conecte-se conosco


Nova Xavantina

Você sabia que 14 de abril não é o dia do aniversário de emancipação político adminstrativa de Nova Xavantina?

Publicado

O município de Nova xavantina foi criado e elevado a categoria de município no dia 3 de março de 1980, pela lei estadual nº 4.176, no entanto, a data não é comemorada nem mesmo lembrada. O principal motivo do esquecimento do aniversário de emancipação política de Nova Xavantina é o artigo 7º da Lei Orgânica de Nova Xavantina que instituiu o dia 14 de abril como data para comemorar a fundação da vila de Xavantina.

O hábito de comemorar o dia do nascimento de uma pessoa surgiu na Roma antiga. Antes disso, já se faziam oferendas, como o bolo, mas não havia uma festividade propriamente dita. A origem estava ligada à ideia de que, na data de aniversário, anjos malignos vinham roubar o espírito do aniversariante e era preciso tomar medidas para prevenir isso. Por ser ligada a superstições, a tradição foi inicialmente considerada pagã pela Igreja Católica e só foi adotada no século 5, quando a instituição passou a celebrar o nascimento de Jesus. Mesmo assim, a prática de comemorar aniversários só se tornou comum no Ocidente no século 19, quando, na Alemanha, foi organizado um festival comemorativo coletivo. As comemorações de nascimentos de cidades tiveram início também apernas no século passado. A data do aniversário é a data do nascimento e o nascimento de uma município é a data de sua criação.

O artigo 7º da Lei Orgânica dedica o dia 14 para comemorar apenas a fundação da cidade de Nova Xavantina e não a data de criação e emancipação politico administrativa.

Art 7º Fica adotada a data de 14 (quatorze) de abril como data histórica, dedicada ao aniversário de fundação da cidade de Nova Xavantina.

Parágrafo Único‑ Lei municipal regulamentará esta data histórica, devendo a mesma ser considerada feriado municipal, devendo ainda o Poder Executivo Municipal desenvolver atividades cívicas, sociais, artísticas e culturais em comemoração ao aniversário da cidade de Nova Xavantina. (Lei Orgânica de NX).

Em 1943, ocorreu a penetração da expedição Roncador-Xingu. A expedição comandada pelo coronel Flaviano de Matos Vanique, alardeava a Marcha para o oeste, de Getúlio Vargas, mas escondia o projeto de trasladar a capital do Brasil do Rio de Janeiro para um quadrilátero na bacia fluvial do Xingu, se assim fosse necessário.

A Capital Federal, com o afundamento de navios brasileiros durante a II Grande Guerra, mostrava-se exposta demais a um ataque inimigo. Sem muitas defesas eficientes.

No dia 14 de abril de 1944, o coronel Vanique lançou a pedra fundamental de Xavantina, na margem direita do rio das Mortes. O nome homenageava ao povo indígena xavante. E no dia 25 de maio o próprio Presidente Getúlio Vargas visitou Xavantina com seleta comitiva, destacando-se o Ministro do Exército, o cuiabano general Eurico Gaspar Dutra

A par desta investida, pretendeu a Fundação Brasil Central fazer assentamento agrário na região. O projeto não evoluiu. Os colonos insatisfeitos debandaram, tornando-se posseiros pelo leste e norte mato-grossense. Novo incremento só se verificou após 1950.

A lei nº 2.059, de 14 de dezembro de 1963, criou o distrito com sede no sítio de Xavantina, mas com a denominação de Ministro João Alberto.

Pela lei nº 3.759, de 29 de junho de 1976, se criou o distrito de Nova Brasília, com sede na margem esquerda do rio das Mortes, em frente ao distrito Ministro João Alberto, formando-se, na prática, uma só comunidade dividida pelo rio.

Quando a região progrediu e chegou o momento da criação do município, as duas sedes distritais lutaram pelo nome. Apaziguaram-se os ânimos com a escolha de nome conciliador. De Nova Brasília se tomou o termo Nova, e se lhe agregou o de Xavantina. As principais discussões sobre o nome união dos dois distritos aconteciam basicamente no salão de reuniões da SAMJA – Sociedade de Amigos de Ministro João Alberto, que tinha em seu bojo, como um dos lideres, o saudoso historiador Archimedes Carpentier. No distrito de Nova Brasília dominava o movimento de separatistas que não queriam se unir com Xavantina, movimento este liderado, entre outros,  pelo saudoso contador João Tiete, movimento este que dominou e o primeiro plebiscito para a criação do município que ocorreu em dezembro de 1979 e teve o NÃO como vitória. Por indicação do então deputado Ricardo Correia, o município foi nomeado de Nova Xavantina, criado dia 3 de março de 1980, pela lei estadual nº 4.176.

Atualmente Nova Xavantina é composta por dois distritos, sendo Nova Xavantina, criado em 03/03/1980 e o Distrito de União do Leste (Antigo banco safra), criado na gestão do então prefeito Robison Pazetto, pela Lei Municipal 1.084, de 08/09/2004, porém, até a presente data não foi instalado.

O Distrito de união do Leste tem os seguintes limites: O ponto inicial será na cabeceira do Ribeirão Areões, por este abaixo até a barra do Ribeirão Rafael, por este acima até o Ribeirão Caçada, por este acima até o Córrego Seco, por este acima até o Ribeirão Felipe, por este  acima até sua mais alta cabeceira daí por uma linha seca até o ponto inicial na cabeceira do Ribeirão Areões.

 

 

Comentários Facebook
publicidade

Nova Xavantina

Corpo de Bombeiros de Nova Xavantina ministra curso de formação de brigada a servidores do município

Publicado

 

Iniciou na última segunda-feira (16) o curso de formação de Brigada de incêndio para 30 servidores da Prefeitura municipal de Nova Xavantina, ministrado pela  4ª CIBM.

Foram três dias de curso, onde foram ministradas instruções teóricas e práticas de Atendimento Pré-hospitalar e combate a Incêndio.  O objetivo do curso é capacitar os servidores com os conhecimentos básicos sobre prevenção, isolamento e extinção de princípios de incêndio, com foco no preparo para atuarem no combate, abandono de área e primeiros socorros, para procedimentos até a chegada  do Corpo de Bombeiros.

brigada de incêndio serve para preservar a vida e os bens de uma instituição. É ela que age diante de situações como as de princípio de incêndio e na prestação de socorro quando ocorrem desmaios ou outras situações que envolvam a necessidade de atendimento em primeiros socorros.

Nesse sentido, a presença desses funcionários, especialmente em espaços onde há a circulação de um número grande de pessoas, é mais do que essencial: é imprescindível.

default

default

default

default

default

default

Comentários Facebook
Continue lendo

Nova Xavantina

EM DUAS OCORRENCIAS DISTINTAS, POLÍCIA CIVIL DE NOVA XAVANTINA PRENDE SUSPEITO COM MANDADO DE PRISÃO EM ABERTO E OUTRO HOMEM POR POSSE ILEGAL DE ARMA DE FOGO

Publicado

A Polícia Judiciária Civil de Nova Xavantina realizou a prisão de dois homens na manhã desta quarta-feira (18.05), onde o primeiro encontrava-se com Mandado de Prisão em aberto em seu desfavor e o segundo foi preso em flagrante por posse ilegal de arma de fogo.

Um homem de 29 anos chegou na delegacia de polícia na parte da manhã alegando que alguns indígenas teriam subtraído sua bolsa com seus documentos quando os policiais desconfiaram de sua atitude, realizando a checagem de seu nome e assim localizando um mandado de prisão em seu desfavor pendente de cumprimento, expedido pela comarca de Barra do Garças por crimes de furto qualificado e roubo majorado, praticado no ano de 2016.

Já o segundo homem foi preso durante as investigações de alguns crimes de roubos na cidade, onde em buscas numa residência fora localizada uma espingarda calibre 20, juntamente com 42 munições do mesmo calibre, razão pela qual foi detido e apresentado ao Delegado de Polícia que ratificou a prisão arbitrando fiança ao conduzido que após realizar o pagamento foi liberado.

Já o homem com Mandado de Prisão, recebeu voz de prisão na delegacia e após passar pelo exame de corpo de delito será apresentado ao Juízo local para Audiência de Custódia e em seguida será encaminhado ao Presídio Major Zuzi Alves da Silva na cidade de Água Boa/MT, onde permanecerá à disposição da Autoridade Judicial.

Comentários Facebook
Continue lendo

Nova Xavantina

Morre Raul Sokoloski, eletricista pioneiro do setor Xavantina

Publicado

Faleceu na madrugada desta quarta feira, 18, em Goiânia, o eletricista pioneiro de Nova Xavantina, Raul Sokoloski. membro fundador do projeto ambiental Rio Limpo, Rio Lindo. Raul sofreu infarto na última sexta feira, foi transferido para Goiânia, já havia feito o procedimento da angioplastia, e estava no estágio pós-operatório de uma delicada cirurgia, onde foram colocadas três pontes de safena, e não resistiu ao processo, vindo à óbito nesta madrugada.

O corpo chegará em Nova Xavantina as 21h desta terça-feira e o velório será na Igreja Católica Nossa Senhora Auxiliadora, a conhecida e histórica “igrejinha” da Praça Dom Bosco, em frente onde morava e mora a família. Deixa a esposa Maísa, os filhos Raulidey, Maiuza, Lauridey, Larissa e Maiuky, e os netos Emylli Kyohara, Vitor, Matheus, Heitor, Iziz, Breno e Bryan.

PIONEIRO

Aos 68 anos, Raul comandava uma família de eletricistas e técnicos de som -Raulidey e Lauridey- tendo sido ele um eletricista pioneiro do município, onde chegou vindo do Rio Grande do Sul nos anos 70. Todas as grandes empresas e orgãos públicos da cidade -incluindo Prefeitura, Secretarias, Fórum e outros- tiveram a parte elétrica feita por ele.

Dono de uma saúde invejável, cortava a cidade de lado a lado, de bairro a bairro, do Estilac à Olaria, montado em sua bicicleta, pois não se adaptava à carros e motos. Foi de bicicleta que ele percorreu todos os cantos da cidade, consertando defeitos, fazendo instalações e ensinando a profissão ao filho Raulydey e a outras pessoas com quem trabalhava.

De origem polonesa, Raul era participativo na vida comunitária, estava em todos os movimentos políticos e foi um fundador histórico do PTB – Partido Trabalhista Brasileiro, sigla que nos anos 80 abrigava pioneiros históricos e modernos, como o Sr. Dico, Domingos D’Eri, Dr. Paulo Toledo, Gercino Caetano Rosa, Robison Pazeto, entre outros.

PROJETO E HISTÓRIA DE VIDA

Foi co fundador junto com companheiros do projeto ambiental Rio Limpo Rio Lindo, que já retirou mais de 20 toneladas de lixo doméstico do Rio das Mortes, participando de todas as incursões no Rio das Mortes desde a primeira descida, em julho de 2005.

Responsável pela cozinha do projeto, junto com sua esposa Maísa, era de sua lavra a famosa “pururuca”, que constava obrigatoriamente do cardápio durante os trabalhos.

Deixa muitas saudades entre os amigos e companheiros do bairro, da cidade, do projeto ambiental Rio Limpo Rio Lindo e da história de Nova Xavantina, que perde um de seus grandes filhos, representante legítimo da raça, um gigante que trouxe a cultura sulista para amalgamar com os valores locais, já que a esposa Maísa é de família de pioneiros da Fundação Brasil Central.

Deixa uma história, uma lição de vida e um exemplo dignos de serem seguidos por todos os que amam essa terra, e que tenham essa estranha paixão por esse lugar maravilhoso chamado Nova Xavantina.

Nossos sinceros sentimentos à toda a família.

Sintonia News

Comentários Facebook
Continue lendo

Nova Xavantina

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana