conecte-se conosco


Cuiabá

Vereador Marcos Veloso faz campanha para a rádio Bom Jesus de Cuiabá não fechar as portas

Publicado

span id”docs-internal-guid-8332cc33-7fff-16f5-9971-d5cad0e3d631″>

Rádio Bom Jesus de Cuiabá passa por dificuldades financeiras para manter sua programação católica no ar

Comovido com suspensão da transmissão da rádio Bom Jesus de Cuiabá, ocorrida netas manhã de terça-feira (8), em Cuiabá, o vereador Delegado Marcos Veloso (PV) fez um pronunciamento na sessão da Câmara de Vereadores conclamando os parlamentares da bancada católica e a sociedade em geral para participarem da campanha “Salvem a Rádio Bom Jesus”. Emissora que este ano completou 60 anos de existência, mas amanheceu com suas portas fechadas e seus transmissores desligados devido a falta de energia elétrica, motivada pelas dificuldades financeiras que o veículo de comunicação enfrenta atualmente.

Em seu discurso o parlamentar destacou a importância da rádio como instrumento de evangelização da Arquidiocese Católica na região, especialmente para aqueles que, devido circunstâncias pessoais e sociais, não conseguem participar das missas e de outras atividades religiosas. Fiéis e simpatizantes que têm a rádio Bom Jesus como uma alternativa necessária para o fortalecimento e a comunhão da fé cristã.

O vereador também destacou a campanha encabeçada por ele e por outros fiéis para arrecadar fundo visando a modernização da rádio e o custeio de manutenção dos programas e da transmissão.

“Iniciamos nas paróquias da região a campanha “Salve a Rádio Bom Jesus”, é uma campanha de reconhecimento as seis décadas de trabalho deste importante instrumento de evangelização católica em nossa região. Um veículo que consideramos um patrimônio de nossa sociedade, uma emissora de rádio que está precisando de apoio para dar continuidade a nobre missão de levar aos lares a fé cristão e os ideais católicos em prol das famílias e da população mais necessitada, conclamo todos a participarem desta campanha”, enfatizou o vereador Marcos Veloso.

Graças a mobilização do parlamentar e dos simpatizantes e amigos, as contas de energia da rádio foram pagas e a transmissão dos programas da emissora reestabelecida. Mas a campanha de apoio a rádio continuará até atingir seus objetivos.


Paulo Wagner | Assessoria Vereador Marcos Veloso

Imprimir Voltar Compartilhar:  

</div

Comentários Facebook
publicidade

Cuiabá

Prefeitura divulga painel de casos de Covid-19 em Cuiabá desta quarta-feira (03)

Publicado


.

Nesta quarta-feira (03), Cuiabá tem 888 casos confirmados de residentes no município e 275 de não residentes, mas que estão sendo atendidos na capital. Destes, 248 já estão recuperados da doença e houve 13 óbitos de residentes e 18 de não residentes. Na rede hospitalar há 113 pacientes confirmados com Covid-19 internados, sendo 75 na UTI e 38 em enfermaria. Também estão internados 91 pacientes com suspeita da doença, sendo 38 na UTI e 53 em enfermaria.

Comentários Facebook
Continue lendo

Cuiabá

Prefeito lamenta a morte do presidente da Fapemat

Publicado


.

JL Siqueira / ALMT

Clique para ampliar

O prefeito Emanuel Pinheiro lamenta profundamente a morte do ex-reitor na Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat) e atual presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa de Mato Grosso (Fapemat), Adriano Silva. Ele estava internado em Cáceres e chegou a ser transferido por uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Aérea para a capital, mas não resistiu. Ele apresentou sintomas de coronavírus no último domingo, 31 de maio, e estava internado em um hospital particular de Cáceres desde segunda-feira (1). “É com uma tristeza imensa que recebo essa notícia. Desejo muita força à família neste momento de dor. Que Deus conforte o coração de todos”.  De acordo com o Governo do Estado,  Adriano fez o exame de Covid-19, cujo resultado ainda não saiu.

Comentários Facebook
Continue lendo

Cuiabá

Nestor Fidelis ratifica declarações a Defaz durante oitiva junto a CPI da Semob

Publicado


.

De forma remota, o ex-procurador-geral do município Nestor Fidelis, participou da reunião da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), instaurada na Câmara de Cuiabá para apurar atos de responsabilidade da Secretaria de Mobilidade Urbana (Semob).

Fidelis foi convocado para esclarecer fatos relacionados à aquisição e implantação dos semáforos inteligentes na Capital. Isto porque, na época da concretização do certame, ele respondia pela Procuradoria do Município.

Durante sua oitiva, Fidelis ratificou o que disse em depoimento junto à Delegacia Fazendária (Defaz). “Fui intimido a depor no processo que não tinha conhecimento até aquele momento. Estava sedo apontado como a pessoa que gerou o parecer que originou o contrato. Então, pude esclarecer o fato em questão. Não fui eu quem emitiu o parecer, e eu homologuei o parecer de um procurador de carreira, muito competente por sinal”, pontuou.

No final do ano passado, Fidélis prestou depoimento sobre o caso. Na oportunidade, ele afirmou que a Secretaria de Mobilidade Urbana, sob a responsabilidade do secretário Antenor Figueiredo, ignorou parecer da Procuradoria que apontava várias irregularidades do contrato.

“Analisando o parecer, me recordo que o procurador de carreira fez cinco questionamentos para a Semob para que então, pudesse emitir o seu parecer. Não me recordo se a Semob respondeu os cinco itens. Eu me lembro que emitimos parecer parcialmente favorável a contratação, tendo em vista que era uma adesão de ata de outra cidade, com realidade diferente da nossa”, acrescentou.

O ex-procurador ainda afirmou que disse que, em seu entendimento, o valor do contrato foi alto, e que ele não apresentou eficiência.

A CPI se reúne na próxima segunda-feira (08), para dar seqüência aos trabalhos. Na oportunidade, os vereadores Diego Guimarães (Cidadania), Lilo Pinheiro (PDT) e Wilson Kero Kero (Podemos), membros da Comissão, deverão definir quem será o próximo a ser ouvido pelo grupo.

Além dos semáforos inteligentes, a CPI também apura supostas irregularidades no contrato de serviço de recolhimento, custódia, gestão informatizada de veículos removidos por infrações administrativas ao código de trânsito brasileiro, a Junta Administrativa de Recursos de Infração (Jari) e indústria de multas e taxas.

Kamila Arruda

Comentários Facebook
Continue lendo

Nova Xavantina

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana