conecte-se conosco


Saúde

SUS terá exclusividade sobre a CoronaVac, afirma Ministério da Saúde

Publicado

Pasta comprará e distribuirá toda a vacina produzida pelo Butantan

O Ministério da Saúde reafirmou, hoje (9), em nota, que todas as doses da vacinas contra o novo coronavírus que o Instituto Butantan produzir ou importar serão adquiridas pelo governo federal e distribuídas exclusivamente no Sistema Único de Saúde (SUS).

Segundo a pasta, técnicos ministeriais e representantes do laboratório paulista reuniram-se ontem (8) para discutir a incorporação da CoronaVac ao Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação Contra a Covid-19.

Ao fim do encontro, ficou acertado que o governo federal terá o direito de exclusividade de compra de todo imunizante que o Butantan produzir ou importar. Além disso, caberá ao ministério disponibilizar a CoronaVac para os 26 estados brasileiros, mais o Distrito Federal, simultaneamente e proporcionalmente ao tamanho da população de cada unidade federativa.

“Assim, brasileiros de todo o país receberão a vacina simultaneamente, dentro da logística integrada e tripartite, feita pelo Ministério da Saúde e as Secretarias Estaduais e Municipais de Saúde”, destaca a pasta, em nota divulgada nesta tarde.

Na quinta-feira (7), o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, tinha anunciado a assinatura de um contrato com o Instituto Butantan para adquirir até 100 milhões de doses da CoronaVac. Esse contrato, no entanto, previa a compra inicial de 46 milhões de unidades a serem entregues até abril deste ano e a possibilidade de aquisição de mais 54 milhões posteriormente.

O valor total da compra passa de R$ 2.677 bilhões, incluídas todas as despesas ordinárias diretas e indiretas decorrentes da execução contratual, inclusive tributos e/ou impostos, encargos sociais, trabalhistas, previdenciários, fiscais e comerciais, taxa de administração, frete e seguro, entre outras. O contrato já assinado estabelece que o pagamento seja realizado após a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) conceder ao laboratório o registro ou a autorização para uso emergencial da vacina.

Nova reunião deve ser realizada nos próximos dias, com a participação do ministro da Saúde e de representantes do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) dos estados e do Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems). Nesse encontro, serão detalhados os próximos passos da logística e do calendário da campanha de vacinação.

A CoronaVac é produzida pelo Instituto Butantan em parceria com o laboratório farmacêutico chinês Sinovac.

Ainda na quinta-feira, o governo de São Paulo, ao qual o Butantan é vinculado, anunciou que os testes realizados no Brasil demonstram que a taxa de eficácia mínima da vacina contra o novo coronavírus é de 78%. De acordo com o governo paulista, entre os voluntários que participaram dos testes e contraíram a covid-19, nenhum desenvolveu a forma grave da doença. Também não foi registrada nenhuma morte entre eles.

Comentários Facebook
publicidade

Saúde

Confira quantas doses de vacina contra Covid-19 cada município recebeu

Publicado

A SES distribuiu 113.250 mil doses a 14 polos regionais de saúde; os imunizantes foram recebidos em Mato Grosso 1° de abril

O Governo de Mato Grosso, por meio da Secretaria Estadual de Saúde, concluiu nesta segunda-feira (06.04) a distribuição aos polos regionais de saúde das 113.250 mil doses de vacina contra Covid-19. A quantidade de doses que cada município recebeu foi pactuada pela Resolução n°21 da Comissão Intergestores Bipartite de Mato Grosso (CIB-MT) (veja documento em anexo).

A CIB é composta por membros do Conselho das Secretarias Municipais de Saúde (Cosems) e da Secretaria Estadual de Saúde (SES-MT).

Conforme orientação do Ministério da Saúde, as unidades desta remessa devem ser utilizadas como primeira aplicação e/ ou segunda aplicação aos idosos entre 65 e 79 e trabalhadores da saúde. A distribuição das 896 doses à Força de Segurança, Salvamento e Forças Armadas deve ser pactuada nos próximos dias.

Os municípios deverão acompanhar os imunizados com a primeira dose para que esses possam receber prioritariamente a segunda dose dentro do período estipulado. Para a vacina CoronaVac, o prazo para a aplicação da segunda dose varia entre 14 e 28 dias; já o prazo da aplicação da segunda dose da AstraZeneca é de até 84 dias.

A Resolução nº 21 também pactua a distribuição de 390 doses remanescentes de Coronavac, que foram recebidas em remessas anteriores e mantidas como estoque estratégico.

Caso os municípios alcancem a completa vacinação dos públicos-alvo estabelecidos para a imunização, a CIB orienta a continuidade da imunização dos demais públicos elencados pelo Ministério da Saúde.

Após a distribuição dos imunizantes aos municípios, as vacinas deverão ser armazenadas conforme as condições estabelecidas pela fabricante e Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e com o apoio da segurança pública.

A aplicação das doses deve ser obrigatoriamente registrada pelos municípios no Sistema Nacional do Programa de Imunização (SI-PNI), do Ministério da Saúde.

Até o momento, Mato Grosso já recebeu 561.210 doses de imunizantes contra a Covid-19.

Resolução CIB N° 21 – Distribuição de vacinas contra a Covid-19

Comentários Facebook
Continue lendo

Nova Xavantina

COVID-19 em Nova Xavantina – a situação é preocupante

Publicado

Nova Xavantina, infelizmente, despontou no ranking de contaminação pelo novo coronavírus, sendo a primeira cidade no estado de Mato Grosso incluída na zona de alto risco. De lá para cá a situação piorou e o número de contaminados não para de crescer.

A situação forçou o poder público a impor medidas de segurança, inclusive, decretando a proibição de venda de bebidas alcóolicas no período do dia 22 a 28 de fevereiro. Infelizmente parte da população não entendeu a gravidade do problema, e, segundo uma gari do Munícipio, naquela semana de lei seca, nunca se recolheu tantas latinhas e garrafas de bebidas nos lixos domésticos. “Chegamos a falar com o prefeito sobre o problema. O povo não parou de beber. Nunca se recolheu tantas latinhas e garrafas de bebidas como foi recolhido nessa semana, sem dúvida, o número triplicou.” Disse a gari que prefere não ter o nome divulgado.

No dia 28 de fevereiro o boletim emitido pela Prefeitura Municipal trazia a notícia de 1.604 pessoas contaminadas e 9 pessoas internadas. Registrava, ainda, o triste número de 21 pessoas mortas pelo COVID-19, número que pulou para 22 no dia seguinte.

Nos dias seguintes os casos continuaram a crescer, sendo que no dia 01 foram registrados 11 casos novos e no dia 03 o boletim trouxe 51 novos casos de coronavírus em Nova xavantina. No dia 4 foram 45 casos confirmados e no dia 6 o boletim trouxe outros 39 casos.  Hoje, 08 de março, chegamos a triste marca de 1.765 casos confirmados, com 18 pessoas internadas sendo que destas 3 estão em UTI.

Foi publicado na manhã desta segunda-feira um áudio no mínimo assustador, com a seguinte mensagem: “pessoal, se cuidem pois hoje estamos com 15 pessoas internadas no Hospital Municipal, sendo que uma delas, uma senhora, não está bem e o estado está se agravando e não tem vaga em UTI em Mato Grosso, ela é a 43ª da lista de espera”. Isso quer dizer que qualquer pessoa que precisar de uma vaga em UTI hoje terá que esperar outros 44 pacientes desocupar a vaga, se curando ou morrendo.

Chegamos ao colapso e a situação poderá se complicar muito mais. Se cuide, sabe-se que não tem como viver sem o trabalho, mas, tome os cuidados necessários e se proteja. Se você não está preocupado com você mesmo, se preocupe com o próximo, em especial com o seus entes queridos e amigos. Cuide de você que você estará cuidando de mim.

A boa notícia é que dos 1.765 contaminados, 1.496 se curaram, porém, 229 ainda estão em tratamento e outros 30 estão sendo investigados como casos suspeitos.

Comentários Facebook
Continue lendo

Saúde

Jovem médico lutou, mas foi vencido pelo Covid-19; 26ª vítima da doença em Água Boa

Publicado

O jovem médico Dr. Júlio Olívio Pessini, de 39 anos, faleceu nesta tarde de quarta-feira (24) vítima do novo corona vírus. Ele estava internado na UTI do Hospital Anis Rassi em Goiânia.

Durante a pandemia o médico ajudou a salvar muitas vidas de pacientes com Covid-19.

Dr. Júlio era esposo da  também médica Dra. Bruna Jost, pai do José Pedro e genro do médico Dr. Clóvis Jost.

Atualização em 25.02 às 10h38 – O corpo do médico Dr. Júlio está sendo sepultado agora no Cemitério Municipal de Água Boa.

Água Boa News

Comentários Facebook
Continue lendo

Nova Xavantina

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana