conecte-se conosco


Agro News

Seminário discutirá importância de hidrovias para o agro brasileiro

Publicado

Política Agrícola e Logística

Seminário discutirá importância de hidrovias para o agro brasileiro

Nos dias 31 e 01, em Cuiabá

Agência Brsil

30/10/2019

A Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja-MT) participará de dois eventos que discutirão o transporte hidroviário brasileiro. O primeiro será na quinta-feira (31.10), às 19h. O outro acontecerá na sexta-feira (01.11) das 8h às 18h. Ambos são de iniciativa do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) com apoio da entidade e do Movimento Pró-Logística. As discussões serão no auditório da Federação das Indústrias do Estado de Mato Grosso (FIEMT), em Cuiabá

O tema “A importância das hidrovias para o Arco Norte do Brasil” será debatido no dia 31 de outubro em painel liderado  pela Frente Parlamentar Mista de Logística e Infraestrutura (FRENLOGI) e pelo Instituto Brasil Logística (IBL), contará com a presença do presidente da Aprosoja Mato Grosso, Antonio Galvan, e do diretor-executivo do Movimento Pró-Logística, Edeon Vaz, bem como dos demais diretores da entidade e especialistas e autoridades ligadas ao tema.

No dia 01 de novembro as discussões serão no seminário “Diálogos Hidroviáveis”, que trará à tona questões relativas à importância das hidrovias para o agronegócio e o turismo no Brasil.

Conforme Edeon Vaz, o transporte hidroviário é mais barato que os rodoviário e ferroviário. Chega a custar 70% a menos em um dos casos. “Vamos falar sobre os problemas que nós temos na questão hidroviária, lembrando que hidrovia é o modal mais econômico e ecológico que existe. Se colocarmos em uma escala, o rodoviário representa 100, ferroviário 70 e hidroviário 30. Então o transporte hidroviário é a alternativa que apresenta menos custos. É um assunto extremamente importante essa discussão com a sociedade e o meio acadêmico. É importante que todos participem”, explicou Vaz.

Painéis, convidados e horários podem ser consultados no site do evento, neste link. 

Fonte: Ascom Aprosoja

Assessoria de Comunicação

Contatos: Telefone: 65 3644-4215 Email: [email protected]

Comentários Facebook
publicidade

Agro News

STF adia decisão sobre alteração do Convênio 100

Publicado


Defesa Agrícola

STF adia decisão sobre alteração do Convênio 100

Na soja o impacto anual de R$ 8 bilhões no custo aos produtores

19/02/2020

O Supremo Tribunal Federal (STF) adiou o julgamento da ação do PSOL, que contesta as isenções de impostos federais e estaduais para agrotóxicos, previsto no Convênio 100. A sessão estava marcada para esta quarta-feira (19.02) e a nova data está prevista para abril.

O benefício fiscal isenta da cobrança de IPI de 24 substâncias e reduz em 60% o ICMS nas operações interestaduais envolvendo 15 tipos de defensivos agrícolas. De acordo com o Ministério da Agricultura, o aumento dos custos de produção pode gerar um impacto de R$ 12 bilhões por ano aos produtores.

A Associação Brasileira dos Produtores de Soja (Aprosoja Brasil) (é amicus curiae), é parte interessada nesta ação, e já fez aporte de informações aos magistrados mostrando que, no caso da soja, haverá um impacto anual de R$ 8 bilhões no custo aos produtores.

Vice-presidente da Aprosoja Brasil e presidente da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja), Antonio Galvan comemora a mudança do julgamento. “Felizmente o Supremo transferiu o julgamento para outra data, ainda não informada. Teremos mais tempo para subsidiar a corte com informações sobre os impactos negativos gerados com a mudança no Convênio 100. Com certeza em algum momento isso será transferido ao consumidor final, chegará às gôndolas dos supermercados. Estamos confiantes que os ministros do STF entenderão a importância do Convênio 100”, afirmou.

 

Com Ascom Aprosoja Brasil

Fonte: Ascom Aprosoja

Assessoria de Comunicação

Contatos: Telefone: 65 3644-4215 Email: [email protected]

Fonte: APROSOJA

Comentários Facebook
Continue lendo

Agro News

Informe ao Produtor: decisão do STF isenta exportações indiretas de pagamento de Funrural

Publicado


Política Agrícola e Logística

Informe ao Produtor: decisão do STF isenta exportações indiretas de pagamento de Funrural

Importante frisar que as contribuições em folha de salários não irão gerar direito de dedução do passivo, já que não houve retenção no faturamento.

18/02/2020

O Supremo Tribunal Federal (STF) fixou entendimento no sentido de que as exportações indiretas feitas pelo produtor rural via tradings são isentas da cobrança de Funrural.  A decisão abre importante precedente, já que parte do passivo do Funrural pode ser extinto. Orientamos que os produtores busquem junto aos compradores os Memorandos de Exportações dos últimos 5 anos para requerer a impugnação dos débitos, parcelados ou não em Refis.
 
Importante frisar que as contribuições em folha de salários não irão gerar direito de dedução do passivo, já que não houve retenção no faturamento.
 
Por fim, a Aprosoja orienta o produtor associado a requerer, não só os memorandos de exportação dos últimos 5 anos, mas também àquele que continuar contribuindo através do faturamento, os memorandos das exportações indiretas que ocorrerem de agora em diante.
 
De acordo com o Convênio CONFAZ nº 84/2009, § 1º da cláusula quarta, até o último dia do mês seguinte ao embarque da mercadoria para o exterior, o estabelecimento exportador deverá encaminhar ao produtor o Memorando de Exportação. Exija o cumprimento desta norma!

Fonte: Ascom Aprosoja

Assessoria de Comunicação

Contatos: Telefone: 65 3644-4215 Email: [email protected]

Fonte: APROSOJA

Comentários Facebook
Continue lendo

Agro News

Querência e Canarana estão entre os 15 maiores produtores de soja do Brasil

Publicado

A microrregião do Médio Araguaia, no Mato Grosso, tem dois municípios entre os 15 maiores produtores de soja do Brasil e, consecutivamente, valor da produção da soja. Também estão, entre os municípios produtores de soja, na lista dos 15 primeiros com maior PIB per capita (Produto Interno Bruto por habitante).

A conclusão é de um estudo do Departamento de Financiamento e Informação da Secretaria de Política Agrícola, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), que cruzou os dados da classificação dos municípios pela Pesquisa Agrícola Municipal (PAM), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), com o PIB per capita de 2017.

Outros municípios, como Diamantino-MT (R$ 91.907) e Nova Ubiratã-MT (R$ 90.449), também apresentaram PIB per capita muito superior à média nacional. Querência-MT tem um PIB per capita de R$ 97.593 (8º entre os maiores produtores de soja), e Canarana-MT R$ 56.107 (15º entre os maiores produtores de soja).

Fonte Agua Boa News

Comentários Facebook
Continue lendo

Nova Xavantina

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana