. Não precisa se preocupar com chuvas nessa safra”, pontuou durante palestra online promovida pela Aprosoja.

 

 

Fonte:

Assessoria de Comunicação

Contatos: Telefone: 65 3644-4215 Email: [email protected]

Fonte: APROSOJA

Comentários Facebook
Continue lendo

Nova Xavantina

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana